Gostaria de saber porque as missas católicas eram rezadas em latim e porque hoje em dia não são mais?


Desde já agradeço pela resposta,

 

Edgar

 

 

Caríssimo sr. Edgar,

 

Obrigado pela pergunta. Vamos responder por pontos, embora a indagação seja simples e direta.

 

1. A Missa católica pode ser celebrada em vários ritos. E isso há séculos. Por isso, é inexato dizer que a Missa católica era celebrada em latim, uma vez que tal afirmação não se refere à Missa, em si, mas à Missa no rito romano (e em outros ritos latinos). No rito bizantino, por exemplo, as línguas litúrgicas são o grego, o eslavônio e o árabe. No rito maronita, o aramaico. E assim vai.

 

2. O senhor, ademais, indaga o motivo de a Missa, no rito romano, ter sido, antes, celebrada em latim, e hoje não mais. Ora, isso não é a verdade. Houve uma reforma litúrgica conduzida sob a suprema autoridade do Papa Paulo VI, que mudou alguns aspectos do Ordinário da Missa, modificou certos pontos do Próprio, renovou a celebração dos sacramentos e da Liturgia das Horas. Mas, o latim não foi abandonado. Pelo contrário, o Concílio Ecumênico Vaticano II, que ordenou a reforma promulgada por Paulo VI, foi claro:

 

"Seja conservado o uso da Língua Latina nos Ritos Latinos". (Concílio Vaticano II,  Constituição Sacrosanctum Concilium, 36).

 

"Providencie-se que os fiéis possam juntamente rezar ou cantar em Língua Latina as partes do Ordinário que lhes competem" (Concílio Vaticano II, Constituição Sacrosanctum Concilium, 54). 

 

O Missal Romano promulgado pelo Papa na reforma litúrgica foi feito em língua latina. O latim continua a ser a língua normativa para o rito romano. O que há é uma permissão para o uso do vernáculo. Como a reforma, abriu-se espaço para o vernáculo, porém o idioma latino nunca deixou de ser a língua litúrgica do rito romano, podendo sempre ser usado. Não é preciso nem mesmo autorização do Bispo para que uma Missa, em sua Diocese, seja feita em latim, pois é a língua da Igreja e o idioma do rito romano.

 

3. A importância do latim se vê pelas palavras de alguns Papas:

 

"A Língua Latina é a língua própria da Igreja Romana" (Papa São Pio X, Inter Pastoralis Officii, 22/11/1903).

 

"O uso da Língua Latina é um claro e nobre indício de unidade e um eficaz antídoto contra todas as corruptelas da pura doutrina" (Papa Pio XII, Encíclica Mediator Dei).

 

"Que o antigo uso da Língua Latina seja mantido, e onde houver caído quase em abandono, seja absolutamente restabelecido. – Ninguém por afã de novidade escreva contra o uso da Língua Latina nos sagrados ritos da Liturgia" (Papa Beato João XXIII, Encíclica Veterum Sapientia).

 

"O Latim exprime de maneira palmar e sensível a unidade e a universalidade da Igreja" (Papa João Paulo I, Discurso ao Clero Romano).

 

4. Mesmo com a reforma litúrgica, o rito romano anterior a ela (chamado, por isso, "rito romano tradicional" ou "de São Pio V", ou ainda "tridentino") pode ser utilizado com o consentimento do Bispo. O Papa pretende, segundo se veicula nos jornais, liberar essa forma tradicional do rito romano para que seja celebrada ao lado do rito romano moderno, sem necessidade de pedir ao Bispo uma autorização.

 

Certos canais da imprensa noticiam que o Papa irá “autorizar o retorno das Missas em latim”. Como de costume, tal informação está completamente equivocada.


Erro dos principais é a afirmação, constante em várias notas, de que a medida pontifícia será a restauração da Missa no idioma latino, como se os tradicionalistas fossem meros opositores das “Missas em vernáculo”.


Na verdade, o problema é bem outro. As Missas no rito romano nunca deixaram de ser em latim. Apenas houve a autorização, desde Paulo VI, para a celebração em vernáculo. O latim, entretanto, não foi abolido. Basta prestar atenção às Missas do Papa e mesmo de algumas organizações e Dioceses, e veremos que são celebradas seguidamente no idioma latino.

 

Recentemente, a TV Canção Nova transmitiu uma Missa celebrada completamente na língua latina.


O que o Papa talvez restaure, portanto, não é a "Missa em latim", que não deixou de ser celebrada, como vimos, mas a "Missa tridentina", segundo o Missal de 1962. O objeto do protesto de setores tradicionalistas não é tanto o idioma, e sim a reforma do rito da Missa! Em 1969, houve a apresentação do Novus Ordo Missae, alterando o calendário litúrgico romano, suprimindo certas cerimônias, mudando outras e até acrescentando algumas, prevendo a possibilidade do uso completo do vernáculo e da posição versus populum (sem obrigar, frise-se). É essa mudança que Lefebvre e seus seguidores contestam, não a língua. Claro, a Missa “antiga” é em latim, mas a “nova” também pode ser…


Basta ver que o grupo lefebvriano contraria a Missa "nova" ainda que dita em latim! Comparam a nova forma do rito romano com a antiga, ambos no oficial latim, e concluem que a antiga é melhor e, em casos mais extremos, atribuem à Missa de Paulo VI o epíteto de “facilitadora de heresias” ou modernista. Esse o motivo da separação dos tradicionalistas, que incorrem, aliás, em um cisma prático, por questionar a autoridade suprema do Papa.

 

A restauração feita pelo Papa, então, não é do latim na liturgia (só se restaura o que se perdeu, e o latim continua a ser língua litúrgica), mas da plena possibilidade de celebrar a Missa segundo o rito antigo. O qual, aliás, continua a ser celebrado não só pelos tradicionalistas cismáticos – entre os quais se inclui o grupo fundado por Lefebvre – como também por muitos sacerdotes em plena comunhão com Roma, autorizados por tal pela devida autoridade eclesiástica.

 

5. Dois artigos podem ajudar-lhe a esclarecer melhor essa questão:

 

https://www.veritatis.com.br/article/4054

 

https://www.veritatis.com.br/article/4048

 

6. Resumindo, no rito romano, o latim é a língua oficial. Na sua forma tradicional, sempre a Missa é celebrada em latim (embora o Papa possa autorizar que não o seja, se assim o quiser). Na sua forma moderna, pode-se usar tanto o latim quanto o vernáculo. Dizer que a Missa "antes", era em latim, e "hoje" em vernáculo, é, pois, uma impropriedade, quer porque o rito antigo (em latim) ainda pode ser utilizado, quer porque, mesmo no rito novo, a Missa pode ser celebrada em latim (e os Papas, desde Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II até Bento XVI) incentivam para que seja assim.

 

Espero que o senhor possa assistir uma Missa em latim, seja no rito antigo, seja no rito novo.

 

Em Cristo,

 

 

Facebook Comments

Livros recomendados

Senhor, Tende PiedadePoesia Reunida: 1985-1999Há um Outro Mundo