Este mandamento completa o precedente e exige uma atitude interior de respeito em relação à propriedade alheia. Proíbe a avidez, a cupidez desregrada dos bens dos outros e a inveja, que consiste na tristeza que se experimenta perante os bens alheios e o desejo imoderado de deles se apoderar.

Facebook Comments

Livros recomendados

O Inferno e Seus TormentosO trabalho intelectual e a vontade – continuação de “A educação da vontade”Os axiomas de Zurique – Os conselhos dos banqueiros suíços para orientar seus investimentos