Indica, antes de mais, a participação de todos os membros da Igreja nas coisas santas (=”sancta”): a fé, os sacramentos – em especial a Eucaristia -, os carismas e os outros dons espirituais. Na raiz da comunhão está a caridade que «não procura o próprio interesse» (1Coríntios 13,5), mas move o fiel «a colocar tudo em comum» (Atos 4,32), mesmo os próprios bens materiais ao serviço dos pobres.

Facebook Comments

Livros recomendados