Protestantismo

O Sacerdócio comum e específico

Os protestantes dizem que Jesus Cristo aboliu o sacerdócio levitico imperfeito , do Antigo Testamento , com sua morte sacrificial vicária na cruz, e criou um novo sacerdócio universal dos santos, sob a graça santificante.

Todos poderiam, então, ler a biblia, interpretá-la livremente, e todos poderiam ministrar todos os sacramentos.

Em objeção a esses argumentos, devemos observar, em primeiro lugar, que, se assim fosse, não existiriam tantas divergências entre as seitas evangélicas. Qualquer divisão doutrinária, por si só, já é obra do anticristo e no protestantismo elas existem em profusão. Só existe um Deus, uma fé, um Cristo e uma Igreja!

Em segundo lugar, os apóstolos sempre deliberavam doutrinariamente no espírito colegiado, portanto, havia um modo comum e harmônico de exercer o magistério da Igreja sempre sob a ação do Espirito-Santo, garantia da infalibilidade das decisões conciliares.

Nosso Senhor Jesus Cristo escolheu doze apóstolos; destacou e “ungiu” um deles como príncipe, e instituiu uma dignidade especifica sobre esse apóstolo. Estavam criados o colégio episcopal e o papado.

Ao batizarem e pregarem a palavra de Deus os apóstolos transmiam a graça santificante aos gentios e inscreviam neles um sacerdócio.

A Nova Aliança não aboliu o sacerdócio.

No Antigo Testamento houve tres niveis de sacerdócio: o Sumo Sacerdote (Aarão e seus sucessores), os Levitas como sacerdotes ministeriais , e logo todo o povo de Deus com o  sacerdócio universal (Ex 19:6: “”Sereis para Mím um reino de sacerdotes e uma nação santa.

Vemos três níveis de sacerdócio: o Sumo Sacerdote (só um), sacerdócio ministerial (de todos os Levitas) e o sacerdócio universal (todo o povo de Deus).

É o mesmo hoje! O Sumo Sacerdote (Jesus Cristo), sacerdotes ministeriais (os apóstolos e seus sucessores, os bispos e sacerdotes), e o povo de Deus (uma nação de sacerdotes).

Ao longo do tempo foi se desenvolvendo um processo especifico para o crescimento na graça através do sacramento da ordem.

E ,então, apenas aqueles que recebiam as santas ordens poderiam ministrar regularmente todos os sacramentos.

Não obstante, existe um sacerdócio não-sacramental comum – que é acessível a todos os batizados que não tenham recebido as santas ordens.

No AT, apenas os descendentes de Levi poderiam exercer o sacerdócio – com o advento da graça justificadora, na Pessoa do Cristo, todos foram convidados a viver sob a graça e a recebê-las profusamente, exercendo um sacerdócio.

Caiu, assim, parte da Lei antiga no seu aspecto de precessão para a vinda do Cristo e mantiveram-se as Leis de Deus, as leis morais, as leis do Evangelho e as Lei da Igreja, na espera da Segunda Vinda gloriosa do Cristo, a Parusia.

O sacerdócio cristão – o sacramento da ordem – está aberto a todos aqueles que aceitam viver o ritual estabelecido pela sagrada tradição da Igreja sob autoridade do Cristo e conduzidos pelo Espirito Santo.

Na verdade, Nosso Senhor Jesus Cristo ofereceu graças especificas em seus gestos.

A Santa Ceia tinha como convidados apenas os doze apóstolos. A eles foi conferida a graça, o poder e a autoridade para consagrar o pão e o vinho e ministrar o batismo, além dos outros cinco sacramentos. Todos esses sacramentos foram instituidos por Jesus Cristo e são transmissores de graças, mas nem todos os sacramentos são passíveis de serem ministrados por quem não tenha recebido outras graças requeridas previamente.

Facebook Comments

Livros recomendados

HeregesA Cruz de CristoAs Cartas de São Paulo aos Gálatas e aos Efésios – Cadernos de estudo bíblico

About the author

Veritatis Splendor

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.