[Leitor autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: Edmiray
Cidade/UF: Mossoró
Religião: CATÓLICA
Data: 19/08/2007

Mensagem
========

Caro irmão, a graça!

Gostaria que vcs refutassem esse argumento protestante:

“O Salmo 69 é um texto profético com força suficiente para desmantelar o arcabouço erigido pelas artimanhas teológicas católicas. Qualquer exegeta que ler esse salmo terá de admitir que se trata de um salmo messiânico, ou seja, um salmo que fala sobre o ministério e a vida de Jesus, o Messias. No verso 8, o autor descreve perfeitamente a família de Jesus sem deixar dúvidas quanto à legitimidade carnal de parentesco entre eles. Vejamos: “Tornei-me como um estranho para os meus irmãos, e um desconhecido para os filhos de minha mãe”.

Prezado Edmiray, amado em Cristo!

Esse é mais um falso argumento dos protestantes que querem a todo custo fazer que seus errônas interpretações da Escritura prevaleça sobre o testemunho dos primeiros Cristãos. Devemos notar que NENHUM dos Pais da Igreja disseram que Nossa Senhora teve filhos. Ao contrário, SEMPRE afirmaram que não os teve, como já mostramos em diversos artigos nossos.

A explicação que trago sobre o caso que você nos coloca vem de um antigo colaborador e amigo de nosso apostolado, o Cláudio Pinto. Em seu site “A Barca de Jesus” ele nos explica que:

“O Salmo 68 [69 segundo o Texto Massorético, conforme consta na Bíblia de Jerusalém] é um salmo profético, pois o versículo 10 é aplicado à Jesus pelos discípulos em Jo 2,17: ‘O zelo pela tua casa me consumiu’. Dessa forma, se o versículo 10 foi aplicado a Jesus, muitos sugerem que o versículo 9 também deve ser aplicado, pois está adjacente ao versículo 10. Vejamos o que diz o versículo 9:

‘Tornei-me um estranho para meus irmãos, um desconhecido para os filhos de minha mãe.’

Observe: ‘para os filhos de minha mãe’! Daí muitos concluem que Maria teve outros filhos além de Jesus.

O que dizer?

Ocorre, porém, que dado um contexto que contenha um versículo profético, se é verdade que todos os versículos deste contexto sejam todos igualmente proféticos, então o versículo 6 deste Salmo também deveria ser profético e aplicado a Jesus, pois pertence ao mesmo contexto dos versículos 9 e 10. Mas o que diz o versículo 6 ?

‘Vós conheceis, ó Deus, a minha insipiência, e minhas faltas não vos são ocultas.’ (Sl 68,6)

No salmo 68, o sujeito dos versículos 9 e 10 é o mesmo sujeito do versículo 6. Se o versículo 9 deve ser aplicado a Jesus porque o versículo 10 foi, então o versículo 6 também teria que ser, pois pertencem ao mesmo contexto. Mas o versículo 6 é a confissão de um sujeito insipiente e pecador. Porém, o NT nos garante que Jesus jamais cometeu um pecado (Jo 8,46; Hb 4,15; 1Pd 2,22; Is 53,9; 1Jo 3,5). Logo, concluímos que se um versículo do At for aplicável a Jesus (ou a alguém ou a algum fato do NT) não significa que todo os versículos adjacentes a ele (ou todo o contexto onde ele está inserido), também sejam obrigatoriamente proféticos e igualmente aplicáveis. No caso citado, o versículo 10 é aplicado a Jesus, mas os versículos 6 e 9, não.

Em acréscimo, observe o versículo 22 deste mesmo salmo. Ele também é profético e aplicado a Jesus (Mt 27,34; Jo 19,29). Igualmente os versículos 23, 24 e 26 são todos proféticos. Porém, enquanto o 23 e 24 são aplicado a Israel (Rm 11,9s), o versículo 26 é aplicado a Judas (At 1,20). Isto também comprova que os versículos são aplicados a sujeitos distintos sem qualquer vínculo com o contexto onde se encontram. E ainda, neste mesmo contexto, observe como os versículos 25, 28 e 29 destoam profundamente de Lc 23,34. Novamente observamos que não é porque alguns versículos são proféticos e aplicáveis ao NT que todos os versículos adjacentes o devem ser. Portanto, o versículo do Sl 68,9 não garante que Maria tenha tido outros filhos” (http://br.geocities.com/pinto1968/maria/n14.htm).

Espero tê-lo ajudado.

Em Cristo,

Facebook Comments