Quais são as diferenças entre a Igreja “Ortodoxa” (grupos de Igrejas Particulares – dioceses e patriarcados – que se separaram da Única e Verdadeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo em 1054) e a nossa Igreja Católica?

Eles não consideram dogma de fé nenhum dos dogmas marianos, ainda que acreditem neles, menos na Imaculada Conceição de Maria.

Eles consideram que sem a Epiclese não ocorre transubstanciação (por não acreditarem que Cristo tenha o poder de convocar o Espírito Santo, que procederia apenas do Pai).

Eles não diferenciam Sacramentos e Sacramentais (ou seja, para eles, a água benta é um Sacramento, produzindo graça, assim como o estado de vida monástico ou a condição de Rei, os ícones, etc.).

Os seus sacerdotes não precisam estudar filosofia nem teologia. Na verdade podem até ser analfabetos (como era conosco até Trento).

Eles só aceitam os sete primeiros Concílios.

Eles nào aceitam imagens esculpidas, apenas pintadas (os ícones).

Eles consideram que a santificação é uma deificação (o homem se torna divino pelas “energias” divinas que o imbebem pelos Sacramentos).

Eles acreditam que Cristo nos resgatou pagando ao diabo, e não a Deus.

Eles consideram o Direito Canônico como Verdade Revelada e de valor dogmático.

Eles permitem o divórcio em caso de adultério.

Eles não acreditam no Pecado Original.

Eles não acreditam no Purgatório, e acham que os mortos esperam no Hades a sua ida para o Céu ou para o Inferno no fim dos tempos, já sabendo o que vai acontecer e regozijando-se ou sofrendo por antecipação somente.

Eles consagram pão fermentado e dizem que a Eucaristia não foi instituída na Páscoa.

Eles consideram que a Confissão só deve ser feita em casos extremamente graves, como para excomungados que desejem voltar à Igreja.

Eles dão sempre juntos o Batismo, Crisma e Primeira Comunhão, para bebês recém-nascidos.

Eles consideram que qualquer sacerdote é ministro ordinário do Crisma.

Eles consideram que todos os bispos do mundo são iguais em poder, reconhecendo ao Papa apenas um “Primado de Honra”.

Eles consideram impossível provar pela Razão a existência de Deus.

Eles só aceitam o batismo por imersão, e realizado por um cristão ortodoxo.

Eles não aceitam o poder temporal da Igreja.

Eles acham que o sacerdote é o ministro do Matrimônio, não os noivos.

Facebook Comments

Livros recomendados

Santa Francisca RomanaComentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3Desconstruindo Paulo Freire