Recebemos um e-mail de um certo Marcello, cujo objetivo principal não era outro senão do de difamar a Santa Mãe de Jesus.

Tal e-mail foi absolutamente desagradável por vários motivos. Em primeiro lugar, pelo fato de ter o remetente usado somente caixa alta, o que, como é sabido, representa um grito em linguagem virtual. O citado Marcello gritou conosco do começo ao fim.

Além disto, o e-mail foi desagradável também por ter o remetente demonstrado um profundo desconhecimento da doutrina católica, odiando-a sem conhecer patavinas da mesma.

Por fim, foi desagradável pelo estilo jocoso e desrespeitoso usado pelo remetente.

Sinceramente, esperamos que esta nossa resposta a e-mail tão “gritantemente” desagradável seja mais agradável do que o texto que se visa responder. Em respeito à pessoa do remetente, mas, sobretudo, em respeito ao leitor deste site.

Que Deus nos ajude neste intento. E que a Virgem Santíssima seja, novamente, defendida dos enganos do demônio que, desde o princípio, é inimigo da Mulher (Gn 3,15; Ap12,13-14)

 

Como o nome sugere, Mariologia, significa o estudo da Devoção a Nossa
Senhora, essa parte do site é especialmente dedicada àquela que esmagou
toda a heresia com um simples “sim”. A presente seção objetiva expor a devoção
a Nossa Senhora, o Santo Terço, Ladainhas, Novenas, e as referências a Nossa
Senhora como Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhor de Aparecida, etc…”

DEVEMOS ADORAR SOMENTE A DEUS

Meu caro Marcello, eu te desafio a indicar qualquer artigo publicado neste site que diga, ou ainda que simplesmente sugira, que os santos ou Maria devem ser adorados. Vamos lá, tente fazê-lo.

Aliás, eu te desafio a me indicar um único documento da Igreja, nestes dois mil anos de história, que diga uma barbaridade destas

Ter devoção a Maria é substancialmente diferente de adorá-la. Já era tempo de você ter-se dado conta de algo tão simples.



Seu ventre é o verdadeiro Santo dos Santos do Templo de Jerusalém, pois,
durante nove meses, desenvolvia-se o Menino-Deus, o verbo encarnado.

ONDE ESTA NA BIBLIA QUE SEU VENTRE É O SANTOS DOS SANTOS??? VCS ESTAO EM APOSTASIA MAS ESTA TBEM JA ERA PREVISTA

Você realmente sabe o que é o Sancta Sanctorum? Eu explico: é um recinto que ficava na parte mais nobre do Templo de Jerusalém, no qual residia o próprio Deus. Era tido (com razão) como o mais santo dos lugares da Terra, pois nEle encontrava-se a divindade.

Ora, Marcello, até onde eu saiba, mesmo na tua Bíblia, mutilada por Lutero, afirma-se, com todas as letras, que Nosso Senhor Jesus Cristo esteve, por cerca de nove meses, no ventre de Maria. Se, como suponho, você acredita que Ele é o próprio Deus, então é inexorável que se conclua que o ventre de Maria, tendo sido morada do verdadeiro Deus, é o Sancta Sanctorum da Nova Aliança.

Mateus 4

10 Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor
teu Deus [adorarás], e só a ele servirás.

QUE VERGONHA HEIN…VCS CRIANDO ANÁTEMAS!!!

Confesso que esta eu não entendi… Talvez você se refira ao fato de que somente a Deus se deve adorar, e que nós, “adorando os santos” estaríamos incorrendo em anátema.

Como eu já te disse, esta visão do culto católico aos santos é a mais chã e rastaqüera que se pode ter, incorrendo a mesma no grosseiro erro de confundir adoração (latria) com veneração (dulia). Uma breve leitura do catecismo iria evitar engano tão manifesto.

Que Nossa Senhora, Co-redentora e sede de todas as graças de Nosso Senhor
Jesus Cristo, rogai por nós!

CO REDENTORA???? AONDE ESTA NA BIBLIA????? HERESIA!!

Faça, então, o favor de dar uma lidinha em Cl 1, 24:“Completo, na minha carne, o que falta aos sofrimentos de Cristo.” Veja, também, 2 Co 4, 10: Incessantemente, e por toda parte, trazemos em nosso corpo a agonia de Jesus, a fim de que a vida de Jesus seja também manifestada em nosso corpo” (2 Co 4, 10)

Ora, Marcello, se São Paulo afirma que os cristãos “completam na carne o que falta aos sofrimentos de Cristo”, e se são estes sofrimentos o que nos salvou, então, cada cristão é, em sua própria medida, um co-redentor com Cristo.

Muito simples, não é verdade? Maria, portanto, como todo e verdadeiro cristão, está associada à obra redentora de Cristo. Ela não é uma redentora paralela a Cristo, mas subordinada a Ele.

Apenas que, sendo a mais elevada de todas as criaturas, ela está associada a esta obra redentora em um nível muito maior do que o de todos os demais.


NO ENTANTO NAO VEJO OS CATOLICOS PRATICANDO A FÉ CRISTÃ E SIM A MARIANA COM PROCISSOES QUE SAO VERDADEIRAS IDOLATRIAS ONDE SAO CARREGADAS ESTATUAS NAS COSTAS !

Então, para o Marcello, procissões são idolatria. No entanto, a própria Bíblia deixa, muito claro, que Deus aprova as procissões. Tanto aprova, que mandou o Seu povo realizá-las diversas vezes no Antigo Testamento. Vejam-se estes dois exemplos:

“Partiram da montanha do senhor e caminharam três dias. Durante esses três dias de marcha, a arca da aliança do senhor os precedia, para lhes escolher um lugar de repouso. A nuvem do senhor estava sobre eles de dia, quando partiam do acampamento”. (Números 10,33-34)

“Sete sacerdotes, tocando sete trombetas, irão adiante da arca. No sétimo dia dareis sete vezes volta à cidade, tocando os sacerdotes a trombeta”. (Josué 6,4)

Isto é tanto mais significativo quando sabemos que a Arca da Aliança trazia, dentro de si, o Verbo de Deus, mero símbolo de Jesus Cristo. Ela é, portanto, símbolo de Maria (que trouxe o verdadeiro Verbo de Deus dentro de si).

Portanto, nós católicos, apoiados na Bíblia e na Tradição, confortavelmente, fazemos (e continuaremos fazendo) procissões, seja levando adiante imagens (e não ídolos) de Maria Santíssima ou dos santos, seja levando as espécies consagradas.



Os cristãos proclamaram que a mulher que foi escolhida por Deus para ser a
mãe do “Rei dos Reis e do Senhor dos Senhores” recebeu mais privilégios e
méritos divinos do que qualquer outra criatura.

AONDE? SÓ SE FOR NA SUA BIBLIA! PORQUE DA MESMA MANEIRA QUE MARIA ERA BEM AVENTURADA TBEM O ERAM OS QUE CHORAM OS QUE TEM FOME OS QUE SAO PERSEGUIDOS.TODOS IGUAIS NINGUEM É MAIS BEM AVENTURADO QUE NINGUEM NEM MARIA

É necessário dividirmos esta resposta do Marcello em dois pontos distintos. O primeiro visa responder à afirmação de que os cristãos sempre proclamaram que Maria recebeu mais privilégios divinos e honras de Deus do que qualquer outra criatura. À esta afirmação, gritando como sempre, o Marcello se insurgiu com a seguinte frase: “Aonde? Só se for na sua Bíblia.”.

Analisemos, primeiramente, este ponto e, depois, passemos ao segundo. Para provar que sempre o fizeram, cito os seguintes textos da Tradição que podem ser encontrados no próprio VS, do texto Uma defesa Bíblica de Maria:

“Filho de Deus pelo desejo e poder de Deus, nasceu verdadeiramente de uma Virgem” (S. Inácio de Antioquia, “Carta aos Magnésios”, ~110 dC).

“E novamente, como Isaías havia expressamente previsto que Ele nasceria de uma virgem, ele declarou o seguinte: ‘Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e seu nome será chamado “Deus-conosco”‘.. A frase ‘Eis que uma virgem conceberá’ significa certamente que a virgem iria conceber ser ter relacionamento. Se ela tivesse relacionamento com qualquer um que fosse, ela não poderia ser virgem. Mas o poder de Deus, vindo sobre a Virgem, a encobriu, e a induziu a conceber, embora ainda permanecesse Virgem” (S. Justino Mártir, “Primeira Apologia”, 148-155 dC).

A Virgem Maria mostrou-se obediente ao dizer: “Eis aqui tua serva, Senhor; faça-se em mim conforme a tua palavra”. Entretanto, Eva foi desobediente; mesmo enquanto era virgem, ela não obedeceu. Como ela – que ainda era virgem embora tivesse Adão por marido… – foi desobediente, tornou-se a causa da sua própria morte e também de todo gênero humano; então, também Maria, noiva de um homem mas, apesar disso, ainda virgem, sendo obediente, se tornou a causa de salvação dela própria e de todo o gênero humano... Assim, o problema da desobediência de Eva foi eliminado pela obediência de Maria. O que a virgem Eva causou em sua incredulidade, a Virgem Maria eliminou através da sua fé” (S. Ireneu, “Contra as Heresias”, 180-199 dC).

“A Virgem Maria, tendo sido obediente à palavra de Deus, recebeu de um anjo a alegre notícia de que iria dar à luz ao próprio Deus” (S. Ireneu de Lião, “Contra as Heresias V,19,1”, 189 aD).

“Apesar de permanecer virgem enquanto carregava um filho em seu ventre, a serva e obra da sabedoria divina tornou-se a Mãe de Deus” (Efraim o Sírio, “Canções de Louvor 1,20”, 351 aD).

“O Verbo gerado do Pai do céu, inexpressavelmente, inexplicavelmente, incompreensivelmente e maneira de eterna, nasceu há tempos atrás da Virgem Maria, a Mãe de Deus” (S. Atanásio, “A Encarnação do Verbo de Deus 8”, 365 dC).

“Se alguém disser que a Santa Maria não é a Mãe de Deus, ele está em divergência com Deus. Se alguém declarar que Cristo passou pela Virgem como se passasse por um canal, e que não se desenvolveu divina e humanamente nela – divina porque não houve a participação de um homem, e humanamente segundo a lei da gestação – tal pessoa é também herege” (S. Gregório de Nanzianzo, “Carta ao Sacerdote Cledônio”, 382 dC).

“Nos ajuda a compreender os termos “primogênito” e “unigênito” quando o Evangelista diz que Maria permaneceu Virgem “até que deu à luz ao seu filho primogênito” [Mt 1,25]. Nada fez Maria, que é honrada e louvada acima de todas as outras: não se relacionou com ninguém, nem jamais foi Mãe de qualquer outro filho; mas, mesmo após o nascimento do seu filho [único], ela permaneceu sempre e para sempre uma virgem imaculada” (Dídimo o Cego, “A Trindade 3,4”, 386 dC).

Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser, ao mesmo tempo, Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo. Ela é mãe conforme o espírito, não d’Aquele que é nossa Cabeça, isto é, do Salvador do qual ela nasceu, espiritualmente. Pois todos os que nele creram – e nesse número ela mesma se encontra – são chamado, com razão, “filhos do Esposo” [Mt 9,15]. Mas, certamente, ela é a mãe de seus membros, segundo o espírito, pois cooperou com seu amor para que nascessem os fiéis na Igreja – os membros daquela divina Cabeça – da qual ela mesma é, corporalmente, a verdadeira mãe” (S. Agostinho, “A Virgindade Consagrada 6,6”, 401 dC).

“Entretanto, quando eles perguntaram: ‘Maria é a mãe de um homem ou a Mãe de Deus?’, nós redundemos: ‘De ambos’. O primeiro pela natureza do que ocorreu e o segundo pela relação. Mãe de um homem porque era ser humano que estava e que saiu do ventre de Maria; e Mãe de Deus porque o homem que nasceu era o próprio Deus” (Teodoro de Mopsuéstia, “A Encarnação 15”, 405 dC).

“Agora, herético, você dirá (qualquer um de vocês que negar que Deus nasceu da Virgem) que Maria, a Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, não pode ser chamada de Mãe de Deus, mas somente de Mãe de Cristo e não de Deus, porque nenhuma mulher – afirmará você – pode dar à luz a alguém mais velho do que ela própria. A respeito deste estúpido argumento […] deixe-nos provar por testemunhos divinos de que tanto Cristo é Deus como Maria é a Mãe de Deus” (João Cassiano, “Sobre a Encarnação de Cristo contra Nestório 2,2”, 429 dC).

“O próprio Verbo, vindo por sua vontade à Bem-Aventurada Virgem, assumiu para si o seu próprio templo da substância da Virgem e saindo dela, fez-se completamente homem de modo que todos pudessem vê-lo externamente, mas sendo verdadeiramente Deus internamente. Portanto, Ele preservou sua Mãe virgem mesmo depois dela ter dado à luz” (S. Cirilo de Alexandria, “Contra aqueles que não desejam professar que a Santa Virgem é a Mãe de Deus 4”, 430 dC).

Assim como os marinheiros são guiados ao porto por uma estrela, também os Cristãos são guiados ao céu por Maria” (S. Tomás de Aquino)

E agora, Marcello? Será que você se convenceu que, de fato, como afirmou o autor, os cristãos “sempre honraram a Virgem Maria”? Os textos acima abarcam um período superior a mil anos de cristianismo. Se, mesmo assim, você ainda tiver dúvidas, posso te citar outros anteriores e posteriores.

Isto com relação à primeira parte da tua resposta.

Na segunda parte (que, ora, passamos a comentar) você dá a entender que a Bíblia chama muitas pessoas de bem-aventuradas, afirmando que Maria não é mais bem-aventurada do que ninguém.

Ora, não seja tão injusto com Maria, nem tão míope ao ler a Bíblia. A Bíblia não fala apenas que Maria é bem-aventurada (ou bendita, segundo algumas traduções). Vejamos:

“Bendita és tu entre todas as mulheres.” (Lc 2, 42)

“Sim, doravante as gerações todas me chamarão de bem-aventurada.” (Lc 2, 48).

Viu, Marcello? O que a Bíblia realmente diz de Maria? Maria é, no mínimo, mais bem-aventurada do que todas as outras mulheres do mundo. E todos os cristãos, de geração em geração (exatamente como mostramos acima), devem proclamar este fato.

Você tem proclamado que Maria é Bendita entre todas as mulheres, Marcello? Pelo jeito, não. Será que você está, realmente, em acordo com a Bíblia?

Mas, se a Tradição não te convencer, e se a Bíblia não te convencer, quem sabe a lógica te convença? Ora, Maria recebeu o Espírito Santo em plenitude tal que gerou, fisicamente, o próprio criador de todas as coisas; teve-O por nove meses dentro de si, nutrindo-O e, com Ele, trocando pequenas quantidades de sangue (o sangue de Maria correu nas veias de Jesus; o sangue de Jesus correu nas veias de Maria); deu-lhe à luz; amamentou-O meses a fio; dirigiu-lhe a educação e conviveu com Ele por 30 anos (os discípulos conviveram por apenas três).

Ora, se tudo isto não fez de Maria a mais santa de todas as criaturas é porque, no frigir dos ovos, Jesus Cristo não era grande coisa…

Agora, se nem a Tradição, nem a Bíblia e nem a lógica te convencerem que Maria é absolutamente única em toda a criação, quem seria eu para fazê-lo? Que o Senhor cuide de ti…

Passaram a chamá-la carinhosamente e com devoção de “Nossa Senhora”.

ENGRAÇADO QUE NAO VEJO CATOLICOS MARIANOS CHAMANDO CARINHOSAMENTE JESUS COMO NOSSO SENHOR!!

Com relação a isto, eu nada posso fazer. Os católicos sempre se referiram ao Filho de Deus como Nosso Senhor, Jesus Cristo. Ainda hoje é assim.

Foi o Papa foi que definiu o dogma da assunção gloriosa de Maria aos céus,
em corpo e alma.

OS PAPAS SAO SERES HUMANOS E SAO CHEIOS DE DEFEITOS , TANTO É QUE JOAO PAULO JA PEDIU DESCULPAS PRA TODO O MUNDO PELAS ATROCIDADES QUE SEUS ANTECESSORES COMETERAM!!

Não discordo desta tua afirmação. De fato, os Papas são seres humanos (a Igreja nunca disse o contrário) e cheios de defeitos (a Igreja nunca disse o contrário), e, é verdade, o Papa tem pedido perdão pelos erros que os filhos da Igreja cometeram no passado.

Contudo, isto não tem nada a ver com o dogma da infalibilidade, segundo o qual o Papa não pode errar quando se pronuncia solenemente sobre um ponto de fé ou de moral.

Portanto, a tua crítica se baseia num profundo desconhecimento do que seria o dogma da infalibilidade papal.

E, by the way, as pretensas “atrocidades” que os filhos da Igreja cometeram no passado, foram imitadas e aperfeiçoadas pelos protestantes. Todas as acusações dirigidas a nós cabem, igualmente, a vocês.

E, se você quer saber a minha opinião, o Papa está se excedendo ao pedir perdão por muitas coisas que, rigorosamente falando, não foram passíveis de culpa. Mas, pelo menos, o Papa reconhece alguns destes excessos.

Já a maioria dos protestantes prefere fingir que apenas os católicos erraram no passado.

A Igreja que, em filosofia, teologia, bibliologia, etc., já é muito superior ao protestantismo, mostra-se igualmente superior em sinceridade.

“Deus Pai ajuntou todas as águas e denominou-as mar; reuniu todas as suas
graças e chamou-as Maria. Deus Filho comunicou a sua Mãe tudo que adquiriu
por sua vida e morte: seus méritos infinitos e suas virtudes admiráveis.

QUERO COMPROVAÇOES BIBLICAS NAO PALAVRAS DE QUALUQER PADRECO QUE AMANHA PODE COMETER PEDOFILIA

Pois não: “Entrando na casa onde ela estava, (Gabriel) disse-lhe: ‘Alegra-te, cheia de graça, pois o Senhor está no teu seio.’

Entendeu, Marcello? Nós, católicos (como fez o autor acima, no ponto em que você o critica), fazendo coro com o Arcanjo de Deus (e não com, segundo tuas palavras, “qualquer padreco”) proclamamos que Maria é REPLETA DA GRAÇA DE DEUS. Aliás, segundo a Bíblia de Jerusalém, a tradução literal deste texto é muito mais significativa: “Alegra-te, tu que fostes e permaneces repleta do favor divino.”

Com relação à tua observação sobre pedofilia, eu, fazendo coro com Jesus Cristo, afirmo: “Fariseu e hipócrita. Por que reparas no cisco do olho do teu irmão e não enxergas a trave que está no teu próprio?”

Afinal, ao que tudo indica, você é daquele tipo de “cristão” que faz questão apenas de ver problemas na Igreja Católica, como se graves pecados de todos os tipos (inclusive sexuais), não ocorressem entre os pastores protestante (Leia o Livro Nos Bastidores do Reino, apenas para que você possa começar a enxergar a imensa chaga que fere o mundo protestante).

Eu poderia enumerar muitas coisas aqui, mas, como não quero incorrer no mesmo erro teu, limito-me ao pouco (muito pouco) que foi dito.

Deus Espírito Santo comunicou a Maria, sua fiel esposa,( OPA MAS ELA ERA
CASADA COM JOSÉ!!!) seus dons inefáveis, escolhendo-a para dispensadora de tudo que ele possui”

Não, caro Marcello. Maria foi, verdadeiramente, esposa apenas do Espírito Santo. O Espírito Santo a cobriu e gerou, nela, um Menino, aquele que um dia iria reger todas as Nações da Terra. A Bíblia não fala, em nenhum momento, que São José e Maria, verdadeiramente, tiveram vida marital.

E nem poderiam, pois, uma vez que o Espírito Santo a desposou, não seria lícito a José fazê-lo.

Sendo Maria santíssima – por sua disposição reta em relação aos desígnios
de Deus – uma poderosa intercessora pela Igreja peregrina e padecente.

ENTAO ONDE ENTRA JESUS SE JA TEM DEUS E UMA INTERCESSORA????? PRA QUE JESUS NÉ??? ALIAS NESTE SITE VERITATIS NAO VI NADA DE JESUS UMA VERGONHA.

O teor da tua pergunta revela um total desconhecimento do catolicismo. E, para usar as tuas palavras, é “uma vergonha” alguém se pôr a criticar aquilo que não conhece. Conheça primeiro, depois, critique.

Ora, você nos pergunta (aos berros, como sempre): “pra que Jesus né?”. Jesus Cristo é o único e verdadeiro intercessor entre Deus e os homens, os cristãos (inclusive Maria) participam desta intercessão. Não se estabelece uma intercessão paralela à de Cristo, mas subordinada à do mesmo.

Portanto, Marcello, sem Jesus Cristo, não haveria a intercessão de Maria. Entendeu, então, o “pra que Jesus, né?”.

Por fim, é absurda a afirmação de que no VS não existe nada acerca de Jesus. Basta que qualquer um navegue pelo site para se dar conta da enorme injustiça que você cometeu com esta afirmação. Agora, é óbvio que a apologética católica desenvolvida em face do protestantismo não se refere muito a Jesus, pois a crença católica em Jesus Cristo não é contestada pelos protestantes.


“Eu sou a serva do Senhor. Aconteça-me segundo a tua palavra!” (Lc 1,38).

MEU QUERIDO .. SERVO EU TBEM SOU E NAO VIVO APARECENDO PARA MEIO MUNDO PARA ATRAVÉS DE MEDIUNS ( QUE PARA DEUS É ABOMINAÇAO) TRANSMITIR MINHAS MENSAGENS!!!! É SATANICO!!!!!! JESUS DEVE ESTAR MUITO TRISTE COM ISSO TUDO JA QUE VCS COLOCAM MARIA COMO SUA SALVADORA ( VIDE MENSAGENS DA “NOSSA SENHORA”DE MEDJUGORGE) E NAO ELE QUE MORREU POR NÓS !!!

Deixemos claro uma coisa: os videntes de Maria não são e nunca foram “médiuns”. Deus, quando Ele quer, permite que Maria (ou outro Santo) se comunique com os vivos da terra. Um medium é alguém que possuiria o poder de invocar espíritos, de se comunicar com eles, de obter deles, as informações que ele próprio (medium) desejasse.

Acho que a diferença é gritante.

Ora, literalmente, do Gênesis ao Apocalipse, Deus envia anjos para se comunicar com os vivos. Abraão, Jacó, os profetas, São José, Maria, Zacarias, São Pedro, São João, todos eles tiveram visões de anjos. E, se Deus pôde mandar anjos para se comunicarem com Seus servos no passado, é claro que ele pode enviar Seus santos para se comunicarem com os cristãos em qualquer época.

Quero ver você dizer que Ele não pode!

Uma vez que o que acontece com os “videntes” marianos é, rigorosamente, a mesma coisa que aconteceu tantas e tantas vezes na Bíblia, espero que você abandone esta idéia estapafúrdia de os chamar de “médiuns” abomináveis a Deus. Ou, sendo coerente, que passe a assim chamar todos os personagens bíblicos que receberam visões de anjos.

Com relação a Medjugorie, reconheço a minha ignorância a respeito destas supostas aparições. Simplesmente não as acompanho. No entanto, a Igreja ainda não as reconheceu como legítimas.

Maria é, assim, a mais santa das almas santas ; a mais pura , completa e
exemplar expressão da santidade

MARIA ÉRA HUMANA E PENSAR QUE VCS CATOLICOS QUEIMARAM TANTOS COITADOS EM FOGUEIRA POR HERESIA. QUEM DIRIA HEIN!!!

Uai! Em algum lugar se falou que Maria não era humana? Ela, sendo humana, é a mais santa das criaturas de Deus. Qual o problema com isto?

Com relação às fogueiras da Inquisição, talvez fosse bom você estudar um pouco de história. Você perceberia duas coisas bastante surpreendentes:

a) a Inquisição não foi, jamais, o grande monstro que a historiografia atéia e comunista tenta pintar;

b) as fogueiras também arderam (e como arderam!) nos países protestantes.

Não vou, contudo, alongar-me neste assunto.

Ela consentiu com amor na imolação necessária de Jesus , pela remissão dos
nossos pecados e para a glória de Deus.

CONSENTIU.HAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAAHAHAHHHAAHHAAHAHAHAH. VOU CITAR UMA SÓ FRASE DE JESUS “QUE TENHO EU CONTIGO MULHER??”

A expressão usada por Jesus em Jo 2, 4, pode expressar o desejo de alguém em não se relacionar com o interlocutor; ou a simplesmente, o seu desejo em não atender um pedido julgado inoportuno.

Ao que tudo indica, para o Marcello, o texto possui a primeira conotação. Ele prefere acreditar que Jesus nada queria com Maria, num flagrante desrespeito ao mandamento de Honrar pai e mãe.

O Marcello prefere acreditar que Jesus pecou a acreditar que Ele honrava Sua mãe…

Pelo contesto, é óbvio que a expressão de Jesus significava que Ele não queria atender o pedido de Maria. Mas, no entanto, Ele o fez. A pedido de Maria, Jesus Cristo antecipou a Sua hora., o que, inegavelmente, demonstra a força que a intercessão de Maria possui junto ao seu Filho.

O sofrimento de Maria foi o sofrimento de Jesus, tanto assim que Jesus deu ao discípulo amado a missão de proteger Sua mãe . Maria aceitou a missão de ser a Mãe da Igreja. O seu sofrimento junto à Cruz foi vivido voluntária e santa mente.
ANÁTEMA

Qual é o anátema que você encontrou, Marcello? Seria o fato de Maria ter sofrido junto à Cruz de Cristo (Lc 2, 35), ou o fato de Jesus ter feito de Maria a Mãe dos Cristãos (Jo 19, 26-27)? Qual das duas (ou seriam as duas?) passagens bíblicas você está anematizando?

Nossa Senhora é mediadora por Jesus , e Jesus é o nosso único mediador
AINDA NAO INVENTARAM UM MEDIADOR POR MARIA ?????

Não, não inventaram nenhum “mediador por Maria”. E, na Igreja católica, isto não será jamais “inventado”, pois “invenções doutrinárias” são exclusividade do protestantismo.

Mas, como o protestantismo é extremamente volúvel, é bem possível que, um dia, algum pastor, usando do seu livre exame, me saia com uma destas. E ainda acuse a Igreja Católica de não dar o devido respeito à Mãe de Deus…

No protestantismo, rigorosamente tudo é possível.

A Virgem Maria permitiu a vinda ao mundo do Cristo ao dizer sim a Deus , e
acompanhou Jesus na Sua missão na terra.

DEUS NAO PERGUNTOU SE ELA QUERIA OU NAO!!! ANÁTEMA.

Tanto Deus respeitou a liberdade de Maria, que ela teve que dar o seu “sim”. Se o Almeida não tirou esta passagem da tua bíblia, dê uma olhadinha em Lc 1, 38: “Disse, então, Maria: ‘Eu sou a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra’. E o anjo a deixou.”

Entendeu, Marcello? O anjo somente a deixou depois de sua concordância. Ficou lá até ouvir o “sim” da Santíssima Virgem. Ficou lá até que ela concordasse.

A vocação de Maria não termina com a morte, mas é única e para sempre , ela
não terminou.

ANTIBIBLICO ..NAO TEM EMBASAMENTO

A decisão divina de fazê-la Rainha dos Céus e Mãe do Filho de Deus encontra-se na eternidade ; é , desde sempre , absolutamente necessária para a redenção do mundo!

SEM EMBASAMENTO COOITADOS DOS SEUS FIÉIS!!!

Primeiramente, é bom que se frise que nem tudo o que não se encontra na Bíblia é antibíblico. Algo exterior à Bíblia será antibíblico se estiver em contradição com a mesma. Por exemplo, o cânon das Escrituras não está na Bíblia, nem por isto tal cânon é antibíblico.

A afirmação de que Maria foi predestinada desde toda a eternidade para ser a Mãe de Jesus, e a de que sua missão continua por toda a eternidade, muito embora não estejam contidas na Bíblia, em nada a contrariam. Portanto, não são antibíblicas, como você quer fazer com que acreditemos.


O apóstolo Paulo reflete sobre a santidade em geral : “Nós todos que, com
face descoberta, refletimos como num espelho a glória do Senhor, somos
transfigurados nessa mesma imagem, cada vez mais resplandecente, pelo
Espírito do Senhor ” (2Cor 3,18).
NAO SUGERE ADORAÇAO NEM QUE MARIA ERA SALVADORA.

O teu desconhecimento de catolicismo é quase tão “gritante” quanto este teu e-mail. Vamos lá! Volto a te desafiar. Indique-me um único documento da Igreja que afirme que devemos adorar Maria, ou que ela é a salvadora de nossas almas.


Não é possível que em dois mil anos de história você não seja capaz de encontrar nenhum. Um único, e isto já me bastará.

Da mesma forma, indique-me um único artigo de nosso site que afirme a mesma coisa. Insisto: um único, e isto me bastará.

Agora, se você não for capaz de tarefa tão simples, por favor, pare de nos atazanar com este ramerrão infantil de “idolatria”, “adoração”, etc..

Trate as coisas com mínimo de seriedade.

A Virgem Maria possui a posição mais elevada no escalonamento dos seres
criados.

Mateus 11
11 Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm [nascido], não
apareceu alguém maior do que João o Batista; mas aquele que é o menor no
reino dos céus é maior do que ele.

MARIA NASCEU DE MULHER PORTANTO É MENOR QUE JOAO BATISTA

Permita-me ser franco: as tuas posições são muito infantis! A levar a sério esta tua regra, teríamos que concluir que João Batista é maior do que o próprio Jesus, pois Ele mesmo nasceu de uma mulher: “Por isto, o Santo que nascerá de ti será chamado Filho de Deus.”

É claro que Jesus não está contido na regra que você resolveu sacar. Afinal, o próprio João Batista afirmou que o que viria depois dele era maior do que ele próprio.

Esta regra, portanto, comporta exceções. E Maria, sem dúvida, é uma destas exceções. Quer a prova, Marcello? Dê uma olhadinha em Lc 1, 239-44:

“Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa, dirigindo-se apressadamente a uma cidade de Judá. Entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu-lhe no ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito exclamou: Donde me vem que a mãe do meu Senhor me visite? Pois quando a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria em meu ventre.”

Como você vê, caro Marcello, tanto Maria era superior a João Batista, que este estremeceu de alegria apenas por ouvir a voz daquela que trazia, em seu seio, o Salvador do mundo.

Viu como a tua regrinha não serve para muita coisa?

Mas já que você tocou no assunto, como você me explica que Maria é superior ao maior dos Filhos de Adão? Como a tua “teologia” protestante resolve esta enrascada?

Fico aguardando uma resposta.



Chamamos Maria de Rainha dos cristãos,O REI DOS REIS É JESUS E NAO FALA EM RAINHA NA BIBLIA O QUE VOCES ANDAM LENDO HEIN???  dos anjos, SEM EMBASAMENTO BIBLICO
dos patriarcas,
dos profetas, MARIA NAO ERA NASCIDA ANÁTEMA

dos apóstolos, dos mártires, de todos os santos; SEM EMBASAMENTO BIBLICO

Lemos a Bíblia. Talvez você estranhe as afirmações acima por que, enquanto nós a lemos por inteiro, muitos protestantes (e, ao que parece, você é um deles) insistem em se ater a apenas os poucos versículos que, descontextualizados, serviriam para embasar as suas heresias.

Então, para você, a Bíblia não fala que Maria é a rainha dos cristãos. Dê uma olhadinha em Ap 12,1-3: “Um sinal grandioso apareceu no céu: uma mulher vestida com o Sol, tendo a Lua sob os pés e uma coroa de doze estrelas; estava grávida e gritava, entre as dores do parto.

Como você vê, Marcello, a Mãe daquele que iria “reger todas as nações da terra” usa uma coroa. Até onde eu saiba, apenas rainhas e reis usam coroas. E repare que não se trata de uma coroa qualquer: é uma coroa de doze estrelas, símbolo evidente da Igreja.

Maria, portanto, é rainha de toda a Igreja.

Aliás, o fato de ela estar “vestida com o Sol”, e de “ter a Lua sob os pés” indica uma preeminência sobre toda a criação. Portanto, ela é rainha dos anjos e profetas.

Devolvo a pergunta: o que você anda lendo, hein, Marcello?



rainha concebida sem pecado,
SEM SEXO CARNAL????????? HAHAHAHA

Dado o evidente nível de desconhecimento que você ostenta acerca do catolicismo, com toda a sinceridade, é impossível saber se tua observação acima foi apenas uma piada (da qual não haveria comentários a serem feitos), ou, se, realmente, você acha que o dogma da Imaculada Concepção de Maria significa que a mesma foi concebida sem conjunção carnal de seus pais.

Partindo do pressuposto de que a última alternativa é a verdadeira, cumpre informar que o dogma em questão não se refere a uma suposta concepção virginal de Santa Ana (mãe de Maria). A Imaculada Concepção de Maria significa que ele foi preservada, desde a sua concepção, em antecipação aos méritos de Jesus, de todo pecado, inclusive do pecado original.

a imaculada conceição,DELA??????

assunta ao céu,AONDE CITA ISSO NA
BIBLIA????

rainha do santo rosário,rainha da Igreja,A IGREJA É O CORPO DE JESUS NAO DE MARIA

e mãe dos homens. ELA FOI MAE DE JESUS E TIAGO NAO MINHA

Maria Santíssima é assim figura central no âmago da Igreja
ISSO É TAO HERETICO QUE FICO PASMO DE LER!!;
ela é a medianeira “em” Cristo,tendo tomado assento à destra de seu filho,
QUEM TE DISSE???? ONDE ESTA NA BIBLIA???
rezando sem cessar, por toda a humanidade,junto com a Igreja celeste e com
a Igreja peregrina. Católicos e ortodoxos reverenciam Maria.
VOCES ESTAO TODOS EM HERESIA!!!!!!!

Vamos separar os assuntos para facilitar a compreensão dos leitores.

a) sobre a Imaculada Conceição, já dissemos acima.

b) sobre a assunção de Maria, isto é fé de todos os cristãos desde o princípio do cristianismo.

c) sobre o fato de Maria ser Rainha da Igreja, já discorremos acima.

d) sobre o fato de Maria ser Mãe de todos os cristãos, temos duas passagens bastantes significativas que o provam. A primeira, em Jo 19, 26-27. Sabe-se que os crucificados morriam por asfixia. Pendurados na Cruz, com a linha dos ombros abaixo do eixo dos pulsos, tinham sérias dificuldades em respirar. Num quadro tão dramático, se a respiração já era um sério problema, falar exigia um esforço descomunal. O crucificado tinha que, apoiando-se nos cravos, elevar os ombros acima dos eixos dos pulsos para possibilitar a inalação de ar suficiente para pronunciar as palavras.

Por isso, tudo o que Jesus falou enquanto crucificado deve ser visto com muito carinho pelos cristãos, pois foram palavras acompanhadas de uma dor e de um esforço inimagináveis. É de se esperar que tais palavras tenham sido das mais importantes e vitais.

Pois bem, entre as poucas frases deixadas por Jesus na Cruz, encontram-se as narradas no trecho acima: “Vendo Jesus a Sua mãe e, perto dela, o discípulo que Ele amava, disse à Sua mãe: ‘Mulher, eis o teu filho!’. E, dirigindo-se ao discípulo, disse: ‘Eis a tua mãe!’ E, a partir desta hora, o discípulo a recebeu em casa.”

Este fato é tanto mais significativo quando lembramos que São João, ao escrever o seu evangelho, preocupou-se em narrar os acontecimentos importantes da vida de Cristo e que não se encontravam nos demais evangelhos. Se São João escolheu esta passagem, é porque percebia ser a mesma de importância capital.

Aliás, se Jesus, no auge da agonia, proferiu estas frase, é porque Ele as entendia extremamente importantes. Em vista dito, a passagem mencionada tem, e só pode ter, um significado que transcende o de uma simples preocupação de um filho com os destinos de sua mãe.

A frase “eis a tua mãe” é, e só pode ser, dirigida a todos os que venham a ser discípulos amados de Jesus; a frase “eis o teu filho” indica, e só pode indicar, que Maria seria mãe de toda a Igreja.

Este mesmo São João, em Ap 12, 17, reafirma este fato ao dizer que o Dragão foi fazer guerra contra os outros descendentes da Mulher, os que observam os mandamentos de Deus e guardam o Testemunho de Jesus.” Os cristãos são, portanto, filhos daquela mesma mulher que deu à luz o Varão que iria reger todas as Nações da Terra.

No entanto, você afirma, expressamente, que Maria não é a sua mãe. Por outro lado, como já foi visto, a Bíblia afirma que Maria é mãe de todos os cristãos.

A conclusão me parece muito óbvia: você não está concorde com aquilo que a Bíblia fala acerca da maternidade de Maria. Durma-se com um barulho destes, não?

e) sobre o fato de Maria ser figura central no âmago da Igreja, é óbvio que o autor não a coloca no lugar de Jesus. Propriamente falando, a Igreja é cristocêntrica, mas, intrinsicamente, ela é mariana.

f) sobre o fato de ela estar à direita de Cristo, vide Sl 44, 10: “À tua direita (ó, rei!) está a rainha em ouro de Ofir.”

Veja, igualmente, 1 Re 2, 19: “Quando Betsabéia (mãe de Salomão, rei de Israel) foi ter com o rei Salomão, para falar-lhe por Adonias, o rei se levantou a encontrar-se com ela, inclinou-se diante dela, e se assentou no seu trono. Mandou que pusessem um trono para a mãe do rei, e ela se assentou à sua mão direita.

Convenceu-se, Marcello? Se Salomão honrava sua mãe, colocando-a à sua direita, e atendendo os pedidos que ela lhe fazia, quanto mais Cristo não honrará Maria.

Aliás, o texto é uma prova bastante contundente de que nem todo gesto de reverencia (inclinar-se, por exemplo, diante de alguém) é um gesto de adoração.

g) sobre o fato de que Maria é reverenciada por Católicos e Ortodoxos, isto se justifica por alguns motivos: ambas as Igrejas remontam aos apóstolos; ambas as Igrejas nutrem-se da Tradição Cristã, guardando toda a memória da ortodoxia dos ensinamentos de Jesus; ambas têm a Bíblia completa, sem a mutilação levada a cabo pela Reforma.

 


Em relação à definição do concílio de Nicéia (325) sobre a divindade de Jesus Cristo está a definição do concílio de Éfeso (431) sobre Maria Mãe de Deus (Theotokos), pela união indissolúvel da natureza divina e humana no filho. A essas definições junta-se a verdade de Maria sempre Virgem proclamada em Constantinopla (553) e em Roma (649).

O QUE VEM DE ROMA (VATICANO) NOS SABEMOS O QUE É ATRAVÉS DE LUTERO PORQUE VCS PARARAM DE VENDER SALVAÇAO??????????

CONTINUEM VENDENDO SALVAÇAO!!!!!! PORQUE PARARAM???????

A RELIGIAO DE VCS É SÓ HERESIA , APOSTASIA E ANÁTEMA

QUE DEUS TENHA MISERICORDIA DE VCS

Pelo que se pode perceber, você é um admirador de Lutero. Tudo bem. Afinal, cada um pode admirar quem quiser, e pelas razões que quiser.

Mas desconfio que você não saiba que, para Lutero, Deus é estúpido, Jesus Cristo é um bêbado e fornicador, e a poligamia é uma prática plenamente aprovada pela Bíblia. Para Lutero, o cristão não é livre para definir sua fé, devendo seguir a fé que seus governantes ordenarem (cuis regio, eius religio).

Se, sabendo de tudo isto, você ainda quer segui-lo, e auto-proclamar-se “reformador”, sinta-se à vontade. Mas, pelo menos, siga-o corretamente. Veja o que ele pensava sobre a Virgem Santíssima:

 “Ó bem-aventurada Mãe, Virgem digníssima, recorda-te de nós e obtém que também em nós o Senhor faça essas grandes coisas!”

“Destas palavras não se pode concluir que, após o parto, Maria tenha tido consórcio conjugal. Não se deve crer nem dizer isto” (Obras de Lutero, edição Weimar, tomo 11, pg. 323).

“Não se deve adorar somente o Cristo? Mas não se deve honrar também a Santa Mãe de Deus? Esta é a mulher que esmagou a cabeça da serpente. Ouve-nos, pois o Filho te honra; Ele nada te nega.” ( Weimar, tomo 51, pg. 128s).

Como você vê, Marcello, nem Lutero concordaria com as tuas opiniões acerca da Mãe de Deus.

E, apenas para pôr todos os devidos pingos nos devidos “is”, não posso deixar de comentar tua “gritante” insinuação de que a Igreja vendia lugares no céu.

Desconfio que você esteja se referindo acerca das “vendas de indulgências”, não é verdade? Com o estilo que te é peculiar, novamente você resolveu gritar acerca de algo que não conhece. Indulgências não representam um lugar no céu, visto que as mesmas somente são concedidas após o perdão dos pecados. Além disto, as indulgências não são “compradas”, mas “lucradas” pelos fiéis que, no sentir da Igreja, praticam determinados atos meritórios.

E, para completar o fiasco da tua crítica (é impressionante como você não acerta uma!), a Igreja nunca parou de conceder indulgências aos seus fiéis. Concedia antes da Reforma, continuou concedendo depois, e concederá até o final dos tempos.

Lamento profundamente que você nutra um ódio tão grande por uma Igreja que conhece tão pouco.



A paz do Senhor !!

Marcello

Bem, depois de “gritar” conosco por toda a tua mensagem, você, quase que num sussurro, nos deseja a “paz do Senhor”. Tudo bem. Que o Senhor nos conceda a paz.

E que te conceda, igualmente, um espírito mais manso, uma sabedoria mais adulta, e um verdadeiro conhecimento da Igreja que Ele mesmo fundou sobre Pedro.

Alexandre.

Facebook Comments