Espaço do Leitor

Protestante se identifica como “católica” e pergunta: em quem crer? na igreja ou na bíblia?

1º E-Mail: 

[Leitor autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: Néia
Cidade/UF: Minas Gerais
Religião: Católica

Mensagem
========
Vejo que em inúmeras passagens a Biblia condena a idolatria (…). Ex 8,2 fala que Deus assiste na congregação divina no meio de deuses e estabeleçe seu julgamento.
“Eu disse: sois deuses, sois filhos dos Altíssimo; todavia, como homens morreis e como qualquer dos príncipes haveis de sucumbir”. O Salmo deixa claro.

Prezada Néia,Pax Christi!

Me chama a atenção o fato de você se declarar “católica” e, ao mesmo tempo, não crer no que ensina a Igreja Católica; muito pelo contrário, parece que você está mais para protestante do que para católica…

Sim! É verdade que a Bíblia traz diversos versículos condenando as imagens… Da mesma forma como traz também muitos outros versículos que aceita as imagens… O seu erro é confundir veneração com adoração… NENHUM CATÓLICO ADORA IMAGENS! O VERDADEIRO CATÓLICO VENERA OS SANTOS E SUAS IMAGENS, MAS ADORA TÃO SOMENTE A DEUS!

Por gentileza, leia os seguintes artigos para compreender melhor a doutrina católica e, assim, não confundir alhos com bugalhos:

A BÍBLIA CONDENA O USO DE IMAGENS? DEUS PERMITE A FABRICAÇÃO DE IMAGENS?https://www.veritatis.com.br/article/4478

LEITOR USA LIVRO DA SABEDORIA PARA PROVAR IDOLATRIA CATÓLICAhttps://www.veritatis.com.br/article/2817

MAIS DO MESMO: LEITOR CATÓLICO QUESTIONA SOBRE IMAGENShttps://www.veritatis.com.br/article/3573

– COMO EXPLICAR A EXISTÊNCIA DE TANTOS VERSÍCULOS CONDENANDO AS IMAGENS? – https://www.veritatis.com.br/article/4479

PROTESTANTE PERGUNTA SOBRE O CAPÍTULO 6 DE BARUC – (https://www.veritatis.com.br/article/4084)

Além desses artigos, o nosso Apostolado Veritatis Splendor já publicou muitos outros abordando a mesma questão, refutando outras “dificuldades” apontadas pelos protestantes. Encontre-os fazendo uso do mecanismo de pesquisa existente no topo superior direito do site.

Qualquer dúvida que permaneça e não tenha sido ainda abordada ou refutada por nosso site, favor voltar a nos contatar. Teremos o máximo prazer em respondê-la.

[]s
Que Deus te abençoe!
Carlos Nabeto


2º E-Mail:

A quem devemos seguir fiel? A Igreja ou a Bíblia? Qual a diferança entre venerar e adorar, e fazer procissão? (…)

Caríssima Néia,

Pax Domini!

> A quem devemos seguir fiel? A Igreja ou a Bíblia?

Nós, cristãos católicos, devemos seguir a Cristo, observando “tudo o que Ele nos mandar”, conforme sabiamente disse Maria em Caná (cf. João 2,5).

Mas quem é Jesus Cristo? É “o Caminho, a Verdade e a Vida” (cf. João 14,6), Filho único de Deus, Nosso Senhor, que “nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, de onde há de vir para julgar os vivos e os mortos”.

E quem pregou (e continua pregando) Cristo ao mundo INTEIRO, desde os primeiros tempos? A Igreja… Católica! (cf. Mateus 28,16-20; Marcos 16,14-15.19-20; Lucas 24,46-47; Efésios 3,10; etc.).

E quem fundou a Igreja? O próprio Cristo Jesus (cf. Mateus 16,18; Atos 2; 1Coríntios 12,28).

A quem a Igreja está submissa? À Bíblia? Não! A Cristo! (cf. Efésios 5,10). E foi exatamente por isso que Cristo se entregou à Igreja (cf. Efésios 5,25), de modo que a Igreja –  e não a Bíblia! – tem a honra de ser chamada “o Corpo de Cristo” (Colossenses 1,18.24)!

Quem é, pois, a coluna e o fundamento da Verdade? A Bíblia ou a Igreja? Paulo responde claramente: a Igreja! (1Timóteo 3,15).

E a Igreja tem autoridade sobre o cristão? Tem! A Igreja – e não a Bíblia – tem tanta autoridade que se alguém em erro “não ouvir a Igreja” deve ser considerada como “gentio ou cobrador de impostos”, ou seja, desprezada (Mateus 18,17); e, assim, TUDO o que a Igreja ligar na terra, será ligado nos céus; e o que for desligado na terra, será também desligado nos céus (Mateus 16,19; 18,18).

Daí a legitimidade da pergunta: quem definiu quais livros fazem parte da Bíblia, com o Antigo e o Novo Testamento? Foi a Bíblia? Em que livro, capítulo ou versículo??? Lógico que não! Foi a Igreja, no século IV d.C.

Com efeito, quem é filha de quem? A Igreja é filha da Bíblia OU a Bíblia é filha da Igreja?? Ora, se até o séc. IV d.C. não tínhamos a Bíblia como a conhecemos hoje, é evidente que a Bíblia é filha da Igreja, e não o inverso! Se a Bíblia fosse mãe da Igreja, certamente o Apóstolo São Paulo não teria dito tudo o que disse nos versículos acima… Certamente teria substituído a palavra “Igreja” por “Sagradas Escrituras”… E se estas fossem, de fato, a única regra de fé para o cristão, seria óbvio que o próprio Cristo definiria o cânon bíblico, não deixaria que se passassem quatro séculos para que alguém “com autoridade menor ou inexistente” suprisse a lacuna!

Fez falta a Bíblia nesses quatro primeiros séculos da Era Cristã? Não, porque os cristãos tinham a Igreja e criam nela, perseverando na fé “unanimemente em oração e súplicas”. E por que cremos na Bíblia? Simplesmente porque, como afirmamos todo domingo na Missa, durante a recitação do Credo Apostólico, “cremos na Santa Igreja Católica”. E, entre outras coisas, ela nos manda crer na Bíblia, afirmando que esta faz parte da Palavra de Deus, sendo, pois, inspirada pelo Espírito Santo! Logo, TUDO o que ali está escrito é verdade! Mas nem toda a verdade se encontra na Bíblia (cf. João 20,30; 21,25)… Por isso, a Bíblia NÃO É coluna e o fundamento da Verdade, mas a Igreja (cf. 1Timóteo 3,15).

A Bíblia durará até o fim do mundo? Cremos que sim, mas… por quê? Porque Cristo prometeu à IGREJA que ficaria com ela até a consumação dos séculos (Mateus 28,20) e que nem as portas do Inferno triunfariam sobre ela (Mateus 16,18). E assim como a Igreja protegeu e transmitiu as Escrituras Sagradas, quer do Antigo, quer do Novo Testamento, durante TODA a Idade Antiga Média, Moderna e Contemporânea, assim continuará o fazendo no futuro…

Porém, como quer que seja, a garantia de chegar ao fim do mundo foi dada UNICAMENTE à Igreja, não à Bíblia… Se esta, assim, alcançar o fim dos tempos, foi mais uma vez graças à Igreja e não o contrário!!

Em suma: devemos seguir a Cristo tal como a Igreja que Ele fundou sobre Pedro ensina e ordena (cf. Mateus 16,18; 18,17-18). A Pedro – e somente a Pedro e seus legítimos sucessores na terra – é que TODO o rebanho cristão foi confiado (cf. João 21.15-17) e as chaves do Reino (cf. Mateus 16,19).

> Qual a diferança entre venerar e adorar, e fazer procissão? (…)

Quanto a diferença entre veneração (dulia) e adoração (latria), por gentileza, leia os artigos que indicamos em nosso email anterior, em especial este: https://www.veritatis.com.br/article/4084/ , que aponta melhor essas diferenças.

No tocante às procissões, encontram-se devidamente fundamentadas na Tradição da Igreja e também na própria Bíblia (cf. Números 10,33-34; Josué 3,3; 6,4.9.11-14). Interessante observar aqui que a Arca da Aliança levada em procissão continha sobre ela duas imagens de querubins esculpidas sob a ordem DIRETA de Deus (cf. Êxodo 25,18-22), bem demonstrando que as imagens sacras não eram condenadas!

Espero tê-la ajudado!

[]s
Que Deus a abençoe!
Carlos Nabeto


3º E-Mail:

Paz de Cristo, caro irmão em fé

As igrejas que foram citadas na Biblia foram Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Filadélfia, Laodicéia, Coríntios, Galatas, Filipenses, Colossenses, Tessacolossences.

Me admira você não acreditar que as Escrituras foram inspiradas pelo Espirito Santo. Leia, por favor, Apocalipse 22:18. Você acha que a igreja acrescentou ou modificou as Escrituras?

Prezada Néia,Pax Domini!

Por favor releia com atenção o meu e-mail anterior. Quem disse que eu não creio nas Escrituras? Lógico que creio! Elas são de fato inspiradas por Deus! Mas quem transmitiu as Escrituras a nós? Quem falou que devemos crer nelas, eis que inspiradas? Foi a Igreja! Por isso que a própria Bíblia AFIRMA que a Igreja (e não a própria Bíblia) é a COLUNA e o FUNDAMENTO da Verdade (cf. 1Timóteo 3,15). Me admira, portanto, você dizer que acredita na Bíblia esquecendo que foi a Igreja quem a transmitiu durante 2 mil anos!

A Igreja Católica não acrescentou ou retirou nada da Bíblia, porque foi ela, com sua autoridade derivada de Cristo, quem apontou quais livros pertenciam a Bíblia! E este cânon bíblico só foi definido pela Igreja no século IV d.C., ou seja, DEPOIS da vinda de Cristo. Por outro lado, o cânon judaico, também só foi definido no século I d.C., e excluía todos os livros do Novo Testamento… Tal cânon não tem qualquer valor para nós, cristãos, eis que a definição se deu já na ERA CRISTÃ.

Como se sabe, na História, quem retirou livros da Bíblia cristã foi Lutero e outros Reformadores, cortando 7 livros do Antigo Testamento e quase cortando outros 7 do Novo (Lutero, aliás, afirmava categoricamente que o Apocalipse NÃO ERA INSPIRADO, ao contrário do que afirmava – e continua afirmando – a Igreja Católica).

Agora… Já que você só crê na Bíblia, poderia me apontar em qual LIVRO, CAPÍTULO E VERSÍCULO ela afirma que é a ÚNICA regra de autoridade para o cristão?

PS – Interessante que você se declarou católica quando escreveu pela primeira vez, mas sempre demonstrou não crer na Igreja (tal como fazem os protestantes), colocando-a abaixo da Bíblia; mais interessante agora é ver que você também cita a Bíblia como fazem os protestantes, usando dois-pontos para separar os capítulos dos versículos, ao invés da vírgula… Você é mesmo católica?

[]s
Carlos Nabeto


4º E-Mail:

Paz de Cristo!
Sim, católica desde que  nasci. Mas faz diferença ser catolica ou não? São meus estudos com a Bíblia que queria compartilhar com alguém especial e não um leigo.  Estudo a Bíblia há 6 meses e queria conher mais a doutrina e tentar entender algumas coisas gritantes, a meu ver. E você, estuda a Bíblia há quanto tempo? Foi catequista também, coroinha, e outras coisas?

5º E-Mail:

Pesquisei tudo o que fala sobre a Bíblia: 2timoteo 3.16, salmo 42.1,2, joao 17:17, isaias 11.9, romanos 1.16, joao 6, atos 17:31, mateus 11.28, salmo 119.19, 1timoteo 2.5, joao 10.9, isaias 55.7, joao 13.13, 1pedro 1.3, joao 13,1, exodo 3,5, isaias 1,2, joao 8.12, 1 samuel 3,9,10, filipenses 4.9. Se ler todos me reconhecerá?

6º E-Mail:

Joao 14:21-23 – se alguem me ama guardara a minha palavra e meu pai amara e viveremos e faremos nele morada / Joao 15:7 – se permaneceis em em mim e as minhas palavras permanecem em vos pedirieis o que quiseres e vos sera feito. Leia o 8. Eu sou de Jesus; e voce é de quem? Deus seja louvado

Caríssima Néia,   Pax Domini!   Agradeço novamente por escrever.   Você diz ser católica desde que nasceu. Então dê graças a Deus por essa imensa graça que seus pais lhe proporcionaram, confiando-a a essa grande Mãe, que é a Igreja Católica, fundada pelo próprio Senhor sobre Pedro (cf. Mateus 16,16-18; Lucas 22,32; Atos 2). Você, então, deveria se atentar para o que está escrito em Provérbios 1,8: “Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe”, visto que, infelizmente, parece estar seguindo nesse rumo…   Com efeito, sendo católica e indo às missas todos os domingos, ao recitar o Credo dos Apóstolos logo após a homilia, você afirma: “[Creio] na Santa Igreja Católica”. E foi graças exclusivamente a essa Igreja que TODOS os textos da Bíblia puderam chegar às suas mãos, tendo em vista os árduos esforços dos monges copistas – católicos – que copiaram, palavra por palavra, livro por livro, os textos que você agora lê e – infelizmente – quer empregá-los contra a sua Mãe, que é a Igreja.   Você diz que lê a Bíblia há seis meses e gostaria de compartilhar os seus estudos com alguém que não seja leigo… Eu estudo a Bíblia desde 1988 e, diante da Igreja que amo, continuarei sendo leigo, ainda que venha fazer um doutorado em Sagradas Escrituras… Nunca poderei acumular nos próximos 10, 20, 30 ou 40 anos que me restam a “bagagem” e a experiência da interpretação de 2.000 anos que a Igreja Católica possui… E, como ex-protestante, me alegro de estar agora seguro, na barca de Pedro, onde pude ver e constatar que a interpretação católica das Escrituras é a mais sólida e fundamentada; e te garanto que o mesmo podem dizer todos os demais ex-protestantes que agora fazem parte do Apostolado Veritatis Splendor.   E, como dizia o próprio Apóstolo Pedro (2Pedro 3,16), na Bíblia há muitas passagens difíceis, que os indoutos torcem para a própria perdição. Portanto, é à Igreja que cabe unicamente a tarefa de interpretação e não a nós, seres humanos limitados! Repare, p. ex., nas denominações protestantes… Quantas existem? Seguramente, mais de 40 mil… Todas se dizem “evangélicas”, mas pregam todas a mesma doutrina como ordena São Paulo (1Coríntios 1,10)? Umas crêem na Trindade, outras não. Algumas crêem em 7 sacramentos, outras em 3, outras em 2, outras em nenhum. Umas crêem no Inferno, outras não. Umas dizem que o dia de guarda é o domingo, outras que é o sábado. E por aí vai a divisão… Qual é a certa? Pode o verdadeiro Espírito Santo soprar uma coisa pra você e soprar outra coisa totalmente oposta para os outros? Leia o que diz Paulo em Romanos 16,17-18!!!

Com efeito, onde se encontra o livre exame na Bíblia, como vem fazendo você nestes últimos 6 meses, lendo a Bíblia privadamente? Já tentou ler a Bíblia como lê a Igreja Católica e sua experiência de 2000 anos?? Ou pretende fundar uma nova “denominação cristã”, como fizeram milhares de outros que adotaram essa doutrina antibíblica?   A Igreja sobre Pedro recebeu a garantia de durar até o último dia! Alguém mais recebeu essa garantia? Por que será, então, que surgem e DESAPARECEM tantas “igrejas evangélicas” todos os dias, no Brasil e no mundo???   Você, em novo e-mail, diz que pesquisou todas as passagens que fala sobre a Bíblia… Então eu te pergunto agora (e já aproveito para responder):   1) Alguma dessas inúmeras passagens utiliza, literalmente, a palavra “Bíblia”? Com certeza não! Você deve ter encontrado, no máximo, expressões do tipo “Escrituras”, “Sagradas Escrituras” etc. e faz uma ligação natural com a Bíblia que tem em mãos… Por quê? Porque foi a Igreja Católica quem definiu no século IV todos os livros que fazem parte da Bíblia!!! Logo, até o século IV não existia a Bíblia, mas apenas rolos avulsos contendo textos tidos por sagrados, alguns dos quais, porém, não eram tidos por inspirados por todas as igrejas (ex.: Apocalipse, Hebreus, 2Pedro, 2João, 3João, Tiago, Judas)…   2) Algum dos versículos que você apresenta menciona expressamente ou mesmo implicitamente quais livros do Novo Testamento (NT) são inspirados por Deus? Algum deles auto-afirma que é inspirado? Não, nenhum! Por que, então, você aceita os 27 livros do NT que estão na sua Bíblia? Porque a Igreja Católica, com sua autoridade derivada de Cristo, assim determinou no séc. IV, colocando um ponto final às discussões que ora ocorriam nas comunidades locais… O Apóstolo Pedro equipara (2Pedro 3,16) as cartas de Paulo às Escrituras, mas QUAIS cartas? Todas as 14? E a carta aos Laodicenses (Colossenses 4,16), que não foi preservada pela Igreja, estaria incluída ou não nesse cânon? E a carta aos Hebreus – que muitos afirmam, inclusive protestantes, que não foi escrita por Paulo, mas por um discípulo dele – estaria incluída ou excluída?   3) Desta forma, a que se refere afinal as citações do NT que você me traz? À Bíblia Cristã (AT+NT), tal como você a tem em mãos (com 66 [versão protestante] ou 73 livros [versão católica]) ou à Bíblia Judaica (AT), com 39 [cânon palestinense] ou 46 livros [cânon alexandrino]? Será que, em alguma delas, a doutrina protestante da “Sola Scriptura” (=apenas a Bíblia) estaria exposta, posicionando a Bíblia acima da Igreja, como você tem feito desde o seu 1º email? Pois vejamos (organizando melhor os versículos que você forneceu):
Comecemos pelas Epístolas Paulinas:

– Romanos 1,16 – “Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego” – Não se trata dos Evangelhos escritos, como você encontra na sua Bíblia, pois estes ainda não tinham sido redigidos… Trata-se, na verdade, do Evangelho pregado oralmente, já “que a fé vem pelo ouvido”, como ele mesmo afirma na própria carta aos Romanos 10,16-17 e também, no mesmo sentido, em Efésios 1,13;  Filipenses 4,9;. 1Tessalonicenses 1,8, 2Timóteo 4,17.

– Filipenses 4,9 – “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco” – Perfeitamente!! Mais uma vez, se trata da Tradição oral!! Repare que o Apóstolo não usa o termo “lestes [a Bíblia]”, “mas o que aprendestes, recebestes, ouvistes e vistes”. Este versículo, portanto, não tem nada à ver com a Bíblia, mas com a Sagrada Tradição.

– 1Timoteo 2,5 – “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” – Este versículo também não faz qualquer referência à Bíblia, mas à pregação central da mensagem cristã, a qual continua sendo pregada até hoje pela Igreja Católica (não obstante muitos protestantes fundamentalistas quererem distorcer as coisas; a propósito, o Apostolado Veritatis Splendor já refutou inúmeras vezes esta acusação).

– 2Timoteo 3,16 – “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;” – Duas coisas que você precisa reparar neste versículo: 1ª) A maioria dos livros do NT ainda não tinham sido redigidos quando Paulo escreveu este versículo; portanto, ele está se limitando ao Antigo Testamento; 2ª) Paulo fala que a Escritura (=AT) é PROVEITOSA, não que ela é a ÚNICA regra de fé para o cristão; até porque a “coluna e o fundamento da Verdade” é a IGREJA e não a Bíblia, como ele mesmo escreve (cf. 1Timóteo 3,15)!!! 😉

Passemos, agora, para os Evangelhos e os Atos dos Apóstolos. Você me aponta os seguintes versículos:

– Mateus 11,28 – “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” – Este versículo nada tem a ver com a Bíblia em si. Trata-se, como em 1Timoteo 2,5, da mensagem cristã, tal como a Igreja Católica sempre pregou.

João 6 – Também não se refere à Bíblia, mas contém o famoso discurso de Jesus, “o Pão da Vida”. Neste discurso percebe-se claramente a futura instituição da Eucaristia – “Eu sou o Pão vivo que desceu do céu (…) A minha carne É VERDADEIRA comida e o meu sangue É VERDADEIRA bebida” – , que se dará mais tarde, na 5ª-Feira Santa: “Isto É o meu Corpo” / “Isto É o meu Sangue” / “Fazei isto em memória de Mim” – E assim as Igrejas Católica e Ortodoxa fazem há 2.000 mil anos, fielmente cumprindo a Palavra de Cristo.

João 8,12 – “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.” – Novamente não fala sobre a Bíblia, mas a mensagem cristã pregada e propagada pela Igreja Católica há 2.000 anos…

João 10,9 – “Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.” – Idem!!!

João 13,1 – “ORA, antes da festa da páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim.” – Idem!!!

João 13,13 – “Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou.” – Idem!!!

João 17,17 – “Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” – Idem, mas este versículo faz parte da famosa oração de Jesus pela UNIDADE de seus discípulos. Felizmente, quanto à unidade, SÓ a Igreja Católica se mantém una! É aliás, uma das marcas distintivas da verdadeira Igreja de Cristo (as outras 3 – santidade, catolicidade e apostolicidade, também SÓ estão presentes na Igreja Católica). O Protestantismo, além de não se manter uno (nem possuir as demais marcas), consegue dividir o rebanho cada vez mais com suas doutrinas antibíblicas de “Sola Scriptura” (=Apenas a Bíblia) e “Livre Exame das Escrituras”.
– Atos 17,31 – “Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.” – Verificamos que Paulo está pregando no Areópago de Atenas; mas observe que ele NÃO CITA APENAS a Bíblia para pregar a mensagem cristã, mas também a obra “Os Fenômenos” de Arato (17,28) e ainda louva os atenienses (pagãos) por terem erguido um altar “Ao Deus desconhecido” (17,23). Portanto, ainda que Paulo expresse idéias bíblicas relativas ao AT e a mensagem cristã (já que o NT ainda não existia nessa época!!), verifica-se que a Igreja Católica tem toda a razão ao afirmar que “Tudo o que consta na Bíblia é verdade; mas nem toda a verdade se encontra na Bíblia” (cf. João 20,30; 21,24-25).

Vejamos, por fim, sua última citação do Novo Testamento:

1 Pedro 1,3 – “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” – Esta passagem também não tem nada a ver com a Bíblia, nem demonstra que ela é a única regra de fé para o cristão! Expressa apenas a mensagem que a Igreja Católica prega há 2 milênios!

Passemos, agora, para o Antigo Testamento

– Êxodo 3,5 – “E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.” – Não tem nada a ver com a Bíblia…

1Samuel 3,9-10 – “Por isso Eli disse a Samuel: Vai deitar-te e há de ser que, se te chamar, dirás: Fala, SENHOR, porque o teu servo ouve. Então Samuel foi e se deitou no seu lugar. Então veio o SENHOR, e pôs-se ali, e chamou como das outras vezes: Samuel, Samuel. E disse Samuel: Fala, porque o teu servo ouve.” – Também não tem nada a ver com a Bíblia…

Salmo 42,1-2 – “ASSIM como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus! A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?” – Idem

Salmo 119,19 – “Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.” – Idem (Obs.: os Mandamentos de Deus são explicados detalhadamente no Catecismo da Igreja Católica).

– Isaias 1,2 – “Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, tu, ó terra; porque o SENHOR tem falado: Criei filhos, e engrandeci-os; mas eles se rebelaram contra mim.” – Idem (Obs.: este versículo, porém, é muito interessante quando comparado com este outro, do Novo Testamento: “Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão; Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à IGREJA; e, se também não escutar a IGREJA, considera-o como um gentio e publicano” (Mateus 18,15-17). Pergunta-se, então: quem é a autoridade final para o cristão que está no erro? A Bíblia? Não, é mais uma vez a IGREJA!!!!)

– Isaias 11,9 – “Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar.” – Outro versículo que não se refere à Bíblia…

– Isaias 55,7 – “Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar.” – Pergunto: e como se faz isso? Lendo a Bíblia sozinho (sola scriptura) e interpretando-a ao seu bel prazer (livre exame)? Não, ouvindo Cristo Jesus através do ensino da Igreja fundada sobre Pedro, a quem coube a guarda de TODO o rebanho (cf. João 21,15-17).Constanto agora que, antes mesmo de eu encaminhar a minha resposta a estes  seus dois emails, você me remete um terceiro, citando João 14,21-23 e 15,7 (que também não fazem qualquer referência à Bíblia como “regra de fé”), e perguntando-me se eu sou de Jesus… Respondo: com certeza! Pois a Igreja Católica prega há dois mil anos o MESMO Jesus (ontem, hoje e sempre!)… Pena que as milhares de denominações que se afastaram da Igreja de Roma ainda não chegaram a um “consenso” sobre quem e como é Jesus, de modo que cada uma delas – graças às heresias da sola scriptura e livre exame – conseguiram criar mais de 40 mil Cristos, desde o mais severo e radical até o mais relativista e bonachão… Por isso:

“Se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito” (Mateus 24,23-25).

Com efeito, como bem apontou o Apóstolo João: “Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos” (1João 2,19).

Assim, “quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça!”

[]s,
Que Deus a abençoe e fortaleça!
Carlos Nabeto


7º E-Mail:

Já que você citou que é ex-protestante, como foi essa mudança e por quê? Quem é Jesus para você? A religião salva????? Você é contra todos que lêem e meditam sobre a Bíblia? Lembra o que fez Lutero? Fez com que todos fizessem manuseio dessa imensa riqueza que antes era escondida. E sobre as várias igrejas? NADA ACONTECE SEM A PERMISSÃO DO SENHOR. A PAZ DE CRISTO!

Prezado Edinéia,   Pax Domini!   Cada vez mais me convenço que você não é católica como diz ser… As suas posições são tipicamente protestantes e mesmo quando instada a considerar os argumentos que apresentamos, você retorna com outras questões de índole originalmente protestante…

E vejo que – até agora – embora você fale de Bíblia, Bíblia, Bíblia, ainda não apontou em qual livro, capítulo e versículo a Bíblia afirma que ela – e não a Igreja – é que é a única regra de fé para o cristão…

Pois bem. O meu testemunho como ex-protestante encontra-se em https://www.veritatis.com.br/article/157   Quem é Jesus para mim? É o mesmo que é crido pelos católicos de todo o mundo: Verdadeiro Deus e Verdadeiro Homem, Filho Unigênito do Deus Vivo, Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, Consubstancial a Deus Pai, Verbo de Deus, Filho concebido no tempo pelo Espírito Santo no seio da Santíssima, Bem-Aventurada e Sempre Virgem Maria, muito embora gerado do Pai antes de todo o tempo. Nascido na Palestina há cerca de 2 mil anos; honrou e amou os pais terrestres até o fim; pregou o Reino de Deus, selecionou 12 Apóstolos, prometeu estabelecer – sobre Pedro – uma Igreja invencível; proporcionou inúmeras curas, milagres e sinais; entrou triunfantemente em Jerusalém, quando contava com cerca de 33 anos e, uma semana depois, foi condenado à morte, na época da Páscoa, pelos clérigos judeus, com assentimento da autoridade romana que então dominava a região; foi crucificado, morreu e foi sepultado; desceu para pregar a Boa Nova aos mortos, ressuscitou no domingo da Páscoa, apareceu aos seus díscipulos, confirmou que mandaria-lhes o Espírito Santo, colocou TODO o rebanho cristão sob os cuidados de Pedro e ascendeu aos céus – o que, de fato, cumpriu. Este Jesus – Caminho, Verdade e Vida, Bom Pastor, Admirável Conselheiro, Emanuel etc. –  é o meu Salvador, meu Senhor e meu Deus, em quem deposito toda a minha esperança e minha fé (e, assim como eu, todos os católicos podem afirmar o mesmo). Em resumo é isso; mas seriam inesgotáveis as palavras que poderia usar para falar sobre Cristo e que devo à minha Mãe, que é a Igreja, noiva de Cristo (cf. Apocalipse 21,9).   A religião salva?  Por gentileza, leia com atenção a refutação que preparei para o folheto “É suficiente ser católico?”, que pode ser encontrada aqui: https://www.veritatis.com.br/article/3728/   Se sou contra todos que lêem e meditam na Bíblia? Como eu poderia ser contrário a esse ensinamento se a própria Igreja Católica aponta para os seus filhos? Porém, isso não significa que o leitor tem o direito de interpretar a Bíblia ao seu bel-prazer, nem que possa achar pessoalmente que a Bíblia está acima da Igreja! A Igreja quer que seus filhos leiam a Bíblia com responsabilidade e objetividade como faz a Igreja, não de forma sectária e subjetivista como faz normalmente o protestante (e assim cada vez mais divide o rebanho de Cristo, que já não fala ou crê unanimemente nas mesmas coisas).   Você acha que Lutero “deu a Bíblia ao povo” e que a Bíblia ficava escondida na Igreja? Pois você está redondamente enganada… A Bíblia só chegou a Lutero (e a você) porque a Igreja Católica, por seus monges copistas, se deram ao trabalho de copiá-la à mão; porque o católico Guttemberg, 100 anos antes de Lutero, inventou a imprensa de tipos móveis e imprimiu muitas Bíblias, com o apoio da Igreja Católica. E até mesmo a tradução da Bíblia para as línguas vernáculas não foi devida a Lutero. Como bem observa Lluís Pifarré, em seu artigo “Lutero e a Bíblia” (http://www.apologeticacatolica.org/):

São testemunhos desta atividade bíblica [na Idade Média] os mais de 8.000 manuscritos antigos que se conservam da Vulgata latina, além do que, entre os anos de 1450 e 1522, foram impressas mais de 160 vezes a denominada ‘Biblia Pauperum’, tida como que o catecismo das pessoas mais simples.

A respeito da publicação de Bíblias na língua alemã, devemos ressaltar que muito antes de ser publicada a Bíblia de Lutero, já tinham sido catalogadas nada menos que 18 traduções, sendo 14 em alto alemão e 4 em baixo alemão. Delas é possível destacar a tradução completa da Bíblia, promovida no século XIV na Baviera, cuja publicação teve tão boa acolhida que o impressor Johan Mentelin a editou em outras 13 oportunidades, convertendo-a numa espécie de “Vulgata alemã”. Poderíamos acrescentar a este balanço as numerosas edições parciais dos Saltérios, Epistolários e Evangeliários, muitos deles traduzidos em diversas línguas vernáculas. Um dos inúmeros poemas populares existentes na Alemanha do século XV, intitulado ‘A Barca dos Loucos’, fazia referência a este dinamismo bíblico em um de seus versos: ‘Todos os países estão atualmente inundados das Sagradas Escrituras e daquelas coisas que afetam a saúde das almas’.

Se este conjunto de dados desmente a acusação genericamente feita contra a Igreja Católica, sobre o seu suposto desinteresse para dar a conhecer a Bíblia, será o historiador Francesc Falk quem esclarecerá melhor a falta de base destas acusações, através do seu livro ‘Die Babel am Ausgange del Mittelalters’ (=As Bíblias Produzidas na Idade Média), publicado na Mogúncia em 1905. Nesta obra, afirma que na linha cronológica existente entre a invenção da imprensa (cerca do ano 1450) até o ano de 1520, foram traduzidas mais de 156 edições de Bíblias católicas, número que para aquela época não era nada mal. Devemos recordar também da tradução da Bíblia organizada pelo Card. Jiménez de Cisneros, publicada em 6 volumes em julho de 1517, sob a denominação ‘Bíblia Poliglota Complutense’, em cuja confecção interveio uma prestigiosa equipe de humanistas, filólogos e orientalistas que, entre outras coisas, tiveram o acerto de transcrever de forma paralela os textos originais do grego, hebraico e aramaico ao lado da correspondente tradução latina.”  Remova, assim, todos esses mitos da cabeça. E, para ajudar ainda mais, leia estes outros artigos:

A IGREJA PROIBIU A LEITURA DA BÍBLIA?

https://www.veritatis.com.br/article/288

OS CATÓLICOS ACREDITAM NA BÍBLIA?

https://www.veritatis.com.br/article/180

QUEIMA DE BÍBLIAS E OUTRAS ALEGAÇÕES

https://www.veritatis.com.br/article/175

Você diz ainda que o Diabo e Jesus citavam as Escrituras (cf. Lucas 4; 24,27; Tiago 5)… Sim, Lucas, Pedro, Paulo, Tiago, Inácio, Policarpo, Clemente, Agostinho Jerônimo e a Igreja Católica também… Mas a pergunta que se faz é: SÓ as Escrituras??? Não!!! Paulo cita poetas gregos; Judas Tadeu cita livros apócrifos… O que vale é a Verdade, não só a Bíblia!!!!

Que Deus te abençoe e ilumine, para que você venha a ser DE FATO católica![]s
Carlos Nabeto


8º E-Mail:

Sim e sim e não e não. Vamos entrar em comum acordo? Quem salva? Jesus usava versiculos pra responder aos incrédulos, até Satanás. Quem é unico mediador? E sobre o primeiro mandamento?  O que  a igreja entende? Responda a que conclusão você chegou. Paz de Cristo!

Edinéia,

Pax Domini!   Você me tem enviado inúmeras perguntas, às quais tenho sempre respondido da forma como creio e da forma como toda a Igreja Católica crê desde o princípio.   Por outro lado, vejo que você tenta – a todo custo – manter-se “apenas na Bíblia”, como se ela – na sua interpretação pessoal – fosse suficiente e única regra de fé para o cristão (o que são graves equívocos), dispensando a Igreja. Até agora você não me respondeu a ÚNICA pergunta que te fiz: onde a própria Bíblia afirma que ela é a única regra de fé para o Cristão??   Já expliquei, em detalhes, as razões da minha esperança (cf. 1Pedro 3,15), com inúmeros versículos bíblicos, e você, até agora, ainda não apontou o versículo que eu tanto te peço!! Justo você que tanto quer se fundamentar na Bíblia…   Quanto à sua nova série de perguntas, você – como católica que afirma ser – já sabe as respostas! Ou deveria saber! E se tem dúvidas, por favor utilize a ferramenta de pesquisa existente no canto superior direito da página principal do Veritatis Splendor (https://www.veritatis.com.br), pois já as respondemos todas em detalhe!   []s Que Deus a ilumine

Carlos Nabeto

* * *

9º E-Mail:

O único mediador é Jesus de Nazaré, o único Filho de Deus. Várias vezes Jesus, o Senhor, usou as Escrituras para os incrédulos, até para apartar Satanás (Lucas 4; Lucas24:27). Jesus é o único mediador. O 1º madamento é amar a Deus sobre todas as coisas, e [não] sobretudo os outros deuses. Leia o Salmo 82 e saberá que é pecado idlolatrar os outros deuses, venerar prestar, dar culto. E eu sou batizada há três meses na igreja presbiteriana. Converti ao Senhor Jesus como único e verdadeiro salvador e estudo a bilbia todos os sábados. Eu e minha familia somos muitos felizes; nós brigavamos muito, só faltou me matar; estava sem casa sem, emprego e meu marido tinha outras mulheres; hoje tudo foi restaurado. Se pudesse, ficaria falando do meu testemunho por muitos e muitos e-mails. Apenas fiz um resumo e meu maior prazer é levar o Evagelho aonde eu for. E disse que sou católica desde que nasci pois é verdade; eu era. Mas depois de um depressão, ouvi uma música evangelica e busquei mais e mais o Senhor Jesus e aceitei o salvador. Que nosso Senhor Jesus te ilumine todos os dias de sua vida, que o faça um vaso de bênção por onde for. Deus sabe de todas as coisas.

Cara Edinéia,

Pax Christi!

É uma pena que você resolveu ser sincera SOMENTE AGORA, NESTE SEU ÚLTIMO E-MAIL!

Você afirma que se fez batizar há três meses na Igreja Presbiteriana… Logo, você FALTOU COM A VERDADE em seus emails anteriores: você NÃO ERA católica (se é que DE FATO você alguma vez chegou a ser católica). Quando foi que você nos escreveu pela primeira vez? Nós nos lembramos: foi no dia 16 de abril deste ano de 2008, ou seja, há exatos 8 (oito) dias. E veja como você se identificou:

[Leitor autorizou a publicação de seu nome no site] Nome do leitor: neia
Cidade/UF: minas gerais
Religião: Católica

Pergunto: você era católica há 8 dias atrás? NÃO! Não era, pois se converteu ao Protestantismo há 3 meses atrás, como você agora confessa! E porque foi batizada? Você já não tinha sido batizada de pequena? Os presbiterianos aceitam o batismo das crianças, mesmo quando batizadas na Igreja Católica, e não rebatizam; você omitiu esse fato à nova igreja? Ou os líderes dela já inovaram nessa doutrina? Em seu “Institutas”, Calvino escreveu:

“Principalmente através do batismo a aliança do Senhor é confirmada conosco, corretamente batizamos nossos filhos porque eles já são participantes da aliança eterna pela qual o Senhor promete (Gn17. 1-14) que ele será não apenas o nosso Deus, mas também de nossa posteridade”.

E também:

“O proveito que os filhos recebem é que a igreja reconhecem-nos como membros seus, os tem em maior estima. E eles, ao se tornarem maiores tem ocasião de voltar-se mais ao serviço de Deus, que se manifestou como Pai antes mesmo que tivessem entendimento para compreende-lo, recebendo-os no número dos seus desde o seio de sua mãe” (4,16,9).

Porém, o mais interessante de tudo isso é que nós, por várias vezes, diante do seu precário argumento protestante (e pouco conhecimento católico), perguntamos se você era MESMO católica – pois já estávamos pressentindo que você não estava sendo sincera conosco. Veja só quantas vezes questionamos você:

– [16.04.2008] “Chama a atenção o fato de você se declarar ‘católica’ e, ao mesmo tempo, não crer no que ensina a Igreja Católica; muito pelo contrário, parece que você está mais para protestante do que para católica”

– [21.04.2008] “Interessante que vc se declarou católica quando escreveu pela primeira vez, mas sempre demonstrou não crer na Igreja (tal como fazem os protestantes), colocando-a abaixo da Bíblia; mais interessante agora é ver que vc também citar a Bíblia como fazem os protestantes, usando dois-pontos para separar os capítulos dos versículos, ao invés da vírgula… Vc é mesmo católica?”

– [22.04.2008] “Você diz ser católica desde que nasceu. (…) Você, então, deveria se atentar para o que está escrito em Provérbios 1,8: ‘Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe’, visto que, infelizmente, parece estar seguindo nesse rumo… (…) Com efeito, onde se encontra o livre exame na Bíblia, como vem fazendo você nestes últimos 6 meses, lendo a Bíblia privadamente? Já tentou ler a Bíblia como lê a Igreja Católica e sua experiência de 2000 anos?? (…)”

– [23.04.2008] “Cada vez mais me convenço que você não é católica como diz ser… As suas posições são tipicamente protestantes e mesmo quando instada a considerar os argumentos que apresentamos, você retorna com outras questões de índole originalmente protestante…”

– [24.04.2008] “Você me tem enviado inúmeras perguntas, às quais tenho sempre respondido da forma como creio e da forma como toda a Igreja Católica crê desde o princípio. Por outro lado, vejo que você tenta – a todo custo – manter-se “apenas na Bíblia”, como se ela – na sua interpretação pessoal – fosse suficiente e única regra de fé para o cristão (o que são graves equívocos), dispensando a Igreja. Até agora você não me respondeu a ÚNICA pergunta que te fiz: onde a própria Bíblia afirma que ela é a única regra de fé para o Cristão??”

Infelizmente, você não foi sincera, não falou a verdade nos seus e-mails anteriores – sempre se dizendo católica – e, agora, querendo (talvez) justificar o injustificável, declara: “e disse que sou católica desde que nasci, pois é verdade: eu era”. Ora, se “ERA” não “É”… Desta forma, TALVEZ você FOSSE “católica” até três meses atrás. Mas há três meses, PELO MENOS, você É protestante (e só isso explica suas posições e questionamente nitidamente protestantes).

Em outras palavras, DESDE A 1ª VEZ QUE FEZ CONTATO CONOSCO, VOCÊ JÁ ERA PROTESTANTE. E ASSIM QUIS SER VISTA ATÉ O ÚLTIMO E-MAIL QUE NÓS TE ENCAMINHAMOS há algumas horas…

Lamentável, portanto, a sua atitude… Seu sim não foi sim… E se você, com isto, acha que “se converteu ao Senhor Jesus”, então concluímos que o SEU “Jesus” não é o nosso (graças a Deus!), pois o nosso é “o caminho, a VERDADE e a vida”, não se conforma com a inverdade (cf. João 8,44)…

Interessante também que você ficou o tempo todo querendo refutar a importância e o papel da Igreja, mas també foi procurar abrigo debaixo de… outra igreja… E assim, como vemos agora, os SEUS estudos da Bíblia não são realmente SEUS; são os da sua denominação protestante… Diante da precariedade do seu conhecimento da fé católica, você simplesmente assimilou a interpretação bíblica da sua nova igreja, só isso… Agora, a qual igreja presbiteriana você se converteu? À IPI, à IPR, à IPB, à IPP ou, ainda, a algum outro ramo presbiteriano (já que eles mesmos não chegaram a um consenso doutrinário? Tem até igreja presbiteriana que apóia oficialmente a Maçonaria!). Por que não fica APENAS COM A BÍBLIA, já que a igreja é totalmente dispensável para você?

Aliás, já que você está frequentando “outra igreja”, que prega – em tese – que a Bíblia é a única regra de fé para o cristão (embora, na realidade, seus líderem passem para os fiéis a sua própria tradição de interpretação bíblica), porque não pede para que eles também demonstrem para você onde a Bíblia afirma que ela – e apenas ela – é a única regra de fé, colocando a igreja de lado??? Pois até agora você não conseguiu nos demonstrar isso, embora instada a fazê-lo em nossas mensagens anteriores…

No mais, verificamos que você simplesmente passou por cima de tudo o que dissemos e recomendamos; principalmente no tocante aos artigos que apontamos para seu maior aprofundamento espiritual, pois era isso que você pretendia (ao menos era o que nos dizia).

Contudo, como este será o nosso ÚLTIMO EMAIL – pois não há como prosperar o diálogo quando uma das partes não é sincera desde o princípio – vamos mostrar como você, DE FATO, nunca foi católica, pois desconhece por completo a doutrina católica constante no livro mais simples da Igreja, que é o Catecismo:

– Você escreve como protestante: “O único mediador é Jesus de Nazaré; Jesus é o único mediador”

– A Igreja Católica afirma (e sempre afirmou): “Jesus Cristo é Senhor: possui todo poder nos céus e na terra. Está “acima de toda autoridade, poder, potentado e soberania”, pois o Pai “tudo submeteu a seus pés (Ef 1,20-22). Cristo é o Senhor do cosmo e da história. Nele, a história do homem e mesmo toda a criação encontram sua “recapitulação”‘ sua consumação transcendente. Jesus, O ÚNICO MEDIADOR, é o Caminho da nossa oração” (CIC §§ 668 e 2674).

– Conclusão: o ensino que você recebeu em sua comunidade protestante é CATÓLICO! Logo, não precisava ter se convertido ao Protestantismo para sabê-lo…

– Você escreve como protestante: “Jesus de Nazaré, o único Filho de Deus”

– A Igreja Católica afirma (e sempre afirmou): “Os Evangelhos narram em dois momentos solenes – o Batismo e a Transfiguração de Cristo – a voz do Pai a designá-lo como seu “Filho bem-amado”. Jesus designa-se a si mesmo como “o Filho Único de Deus” (Jo 3,16) e afirma com este título sua preexistência eterna. Exige a fé “em nome do Filho Único de Deus” (Jo 3,18). Esta confissão cristã aparece já na exclamação do centurião diante de Jesus na cruz: “Verdadeiramente este homem era Filho de Deus” (Mc 15,39), pois somente no Mistério Pascal o fiel cristão pode entender o pleno significado do título “Filho de Deus”.” (CIC §444)

– Conclusão: o ensino que você recebeu em sua comunidade protestante é CATÓLICO! Logo, não precisava ter se convertido ao Protestantismo para sabê-lo…

– Você escreve como protestante: “Várias vezes Jesus, o Senhor, usou as Escrituras para os incrédulos até para apartar Satanás (Lucas 4; 24:27)”

– A Igreja Católica afirma (e sempre afirmou): “Na Sagrada Escritura, a Igreja encontra incessantemente seu alimento e sua força, pois nela não acolhe somente uma palavra humana, mas o que ela é realmente: a Palavra de Deus. (…) Deus é o autor da Sagrada Escritura. ‘As coisas divinamente reveladas, que se encerram por escrito e se manifestam na Sagrada Escritura, foram consignadas sob inspiração do Espírito Santo” (CIC §§ 104-105).

– Comentário: é óbvio que Cristo (assim como os Apóstolos e a Igreja Católica) citam versículos bíblicos, pois trata-se da Palavra de Deus escrita!!! A grande questão é: Cristo (os Apóstolos e a Igreja) SÓ CITAM versículos bíblicos? É evidente que não, pois “Ficaram todos tão admirados, que perguntavam uns aos outros: ‘Que é isto? Eis um ensinamento NOVO, e feito COM AUTORIDADE!” (cf. Marcos 1,27). E essa autoridade foi repassada aos Apóstolos e à Igreja (cf. Mateus 27,18-20): “Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: TODA AUTORIDADE me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, e ENSINAI a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. ENSINAI-AS a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco TODOS OS DIAS, ATÉ O FIM DO MUNDO”. Pergunta-se: onde estava a SUA igreja até o século XVI para poder cumprir esta ordem do Senhor Jesus?

– Conclusão: o ensino que você recebeu em sua comunidade protestante (se é que você recebeu mesmo esse ensino lá) não é CATÓLICO, nem mesmo BÍBLICO!

– Você escreve como protestante: “O 1º mandamento é amar a Deus sobre todas as coisas”

– A Igreja Católica afirma (e sempre afirmou): “[O 1º Mandamento é] Amarás ao Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a alma e de todo o entendimento” (CIC, § 2083).

– Conclusão: o ensino que você recebeu em sua comunidade protestante é CATÓLICO! Logo, não precisava ter se convertido ao Protestantismo para sabê-lo…

– Você escreve como protestante: “Sobre todos os outros deuses, leia Salmo 82, e saberá que é pecado idolatrar os outros deuses, venerar, prostar, dar culto”.

– A Igreja Católica afirma (e sempre afirmou): “A intercessão dos santos. ‘Pelo fato de os habitantes do Céu estarem unidos mais intimamente com Cristo, consolidam com mais firmeza na santidade toda a Igreja. Eles não deixam de INTERCEDER por nós junto ao Pai, apresentando os méritos que alcançaram na terra pelo ÚNICO MEDIADOR de Deus e dos homens, Cristo Jesus. (…) A missão materna de Maria em favor dos homens de modo algum obscure nem diminui a MEDIAÇÃO ÚNICA de Cristo; pelo contrário, até ostenta sua potência, pois todo salutar influxo da bem-aventurada Virgem (…) deriva dos superabundantes méritos de Cristo, estriba-se na sua MEDIAÇÃO, dela depende inteiramente e dela aufere toda a sua força. (…) O primeiro mandamento proíbe prestar honra a outros DEUSES afora o único Senhor que se revelou a seu povo. (…) Exige que o homem não acredite em outros deuses afora Deus, que NÃO VENERE outras divindade afora a única. (…) No entanto, desde o Antigo Testamento, Deus ORDENOU ou PERMITIU a instituição de imagens que conduziriam simbolicamente à salvação através do Verbo encarnado, como são a serpente de bronze (cf. Num. 21,4-9; Sab. 16,5-14; Jo 3,14-15), a Arca da Aliança e os querubins (cf. Ex. 25,10-22; 1Reis 6,23-28; 7,23-26). (…) A idolatria não diz respeito somente aos falsos cultos do paganismo. Ela é uma tentação constante da fé. Consiste em divinizar o que não é Deus. Existe idolatria quando o homem presta honra e veneração a uma criatura em lugar de Deus, quer se trate de deuses ou de demônios (por exemplo, o satanismo), do poder, do prazer, da raça, dos antepassados, do Estado, do dinheiro etc. “Não podeis servir a Deus e ao dinheiro”, diz Jesus (Mt 6,24). Numerosos mártires morreram por não adorar “a Besta”, recusando-se até a simular seu culto. A idolatria nega o senhorio exclusivo de Deus; é, portanto, incompatível com a comunhão divina. (…) O culto cristão das imagens não é contrário ao primeiro mandamento, que proíbe os ídolos. De fato, “a honra prestada a uma imagem se dirige ao modelo Original, e “quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está pintada. A honra prestada às santas imagens é uma “veneração respeitosa”, e não uma adoração, que só compete a Deus: O culto da religião não se dirige às imagens em si como realidades, mas as considera em seu aspecto próprio de imagens que nos conduzem ao Deus encarnado. Ora, o movimento que se dirige à imagem enquanto tal não termina nela, mas tende para a realidade da qual é imagem.” (CIC §§ 957, 970, 2110, 2112-2113, 2132).

– Conclusão: o ensino que você recebeu em sua comunidade protestante NÃO CORRESPONDE ao verdadeiro ensino católico e é também ANTIBÍBLICO.

Com relação ao seu “testemunho de conversão” – sem querer desmerecê-lo (pode acreditar!), é meramente sentimental e totalmente subjetivo. Com efeito, se você tivesse procurado uma igreja católica também teria recebido apoio, da mesma forma como milhares de outras pessoas que a procuraram e receberam… Recordando a Bíblia – que você tanto preza (graças a Deus!) – não está no sentimento a RAZÃO da nossa esperança cristã (cf. 1Pedro 3,15).

Por isso, apesar da sua falta de sinceridade, afirmando ser católica quando já não o era (e diante da sua falta de conhecimento da fé católica, nos dando a impressão de que DE FATO nunca foi), fazemos votos que, tendo ido beber de “outras fontes”, continue ao menos sempre buscando a Verdade… pois “a Verdade vos libertará”. Quem sabe um dia você não faça como quase todos os membros deste Apostolado, retornando conscientemente à Igreja Católica com maior amor e dedicação!

Que Deus a abençoe e ajude, estendendo para toda a família!

PS – Visto que o nosso diálogo foi infrutífero, por gentileza só nos volte a escrever quando tiver a resposta para a única pergunta que fizemos nesse tempo todo: EM QUAL LIVRO DA BÍBLIA, CAPÍTULO E VERSÍCULO SE AFIRMA QUE A BÍBLIA E SOMENTE A BÍBLIA É A ÚNICA REGRA DE FÉ PARA O CRISTÃO? Simples assim, não precisa nem explicar…

[]s
Que Deus te abençoe!

Carlos Nabeto


10º E-Mail:

Eu só falei que era católica para facilitar o diálogo, uma vez que sou cristã/evangélica, para tentarmos entrar em comum acordo com você, mas não consegui hora nenhuma concordar sobre nada, nada (1timoteo 6:34), nem sobre a Bíblia. Aí fica dificil manter dialogo. Mando vários versiculos e não acredita, pois está com uma viseira espiritual (tito 3:9,11). Você não me respondeu varias peguntas. Lembra-te quais foram? E só porque disse que sou evangélica, já não quer responder meus email. Por isso achei melhor dizer que era catolica, para manter contato. Vá e não peques. A minha salvação não está na mão de igrejas; está na mão do Senhor dos exércitos, leão da tribo de Judá, rei dos reis, senhor dos senhores. Eu sou o alfa e o ômega, o principio e o fim, nosso Jesus Cristo. Se desejar prosseguir os e-mail vamos começar por Lucas 4. Que nosso Senhor Jesus Cristo te quarde em todos os dias.

Cara Edinéia,Pax Christi!

1. Você não precisava dizer que era católica (e pior, manter perante nós um estado que já não possuía há pelo menos três meses) para nos escrever. Este Apostolado se preza por responder a todos os leitores, INDEPENDENTEMENTE da religião que professam. A única condição que impomos é a sinceridade no diálogo; se algumas pessoas que nos escrevem afirmam ser o que não são, simplesmente erguem, por conta própria, um muro intransponível para o diálogo sincero.

2. Releia todos os nossos e-mails anteriores com atenção. TODOS os seus questionamentos, sem exceção, foram respondidos diretamente ou indiretamente (ou seja, com a indicação de outros artigos que publicamos respondendo a questões idênticas). Você não leu os artigos que indicamos e também, em nenhum momento, refutou nossos argumentos. O máximo que você fez foi apontar versículos aleatórios e fora de contexto (que também analisamos e refutamos), para “justificar” a sua posição “católica” bem protestante.

3. De nossa parte, apresentamos a você uma única questão (isto é, que simplesmente apontasse o livro bíblico, capítulo e versículo que afirmam categoricamente que a Bíblia é a única regra de fé para o cristão).  A resposta não chegou até agora e pelo visto, nunca vai chegar. E dada a quebra da relação de confiança, só continuaremos a conversa (e sempre de forma franca) após você nos apresentar a resposta para a nossa ÚNICA pergunta. E isto é fundamental porque você diz que crê apenas na Bíblia (e não consegue explicar o PORQUÊ, da mesma forma como um hindu – com todo o respeito – também não sabe explicar o porquê de crer nas Vedas) enquanto que nós, católicos, já dissemos o porquê cremos na Bíblia: porque somos cristãos e, como cristãos, fazemos parte do rebanho da Igreja; e a Igreja, graças a autoridade que lhe foi conferida por Cristo (Mateus 16,18; 18,18; João 21 etc.) AFIRMA que ela é a Palavra de Deus escrita e, assim, deve ser crida por todos os cristãos.

4. Com efeito, você falando que devemos crer APENAS na Bíblia, dispensando a Igreja por completo (embora contraditoriamente esteja filiada a uma denominação protestante e refletindo os ensinamentos que dela recebe), não consegue dizer o porquê devemos crer na Bíblia, mesmo sabendo que ela nos foi dada pela Igreja (ou a sua igreja não a usa?)…

5. No mais, somente podemos desejar a você e à sua família toda a paz e felicidade do mundo, e que procure sempre conhecer a Verdade – que te fará livre – para que, assim, você também, como nós do Apostolado Veritatis Splendor, possa oferecer a “razão da nossa esperança a todo aquele que perguntar” (cf. 1Pedro 3,15) e que, sinceramente, esteja disposto a dialogar SEMPRE na verdade.

[]s
Que Deus te abençoe sempre!
Carlos Nabeto


11º E-Mail:

Que bom foi receber o seu email. Eu creio na Bíblia, devemos ter fé correto? Nós entramos em conflito desde o Salmo 82 e nosso topico é idolatria. É que você disse que o cristão deve obedecer a igreja e não a bíblia. Então o rebanho não tem condição de entendimento da Bíblia e da minha [parte] eu já respondi para quê serve a Bíblia. João 5:24 crê na palavra, 1corintios 15:3;5; efesios 13; efesios 1:17;  2timoteo 3:14,17; tito2:1; tito 3:8; hebreus 14:12; tiago1:22.23; 1 pedro4:6; 2pedro1:1; 9,21; 2 pedro 2.2; 1joaõ 2:4; 1joão 3:24; 1joão 5:2,3; 1joão5:7; 2joão 1:9.

Edinéia,

Pax!

A questão não é saber subjetivamente em que cremos, mas por que cremos, como manda 1Pedro 3,15. Muito menos saber pra que serve a Bíblia! Isso a Igreja Católica e nós sabemos muito bem e você também…

O que queremos saber é: Por que você crê na Bíblia? Crê porque crê? Ora essa é a resposta acomodada e sem fundamento… Com base nela poderíamos perguntar pra você: E por que, então, um muçulmano crê no Alcorão? Por que um hindu crê nos Vedas? Por que um judeu só crê no Antigo Testamento e não no Novo? Por que um espírita crê no Livro dos Espíritos… e por aí vai…

Essa é a única pergunta que fazemos para você, depois de termos respondido tantas perguntas suas!

Já dissemos o porquê de nós católicos crermos na Bíblia: porque a Igreja, “coluna e fundamento da Verdade” (cf. 1Timóteo 3,15), que definiu a lista dos livros que pertencem à Bíblia no séc. IV DEPOIS DE CRISTO, ordena que creamos nela, por afirmar que ela é a Palavra de Deus escrita (mas não toda a Palavra de Deus, cf. João 20,30; 21,25)!

Sim!! Jesus citou passagens do Antigo Testamento, mas não de todos os livros do Antigo Testamento; Jesus, assim, não apontou a lista dos livros da Bíblia!

Os Apóstolos citaram também o Antigo Testamento e uma ou outra passagem do Novo, mas também não de todos os livros nem do Antigo, nem do Novo Testamento; portanto, os Apóstolos também não definiram a Bíblia… Quem deu a Bíblia então, com o Antigo e o Novo Testamento, para nós e para todas as gerações anteriores de cristãos? Foi a própria Bíblia?? Não, foi a Igreja! E foi graças à autoridade da Igreja que hoje temos a Bíblia, tal como ela é!

Entenda isso!!

Agora, se você TEM CERTEZA de que não é assim, que este ensino católico está errado, DÊ ENTÃO A RAZÃO DA SUA ESPERANÇA (cf. 1Pedro 3,15), ou seja, APONTE CLARAMENTE O LIVRO BÍBLICO, O CAPÍTULO E O VERSÍCULO EM QUE ELA DIZ QUE É A ÚNICA REGRA DE FÉ PARA O CRISTÃO! Se somente o que vale é a Bíblia, ela precisa afirmar isso em algum lugar e tal afirmação precisa demonstrar claramente que a Igreja não é a coluna e fundamento da verdade (cf. 1Timóteo 3,15), mas sim a própria Bíblia!

ONDE ESTÁ ISSO???

Enquanto você não demonstrar isso, NÃO HÁ COMO AVANÇAR no diálogo, pois você se baseará na sua interpretação pessoal da Bíblia (e sem qualquer fundamento!!!) e nós continuaremos a nos basear na autoridade da Igreja (cf. Mateus 16,16-18; 18,17-18; João 21; Atos 2; etc.), a qual é ANTERIOR à Bíblia, a ponto de a Igreja ter definido a própria Bíblia, com TODOS os livros que você aceita, e podendo contar ainda com o apoio da Tradição Apostólica, que também é ANTERIOR à Bíblia, sendo que parte encontra-se consignada na Bíblia e outra parte na Sagrada Tradição, que a Igreja Católica sempre guardou e observou…

Quanto aos temas Idolatria e Salmo 82, fala-se de DEUSES (aqueles que estão no MESMO nível), não de Santos (aqueles que estão em nível BEM INFERIOR diante de Deus)… Por favor, leia os artigos que te indicamos nos emails anteriores, em especial aquele que trata sobre o Capítulo 6 de Baruc!

Se quiser pois continuar, indique-nos o Livro, Capítulo e Versículo da Bíblia em que ela afirma ser a única regra de fé para o cristão e não a Igreja. Caso contrário, não precisa nem responder…

[]s
Que Deus te abençoe sempre!
Carlos Nabeto





About the author

Veritatis Splendor