Por ocasião do dia internacional da mulher, na semana passada, o Exmo. Sr. Presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, defendeu a ampla distribuição de preservativos e afirmou que “sexo é uma necessidade orgânica, uma necessidade da espécie humana e da espécie animal…”, acrescentando ser hipocrisia não debater esses temas de forma verdadeira, por puro preconceito: “minha mãe não gosta, meu pai não gosta, a igreja não gosta, não sei quem não gosta…”.

Diante desse improvisado, superficial e infeliz pronunciamento do Exmo. Sr. Presidente da República, com desairosa referência negativa à Igreja e à família, venho com pesar externar a minha discordância e meu protesto, repetindo que a questão da sexualidade, que se desdobra no problema da gravidez precoce, da prostituição, da AIDS e das DST, que todos nós queremos combater, não se trata superficialmente nem se resolve com a distribuição de preservativos, que só vem incentivar a promiscuidade e o sexo livre, principais causas desses males ao lado dos ataques à família mediante a erotização dos meios de comunicação. O eficaz combate a esses males se faz atacando suas causas e não apenas seus efeitos, valorizando a família estavelmente constituída e os valores morais, reflexo da lei de Deus.

Faço minhas as palavras da Comissão Vida e Família sobre uso dos preservativos de 9 de março, assinada por seu presidente, Dom Rafael Llano Cifuentes:

https://www.veritatis.com.br/article/4196

Dom Fernando Arêas Rifan

Bispo Titular de Cedamusa

Administrador Apostólico da Administração Apostólica Pessoal São João Maria Vianney

Facebook Comments

Livros recomendados

Devocionário à Divina Misericórdia –  Vol. IIAsterix gladiadorUma Teologia da História