Há três mais gerais:

1) nunca é permitido fazer o mal sob a justificativa daí derivar um bem;

2) a chamada regra de ouro: «tudo quanto quiserdes que os homens vos façam, fazei-lho vós também» (Mateus 7,12);

3) a caridade passa sempre pelo respeito do próximo e da sua consciência, embora isto não signifique aceitar como um bem aquilo que é objetivamente um mal.

Facebook Comments

Livros recomendados

Comentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3Teoria do Protecionismo e da Permuta InternacionalEnergia Nuclear