Fiel ao Senhor, a Igreja não pode reconhecer como Matrimônio a união dos divorciados recasados civilmente. «Quem repudia a própria mulher e casa com outra comete adultério contra ela; se a mulher repudia o marido e casa com outro, comete adultério» (Marcos 10,11-12). Para com eles, a Igreja desenvolve uma atenta solicitude, convidando-os a uma vida de fé, à oração, às obras de caridade e à educação cristã dos filhos. Mas eles não podem receber a absolvição sacramental nem aproximar-se da comunhão eucarística, nem exercer certas responsabilidades eclesiais enquanto perdurar esta situação, que objetivamente contrasta com a Lei de Deus.

Facebook Comments

Livros recomendados

Uma Teologia da HistóriaComentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3Os axiomas de Zurique – Os conselhos dos banqueiros suíços para orientar seus investimentos