Uma colunista da Folha, jornalista Gancia, resolveu atacar o Papa Bento XVI, dizendo que o Chefe de um Estado independente e reconhecido é um covarde. Para isso, talvez para chamar a atenção para os textos dela – afinal, até hoje de madrugada, quem sabia quem é Gancia? – utilizou de palavras baixas e torpes.

Caberia aos governantes brasileiros, mais especialmente ao Itamaraty, ensinar como se trata um Chefe de Estado. As leis brasileiras ditam as normas de tratamento para uma pessoa que representa um país, como é o caso do Vaticano. Infelizmente, já está ficando comum que pessoas ofendam uma pessoa pública e um Chefe Político, como é o Papa Bento XVI, sem que o governo diga uma palavra e, no caso do Papa, sem que a CNBB igualmente se pronuncie.

Por outro lado, Gancia parece corajosa, mas não é. Parece ser daqueles que têm aquilo roxo, mas não é tanto assim. Se fosse tão corajosa quanto quer parecer, diria na época, que foi covardia de Bin Laden fugir e esconder-se em cavernas. Se fosse corajosa, escreveria no seu blog que são covardes os islamitas do mundo inteiro, que não deixam suas filhas viajar sozinhas. Se Gancia fosse assim tão peituda, iria para frente de uma Mesquita em São Paulo protestar contra a covardia de Mubarak, que renunciou ao governo do Egito, exigindo que ele continuasse no governo daquele país. Mas ela não é tão corajosa assim. Contudo, para ofender um senhor de 85 anos, o chefe dos cristãos, esse “bando de molengas”, aí ela tem coragem.

Mas vamos ver quem são Bento XVI e Gancia…

Quem é o Papa Bento XVI?

– O Papa Bento XVI é o Chefe de Estado de um país independente e legitimamente eleito: o Vaticano.

– O Papa Bento XVI é o líder de espiritual de 1 bilhão de pessoas.

– O Papa Bento XVI é um intelectual brilhante, que dialogou com os grandes pensadores do seu tempo, como Jürgen Habermas, por exemplo.

– O Papa Bento XVI tem dezenas de livros escritos.

– No campo prático, o Papa Bento XVI é antes de tudo alguém que abdicou dos próprios sonhos, pois é sacerdote.

– O Papa Bento XVI é alguém leal e honesto, como testemunham seus amigos mais próximos e até seus inimigos teóricos mais desleais, como Küng.

– O Papa Bento XVI viu a dor das crianças abusadas por sacerdotes, mas não aceitou protegê-los porque eram sacerdotes como ele.

– O Papa Bento XVI não possui muito mais bens do que um homem razoavelmente bem sucedido, muito diferente da riqueza que pessoas do tamanho dele possuem ordinariamente.

– O Papa Bento XVI abdicou de possuir uma casa para chamar de sua; morará em uma cela em um convento do Vaticano.

– O Papa Bento XVI disse que renunciaria se visse que assim era melhor para a Igreja e assim o fez.

– O Papa Bento XVI visitou países inimigos do Cristianismo, como Cuba, e sua visita salvou concretamente vidas que morreriam se ele não as fosse defender e por elas orar.

Quem é Barbara Gancia?

– Barbara Gancia é uma jornalista da Folha de São Paulo.

– A jornalista Barbara Gancia acha que Joaquim Barbosa, o ministro que pôs atrás das grades petralhas, verdadeiros usurpadores da República, é um inquisidor. Para a jornalista Gancia, Joaquim Barbosa é um novo Torquemada.

– Segundo Gancia, o Julgamento do Mensalão foi um julgamento que ignorou “garantias, sem direito a recurso e partindo da cer­teza de que quanto menos provas, maior o poder do réu e, portanto, hipoteticamente, maior sua culpa”.

– Para Gancia, os milhões roubados do Brasil, o dinheiro roubado da saúde das crianças, da escola de nossos filhos, foi tudo “hipotético” (felizmente, o STF – que sabe mais de leis e de recursos – discordou da jornalista Gancia).

– A jornalista Gancia acha que pobre não comete crime, por isso defende José Genoíno, que assinou documentos sem ler e facilitou o roubo de milhões de reais no Brasil: “Todo mundo conhece o Genoi­no, sabe que ele não vive no luxo”. Argumentando assim, nem o Maluf, que tem um declaração de IR, que faz motoboy de São Paulo lacrimejar de pena, pode ser acusado de coisa alguma… (Mas ela não defende o Maluf, né?).

– Gancia faz troça do ministro do STF, Joaquim Barbosa, chamando-o de Batman. À luz do que escreveu sobre o mensalão, Gancia acha que o ministro tem mania de herói; talvez pense a jornalista que o ministro possua algum trauma de infância, como o personagem de quadrinhos.

– Ah, e Gancia gosta muito de Lewandowski, que ela chama de “cordato revisor“. Enquanto ao relator, denomina indignado. E Gancia não deixa por menos e diz o que realmente pensa: “quase chego a pensar que as coisas estavam melhores antes de o Joaquim subir ao palco“. Para Gancia, o ministro Joaquim Barbosa é o atraso, Lewandowski e José Dirceu, a vanguarda.

Diante disso, quem mesmo tem medo? Quem se move medindo favores e escolhendo aliados poderosos? Quem medita taticamente a quem servir para alcançar favores com medo do futuro?

Bento XVI, que inocente não acusa seus injustos juízes e aposenta-se quando, claramente, teria mais proveito nesse mundo permanecendo no poder;

ou

Gancia, que defende injustos e criminosos – segundo o STF -, querendo torná-los inocentes, para conseguir – quem sabe – algum proveito para esse mundo?

Facebook Comments

Livros recomendados

José, o silenciosoAntônio Torres – Uma AntologiaNão Trago Ouro Nem Prata