“João era a voz, mas o Senhor, no princípio, era a Palavra [cf. João 1,1]. João era a voz passageira; Cristo, a Palavra eterna desde o princípio.

Suprimi a palavra e o que se torna a voz? Esvaziada de sentido, é apenas um ruído. A voz sem palavras ressoa ao ouvido, mas não alimenta o coração.

Entretanto, mesmo quando se trata de alimentar nossos corações, vejamos a ordem das coisas. Se penso no que vou dizer, a palavra já está em meu coração. Se quero, porém, falar contigo, procuro o modo de fazer chegar ao teu coração o que já está no meu.

Procurando então como fazer chegar a ti e penetrar em teu coração o que já está no meu, recorro à voz e por ela falo contigo. O som da voz te faz entender a palavra; e quando te fez entendê-la, esse som desaparece, mas a palavra que ele te transmitiu permanece em teu coração, sem haver deixado o meu.

Não te parece que esse som, depois de haver transmitido minha palavra, está dizendo: É necessário que ele cresça e eu diminua? [cf. João 3,30]. A voz ressoou, cumprindo sua função; e desapareceu, como se dissesse: ‘Esta é a minha alegria, e ela é completa’ [cf. João 3,29]. Guardemos a palavra; não percamos a palavra concebida em nosso íntimo.

Queres ver como a voz passa e a palavra divina permanece? O que foi feito do batismo de João? Cumpriu sua missão e desapareceu; agora, é o batismo de Cristo que está em vigor. Todos cremos em Cristo e esperamos Dele a salvação: foi o que a Voz anunciou.

Justamente porque é difícil não confundir a voz com a palavra, julgaram que João era o Cristo. Confundiram a voz com a Palavra. Mas a voz reconheceu o que era para não prejudicar a Palavra. Disse João: ‘Eu não sou o Cristo, nem Elias nem o Profeta’ [João 1,20]. Perguntaram-lhe então: ‘Quem és tu?’ Respondeu ele: ‘Eu sou a voz que grita no deserto: Aplainai o caminho do Senhor’ [João 1,19.23]. É a voz do que grita no deserto, do que rompe o silêncio. ‘Aplainai o caminho do Senhor’, como se dissesse: ‘Sou a voz que se faz ouvir apenas para levar o Senhor aos vossos corações. Mas ele não se dignará vir aonde o quero levar, se não preparardes o caminho’.

O que significa ‘aplainai o caminho’ senão ‘Orai como se deve orar’? O que significa ainda: ‘Aplainai o caminho’ senão ‘Tende pensamentos humildes’? Imitai o exemplo de João! Julgam que é o Cristo e ele diz não ser aquele que julgam; não se aproveita do erro alheio para uma afirmação pessoal. Se tivesse dito ‘Eu sou o Cristo’, facilmente teriam acreditado nele, pois já era considerado como tal antes que o dissesse. Mas não disse! Pelo contrário, reconheceu o que era, disse o que não era e foi humilde. Viu de onde lhe vinha a salvação; compreendeu que era uma lâmpada e temeu que o vento do orgulho pudesse apagá-la” (Sermão 293,3).

Facebook Comments

Livros recomendados

A boa vontadeEuA cólera dos imbecis – Cartas de um terráqueo ao Planeta Brasil – Volume X