O transplante de órgãos é moralmente aceitável com o consentimento do doador e sem riscos excessivos para ele. Para o ato nobre da doação de órgãos depois da morte, deve haver a certeza plena da morte real do doador.

Facebook Comments