Espaço do Leitor

Sobre a Igreja, Bíblia e Escritos Patrísticos

Pergunta

Porque vocês dizem que a Igreja Católica é romana se o cristinanísmo nasceu na Palestina?

Porque vocês dizem que a Bíblia é posterior a Igreja, se nos tempos de Cristo e dos apóstolos exitia o Antigo Testamento e os mesmos o observavam?

Porque vocês dão tanto valor aos livros patrísticos, sendo que o Catolicismo não os inclui em sua Bíblia? Podemos dar valor a livros não inspirados?

Jesus Cristo mandou fazermos imagens? se mandou, aonde se encontra na bíblia?

Jesus Cristo chamou alguma vez Pedro de Papa?

Na mesma passagem em que Jesus chamou Pedro de pedra da igreja, também o chamou de satanás, Cristo não estaria mostrando que Pedro é infalível? Como pode o Papa sendo homem (pecador) ser livre do erro?

Jesus Cristo nos mandou amar nossos inimigos mais a Igreja Católica torturou e
matou pessoas que pensavam diferente dela. Por acaso o nosso amado Mestre teria se agradado disto? Bem a vocês me diram os Protestantes fizeram o mesmo, mais acontece que estes ditos protestantes são filhos do Catolicismo e herdaram toda a sua maldade (ficam de fora os batistas, pois não são protestantes, se fossem não teriam sido perseguidos pelos mesmos).

Que a verdade de Cristo ilumine a todos.
C.
Sou Cristão, não sou protestante.

Resposta

C., a Paz de Cristo!

Sobre a origem da Igreja Romana

“Porque vocês dizem que a Igreja Católica é romana se o cristinanísmo nasceu na Palestina?”

Embora você seja protestante, talvez até sem querer você acabou professando uma grande verdade: que a Igreja Católica nasceu na palestina, pois foi lá que se originou o Cristianismo.

O Adjetivo Romana aplicado à Igreja Católica, não significa a origem da Igreja, e nem nacionalismo, mas sim o endereço da Igreja, isto é, onde está sua Sé (Sede). Da mesma forma como aplicamos o adjetivo Nazareno para indicar que Nosso Senhor morava em Nazaré, embora tenha nascido em Belém.

A Igreja nasceu sim na Palestina, sua primeira Sé foi em Jerusalém, depois da pregação de São Pedro por Antioquia, Icônio, Listra e outras cidades, é que a Sé da Igreja veio para Roma, pois no final de seu ministério foi lá que São Pedro (então chefe de toda Igreja) se instalou e sofreu grandioso martírio. São Paulo foi quem fundou a Igreja em Roma, depois São Pedro confirmou esta mesma Igreja na fé e na Sã Doutrina. São Paulo sofreu o martírio na mesma época que São Pedro, sob o imperador Nero.

A Igreja Católica e a Bíblia

“Porque vocês dizem que a Bíblia é posterior a Igreja, se nos tempos de Cristo e dos apóstolos exitia o Antigo Testamento e os mesmos o observavam?”

Precisamos definir então o que é a Bíblia. Se eu lhe der um livro que é o conjunto os 4 evangelhos, provavelmente você me dirá que aquele livro não é uma Bíblia, já que faltam os demais livros, embora o livro hipotético contenha escritos sagrados. A Bíblia é então um conjunto de livros (Bíblia vem do grebo Biblos = conjunto de livros).

Veja também  Últimos dias

Por isto é certo afirmar que muitos dos livros sagrados que formam a Bíblia já existiam nos tempos de Cristo e dos apóstolos, mas é incorreto afirmar que a Bíblia já existia.

A Bíblia ainda não existia porque nem Cristo, nem os Judeus daquele tempo e nem os apóstolos discerniram de forma definitiva qual seria a lista de livros que deveriam ser guardados como sagrados (Cânon Bíblico). Os Judeus da Palestina só definiram seu Cânon Bíblico em 70 DC, e os Cristãos em 393 (Concílio de Hipona). Até o final do séc IV, a Bíblia Cristã não existia, não havia ainda um senso comum entre os primeiros cristãos sobre quais livros deveriam ser considerados sagrados. Sobre isso recomendo a leitura do nosso artigo http://www.veritatis.com.br/article/321

Foi o Magistério da Igreja Católica que discerniu a lista de livros Sagrados (note que não exite na Bíblia nenhum escrito dizendo quais livros a compõe). Por isso dizemos que a Bíblia é filha da Igreja Católica.

Os Escritos Patrísticos

“Porque vocês dão tanto valor aos livros patrísticos, sendo que o Catolicismo não os inclui em sua Bíblia? Podemos dar valor a livros não inspirados?”

Os livros patrísticos são obras deixadas pelos primeiros cristãos dando testemunho de sua fé, organização da Igreja e etc. Por sua antiguidade, são preciosos para quem deseja saber como era o Cristianismo nos primeiros séculos. É notória então, a sua importância, pois através desta obra (que é objetiva e não está sujeita a intepretação de ninguém) podemos mostrar a grupos que se dizem “os verdadeiros cristãos” o equívoco que cometem ao contender com a Igreja Católica.

Os livros de história também não são inspirados e no entanto confiamos neles pelo seu valor histórico, porque testemunham o que ocorreu no passado. Assim acontece com as obras dos Santos Padres da Igreja (os escritos patrísticos).

Sobre as Imagens

“Jesus Cristo mandou fazermos imagens? se mandou, aonde se encontra na bíblia?”

Se você crê que Jesus é Deus, e que sendo Deus sempre existiu, então foi Jesus quem mandou executar as ordens para fazer imagens que estão no AT. Veja Ex 25,17-22; 37,7-9; 41,18; Nm 21,8-9; 1Rs 6,23-29.32; 7,26-29.36; 8,7.

Deus proibiu a confecção de Escultura SOMENTE com o fim de adoração, isto é, com o fim de se criar um ídolo (um deus que não existe, e lhe prestar culto). As imagens dos Santos católicos são tão idólatras quanto às imagens de Duque de Caxias, Dom Pedro I e Zumbi.

Sobre isso leia nossos artigos:

http://www.veritatis.com.br/article/325

http://www.veritatis.com.br/aritcle/673

http://www.veritatis.com.br/article/675

A INFABILIDADE DO PAPA

“Na mesma passagem em que Jesus chamou Pedro de pedra da igreja, também o chamou de satanás, Cristo não estaria mostrando que Pedro é infalível? Como pode o Papa sendo homem (pecador) ser livre do erro?”

Veja também  Qual é a missão do Bispo na Igreja particular que lhe foi confiada?

Aqui você abacou confessando algo correto “Jesus chamou Pedro de pedra da igreja”. Sim, chamou, mas Pedro é a Pedra de edificação da Igreja, isto é, é sobre a autoridade do Papa que a Igreja permanece unida e cresce na fé. Jesus, por outro lado é a Pedra de fundamento, isto é, é sobre Cristo que a Igreja fundamenta a sua fé.

Os apóstolos amavam a Cristo, e portanto não queriam a sua morte e sofrimento. Muitas vezes Satanás usa de nossas boas intenções, para que façamos algo que não deveríamos fazer (por isso diz o ditado “de boas intenções o inferno está cheio”). Cristo logo percebeu que Satanás estava a usar o amor de Pedro para impedí-lo de sofrer o martírio, por isso disse (a Satanás e não a Pedro) para que se afastasse dele (de Cristo).

O Papa é um homem pecador sim como todos nós, mas quando exerce extraordinariamente seu ministério de Chefe da Igreja, goza do Carisma da Infabilidade, pois a Igreja jamais ensinará o erro (“e as portas do inferno não prevalecerão sobre ela”). Da mesma forma que o Espírito Santo, usou homens falhos e pecadores para escreverem sem erro os livros Sagrados, a mesma Assistência Divina é prestada ao Papa quando ensina a toda Igreja sobre questões de fé e moral. É como um atleta que no exercício de seu esporte consegue realizar movimentos perfeitos em todos os sentidos (tempo, gestos, simetria, etc) assistido pelo dom que Deus lhe deu e pela habilidade conseguida pelos treinos, o que não o impede de ser uma pessoa falha e com defeitos, enfim pecadora.

INQUISIÇÃO E PROTESTANTISMO

“Jesus Cristo nos mandou amar nossos inimigos mais a Igreja Católica torturou e matou pessoas que pensavam diferente dela. Por acaso o nosso amado Mestre  teria se agradado disto?”

A Igreja embora seja Santa, possui filhos que nem sempre vivem a doutrina ensinada por sua Mãe.

Cristo nos disse que isso ia acontecer, lembra-se da parábola do joio e do trigo? Os bons e os maus só serão separados no juízo final. Assim em tudo que exite na terra, haverá homens bons e ruins. Seja na Igreja ou fora dela.

Embora eu concorde com vc que muitas ações dos filhos da Igreja foram totalmente fora do Evangelho, outras embora também violentas, não.

É preciso que esta análise seja feita dentro do contexto histórico e moral da época.

Cristo também foi morto através de um processo inquisitório que Ele mesmo instituiu na Lei de Moisés.

No próprio Evangelho está o princípio inquistor: ” Mas todo aquele que causa a queda  de um só desses pequenos que crêem em mim, é preferível para ele que lhe pendurem ao pescoço uma grande pedra  e o precipitem no abismo do mar . Desgraçado do mundo  que causa tantas quedas ! Decerto, é necessário que haja escândalos, mas ai do homem por quem acontece a queda!” (Mt 18,6-7)

Veja também  Conversando com meus amigos evangélicos sobre o Cânon Bíblico (Parte 1)

Na Idade Média, isso era levado muito a sério. Naquele tempo, o mundo era teocêntrico (Deus no centro da Vida Humana). A Igreja em muitos países sofria grande interferência dos Governos, do Império. As leis da Igreja eram as Leis do Império. Assim, se vc cometia um crime contra as leis da Igreja, cometia um crime contra as Leis do Estado. É meio estranho, isso para nós hoje, pois o Estado em nosso tempo está totalmente secularizado, embora não em todas as regiões (como é o caso do Tibet e do Oriente Médio).

Este é um assunto que deve ser tratado á parte. Mas o que quero lhe dizer é o seguinte: Muitas das ações inquisitórias da era Medieval, justificam-se pelo próprio Evangelho e pelo zê-lo á ortodoxia, outras não justificam-se, e foram executadas mais por pressões políticas do que religiosas. Não por culpa a Igreja, as devido às constantes interferências do Estado na Igreja.

Bem a vocês me diram os Protestantes fizeram o mesmo, mais acontece que estes ditos protestantes são filhos do Catolicismo e herdaram toda a sua maldade (ficam de fora os batistas, pois não são protestantes, se fossem não teriam sido perseguidos pelos mesmos).”

Não quero justificar os erros dos filhos da Igreja com o erro dos outros.

E lembre-se de uma coisa: o pecado de Judas não anula a Santidade de Cristo. O mal exemplo de Judas, não anula a ministério dos outros apóstolos.

Assim não é pq alguns filhos do Catolicismo erraram no passado, que o Catolicismo seja um erro. Sua posição é preconceituosa e desrespeitosa!

Se uma confissão de fé é um erro, isso se deve ao que ela prega, vive e ensina, e não pelas ações de alguns de seus membros que a confessam de boca para fora, mas que não vivem conforme a doutrina.

Calvino e outros promoveram ações inquistórias também, é verdade e que bom que vc sabe disto.

Mas pelo fato de ele ter perseguido outras confissões não as isenta e nem as apaga de sua origem. Ora, dentro do PT, como estamos estamos acompanhando atualmente, está havendo divergências. Está havendo perseguições políticas. Isso faz com que os perseguidos não sejam do PT?

Se Calvino tivesse perseguido Lutero, isso faria de Lutero um não protestante? Não é um protestante perseguindo o outro.

Ora, qualquer confissão cristã que abraçou a fé Reformada é Protestante, pois tem em sua origem o movimento de protesto da Reforma.

Espero ter ajudado.

Sou Cristão, por isso sou Católico. 🙂

Alessandro Lima.


Livros recomendados

Casamento FortalecidoSócrates Encontra DescartesO Milagre da Igreja





About the author

Veritatis Splendor