Veja a humildade de uma devota de Maria Santíssima: 

Havia uma senhora muito simples que vendia verduras na vizinhança. Certo dia, tia Joana, conhecida por toda a vizinhança, foi vender suas verduras na casa de um protestante e perdeu o terço no jardim da casa deste. Passados alguns dias, Joana voltou novamente à sua casa. Este veio logo zombar de tia Joana, e dizia para ela: "Você perdeu o seu Deus?"

Ela humildemente respondeu: "Eu, perder o meu Deus? Nunca!" Ele, então, pegou o terço e disse: "Não é esse o seu Deus?" Ela disse: "Graças a Deus o senhor encontrou meu terço, muito obrigada." Ele disse: "Porque você não troca este cordão com essas sementinhas, pela Bíblia?" Ela respondeu: "Porque a Bíblia eu não sei ler, e com o terço eu medito toda a Palavra de Deus e a guardo no meu coração." Ele disse: Medita a Palavra de Deus? Como assim? Poderia me dizer?" – Respondeu tia Joana, pegando o terço:

Posso sim. Quando eu pego na cruz, lembro-me que o filho de Deus derramou todo o seu Sangue pregado na cruz para salvar a humanidade. Esta primeira conta grossa me lembra que há só um Deus onipotente. Estas três contar pequenas me lembram as três pessoas da Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito santo. Esta conta grossa me faz lembrar a oração que o senhor mesmo nos ensinou, que é o Pai Nosso. O terço tem cinco mistérios, que fazem (lembrar) as cinco chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo cravado na cruz, e cada mistério tem dez Ave-Marias, que me fazem lembrar os Dez Mandamentos que o senhor nos escreveu nas tábuas de Moisés. O Rosário de nossa senhora tem quinze mistérios, que são: cinco gozosos, cinco dolorosos e cinco gloriosos. De manhã, quando me levanto para iniciar minha luta do dia eu rezo os gozosos, lembrando-me do humilde lar de Maria de Nazaré. No meio-dia, no meu cansaço e na fadiga do trabalho, eu rezo os Mistérios Dolorosos que me fazem lembrar a dura caminhada de Jesus Cristo para o Calvário. Quando chega o fim do dia com as lutas todas vencidas, eu rezo os Mistérios Gloriosos, que me fazem lembrar que Jesus venceu a morte para dar salvação a toda a humanidade. E agora me diga, onde está a idolatria?" – Ele, depois de ouvir tudo isso, disse: – Eu não sabia disso. Ensina-me tia Joana, a rezar o terço!"

*Testemunho verídico enviado por A.R.S, Esperança – PB.

Transcrito do Informativo "Ecos de Fátima", nº 14 , janeiro de 1998.
Facebook Comments

Livros recomendados

A Nova Era: Jesus Cristo, Portador da Água VivaBernardo de Claraval – Testemunha do seu tempo perante DeusPor Trás da Máscara