• Autor: Pe. Arthur W. Terminiello
  • Fonte: Livro “The 40 Questions Most Frequently Asked about the Catholic Church by Non-Catholics” (1956) / Site “Una Fides, One Faith” (http://net2.netacc.net/~mafg)
  • Tradução: Carlos Martins Nabeto

– Quando se reza o Rosário, essa repetição não é condenada por Mateus 5:7?

O Rosário é de fato uma repetição de orações… mas NÃO vã repetição ou repetição inútil.

Nesta passagem de São Mateus, Nosso Senhor está condenando os fariseus que “adoravam ficar nos cantos das ruas para que fossem vistos pelos homens”. Eles conversavam com Deus apenas para serem vistos pelos homens.

Nosso Senhor nunca condenou a repetição em oração. Ele mesmo repetiu a mesma oração três vezes no Jardim do Getsêmani (Mateus 26,39.42.44). O cego repetiu sua oração e foi curado por Cristo (Mateus 20,31). Dizem-nos que os Anjos de Deus no Céu nunca param de repetir, noite e dia, o cântico: “Santo, Santo, Santo, Senhor Deus Todo-Poderoso” (Apocalipse 4,8).

Orações repetidas não são necessariamente mecânicas ou desnecessárias. A garota apaixonada não repreende o namorado por repetir a afirmação de que ele a ama.

No Rosário, os católicos repetem as orações das Escrituras: a Oração do Senhor (Mateus 6) e a Saudação Angélica, ou “Ave Maria”, encontrada em Lucas 1,28.

Facebook Comments

Livros recomendados

As crônicas de NárniaNão Trago Ouro Nem PrataOrdem