Espaço do Leitor

Leitor pergunta sobre as “treze almas”

Olá prezado doutor Rafael! A graça e a paz do Senhor Jesus esteja com o senhor!

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que gosto muito dos artigos do site Veritaitis. Eles têm me ajudado muito a crescer na fé. Vejo que hoje é urgente que se busque grande conhecimento para se defender sua fé, e nós. católicos, ainda somos muito carentes dessa instrução.

Envio este email para tentar esclarecer uma dúvida que já me acompanha há algum tempo: às vezes, ouço na Santa Missa, no momento em que são apresentadas as intenções, a prece pelas treze almas. Gostaria de saber do que se trate isso? É doutrina católica? Pelas informações que obtive, isso é espiritismo puro. Nasceu naquele tal edifício Joelma. Mas essas informações que tenho são superficiais. Gostaria que, se possível, me esclarecesse esta dúvida.

Desde já agradeço a atenção.

Deus o abençoe!!!!

Júlio

 


Caríssimo sr. Júlio César, estimado em Cristo,

É com imensa satisfação que recebo sua gentil mensagem. Agradeço pelos elogios ao trabalho do Veritatis Splendor, mas eles devem ser direcionados a Nosso Senhor, sem o qual nada somos. Apenas cumprimos com nossa obrigação apostólica. Ainda assim, muito obrigado por sua caridade.

Quanto às supostas treze almas, trata-se de uma superstição funesta. No Purgatório há mais do que treze almas, certamente. E nem se argumente que essas são treze apenas porque treze seriam as “benditas”. Ora, se benditas fossem, estariam no Céu, não no Purgatório.

É certo recorrermos à intercessão dos demais, quer vivos, quer mortos (mas vivos em Cristo), e, assim, pedir que os falecidos rezem por nós é prática católica. Não é preciso que estejam canonizados, bastando que estejam em Deus, sejam santos, para, em Deus, conhecerem nossos pedidos. Também os falecidos que estão no Purgatório rezam por nós, mas, nesse caso, não podemos suplicar-lhes a intercessão.

Veja também  Leitor quer saber mais para rebater acusações contra os Deuterocanônicos

Claro, se achamos que alguém está no Céu, porém, de fato, está ainda no Purgatório, poderemos pedir sua intercessão (embora, por não estarem perfeitamente unidos a Deus, não possam conhecer de nossos pedidos como os que estão no Céu). Essa prática das treze almas, contudo, já parte do pressuposto de que estão no Purgatório, e ainda assim trata-as como se no Céu estivessem.

Há comunicação entre a Igreja Militante, a Padecente e a Triunfante, entre a terra, o Purgatório e o Céu: os santos da terra e do Céu rezam pelos do Purgatório; os santos do Purgatório rezam pelos da terra; os santos da terra e do Purgatório pedem intercessão aos do Céu.

A prática da oração pelos falecidos e a de encomendar-se à oração dos falecidos são católicas, mas, com toda a certeza, essa das treze almas possui fundo espírita e supersticioso.

Em Cristo,