Significa que as criaturas animadas e inanimadas, visíveis e invisíveis, só existem porque Deus quer que existam e também porque as mantém e conserva. Se Deus deixasse de mantê-las, consequentemente deixariam de existir (cf. Sabedoria 11,26; Salmo 103,28-29).

Facebook Comments

Livros recomendados

A Idade Média e o dinheiro: Ensaio de uma antropologia históricaJoana d’Arc – A Donzela de OrléansPara Conhecer e Viver As Verdades da Fé