– Como eu posso provar para um protestante que, durante a crucificação, o “Discípulo que Jesus amava” não era um “irmão do Senhor” e sim o Apóstolo João, irmão de Tiago? Parece-me que João geralmente se referia a si mesmo – e apenas a si mesmo – como “o Discípulo que Jesus amava”. A pessoa com quem eu estou discutindo afirma que, como Jesus disse: “Filho, eis aí a tua mãe”, Ele está indicando que esse Discípulo [distinto de João] era, na verdade, um de seus reais irmãos e, portanto, filho de Maria. Eu tenho a certeza de que, em algum lugar, a Escritura mostra que este Discípulo era João, mas não sei onde… (Dave McAdams)

O protestante com quem você está discutindo precisa ler alguns Comentários Bíblicos protestantes, já que até mesmo os círculos protestantes reconhecem que “o Discípulo que Jesus amava” ou o “Discípulo amado” era João, filho de Zebedeu.

As razões para tal identificação, citadas nos Comentários Bíblicos protestantes, são estas:

1) Se você ler o Evangelho de João, ele revela que o Discípulo amado era um discípulo que regularmente viajava com Jesus (ele testemunhou os eventos do Evangelho). Isto significa que ele não era um “irmão do Senhor” porque os “irmãos” de Cristo não estavam entre aqueles que viajavam com Ele.

2) É óbvio também que o Discípulo amado era um dos principais discípulos, devido a intimidade que tinha com Jesus (p.ex.: durante a Última Ceia, esteve sentado mais próximo de Jesus do que Pedro). Isto significa que ele era um dos quatro principais: João, Tiago, Pedro e André.

3) Não poderia ser Pedro porque o Evangelho várias vezes observa que Pedro e o Discípulo amado estiveram juntamente presentes em alguns eventos, chegando a falar um com o outro ou um acerca do outro.

4) Não poderia ser André porque ele é citado primeiramente no Evangelho sendo que o Discípulo amado refere-se a si mesmo de maneira oblíqua, não fazendo uso de seu nome próprio.

5) Não poderia ser Tiago porque ele foi morto por Herodes Agripa (logo no início dos Atos dos Apóstolos) e, assim, não teria sobrevivido para escrever um evangelho, como fez João (ademais, no fim do Evangelho de João encontra-se o registro de um rumor existente no Cristianismo primitivo de que João viveria até a 2ª Vinda de Cristo).

6) Tudo isto nos permite identificar o Discípulo amado com João.

Fonte: Catholic Answers. Traduzido para o Veritatis Splendor por Carlos Martins Nabeto.

Facebook Comments

Livros recomendados

Senhor, Tende PiedadeTemas Atuais Para PensarO trabalho intelectual e a vontade – continuação de “A educação da vontade”