Depende.

Em certos pontos, Deus manifestou ao autor sagrado verdades a ele desconhecidas (=Revelação) e, ao mesmo tempo, iluminou-lhe a mente, fortalecendo-lhe a vontade e a ação para que colocasse por escrito tais verdades (=Inspiração). É o que ocorre principalmente com os Profetas (p.ex.: Isaías 7,14; 9,16; 11,1-9; Jeremias 23,5-6; 31,31-37; Apocalipse).

Em outros pontos, a redação do texto escriturístico é realizada sem Revelação, já que os autores citam a fonte de seu conhecimento, porém gozam da Inspiração para fazer com que tais conhecimentos (inclusive oriundos de outros documentos previamente escritos) sejam fiéis ao Senhor (p.ex.: 1Reis 14,19.29; 15,7.23.31; 16,5.14.20; 2Reis 1,18; 10,34; 12,20; 13,8; 1Crônicas 29,29; 2Crônicas 9,29; 2Macabeus 2,24; Lucas 1,2-3).

Com efeito, tudo na Bíblia é Inspiração, mas nem tudo é Revelação.

Facebook Comments

Livros recomendados

A Selva – Sobre o SacerdócioDo outro lado do rio, entre as árvoresComentário à Metafísica de Aristóteles IX–XII — Volume 3