Por Jaime Francisco de Moura

Os protestantes dizem que Jesus Cristo não fundou a Igreja Católica. Os inimigos da Igreja de Cristo, desesperados quando denunciamos suas seitas inventadas cerca de 15 séculos depois, vêm com mais esta mentira…

Desonestamente os protestantes dizem que o cristianismo foi corrompido quando Constantino ascendeu ao posto de Imperador.

Como poderia Constantino fundar a Igreja Católica se antes dele já existiam Católicos e muitos Bispos como São Cipriano, Inácio de Antioquia, Irineu, Lino, Clemente e outros?

Qualquer Historiador honesto sendo de qualquer época ou nacionalidade pode provar que no ano de 313 Constantino apenas deu liberdade de culto aos cristãos com o chamado Edito de Milão. Quem oficializou o Cristianismo como Religião do Estado foi o Imperador Teodósio I no ano de 380.

Antes de Constantino nascer já existia o papado, já se batizava crianças, existia uma Igreja com a expressão “Católica”, já existia a Eucaristia, a comunhão dos Santos, a devoção a Virgem Maria, a confissão perante o Sacerdote, a utilização das imagens e 300 anos antes de Constantino o Cânon Bíblico ainda não estava definido, sendo a Igreja Católica que o definiu no quarto século.

Vamos comentar alguns tópicos que existiam bem antes de Constantino!

Sobre o Papado!

A Igreja tem uma série ininterrupta de 266 Papas: De Pedro até Francisco.

De Pedro até Constantino foram TRINTA E DOIS PAPAS!

Então se Constantino fundou a Igreja Católica;

De qual igreja foram os 32 papas antes dele?

Se ele fundou alguma igreja, onde estão as provas?

Onde está um só documento histórico comprovando.

Onde está o EDITO DO IMPERADOR Constantino?

Sobre rezar pelos falecidos

Bem antes de Constantino nascer a Igreja Católica já rezava pelos falecidos.

Tertuliano (220) / Bispo de Cartago: “A esposa roga pela alma de seu esposo e pede para ele refrigério, e que volte a reunir/se com ele na ressurreição; oferece sufrágio todos os dias aniversários de sua morte” (Demonogamia,10).

“Durante a morte e o sepultamento de um fiel, este fora beneficiado com a oração do sacerdote da Igreja”.

São Cipriano (258), bispo de Cartago, refere-se à oferta do sacrifício eucarístico em sufrágio dos defuntos como costume recebido da herança dos bispos seus antecessores (cf. epist. 1,2). Nas suas epístolas é comum encontrar a expressão: “oferecer o sacrifício por alguém ou por ocasião dos funerais de alguém”.

Sobre o Batismo de crianças

Orígenes (185 255) escreve: “A igreja recebeu dos apóstolos a tradição de um batismo também aos recém-nascidos”. (Epist. Ad. Rom. Livro 5,9). (Obs: Do ano 185 até o ano 255 Constantino não tinha nascido).

Cipriano em 258 escreve: “Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças”. (carta a Fido). Seguindo à tradição apostólica, cada homem honesto reconhece que os cristãos dos primeiros séculos conheciam muito bem e observavam a doutrina e as práticas religiosas recebidas dos apóstolos. (Obs: Em 258 Constantino ainda não era Imperador).

Sobre a Igreja Católica

No princípio de Século II, Santo Inácio escreve aos romanos que a Igreja de Roma preside a todas as demais. (Nesta data Constantino também não tinha nascido).

S Irineu, também no Século II diz ser a Igreja Romana a “máxima” e fundada pelos Apóstolos Pedro e Paulo.

Conclusão:

Como se vê a Igreja Católica ensinava e praticava estes dogmas e muitos outros mais, bem antes de Constantino nascer. A Igreja Católica foi fundada de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo e que tem o apóstolo Pedro como figura de destaque, pois foi através dele que a Igreja começou a ser edificada (Mateus 16,18).

Facebook Comments

Livros recomendados

O Diabo na HistóriaFilhos e Pais – Sabedoria e orientação para os paisRetorno e Saída