“Et dixit illis ángelus: ‘Nolite timere; ecce enim evangelizo vobis gaudium magnum, quod erit omni pópulo. quia natus ETs vobis hodie Salvator, qui est Christus Dominus, in civitate David” (Lc II,X-XII).

Caríssimos leitores(as) e amigos(as) , Salve Maria!

Chegamos a mais um fim-de-ano, tempo de reflexão e planos para o futuro. Amanhã é dia de Natal, onde aqueles que são verdadeiramente cristãos vão à Santa Missa e depois comemoram com seus amigos e familiares o natal do Senhor, o nascimento do Cristo Salvador.

Como diz o Evangelho: “nasceu-vos hoje na cidade de David um Salvador que é o Messias Senhor!” (cf. Lc 2,11-12). Comenta Santo Tomás que o nascimento do Redentor deveria ser manifesto por meio dos anjos: “Necessita de ser manifestado o que de si é oculto, não o que é evidente. O corpo do recém-nascido era manifesto, mas Sua divindade estava oculta, e, portanto, era conveniente que se manifestasse aquele nascimento por meio de anjos, que são ministros de Deus; por isso apareceu o anjo rodeado de claridade, para que fosse evidente que o recém-nascido era o ‘esplendor da glória do Pai’ (cf. Heb 1,3)” (Summa Teológica, III, q.36, a.5 ad 1). Pelo fato de Cristo ser o “esplendor da glória do Pai”, diz também o Apóstolo que Nosso Senhor é o “único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores” (cf. 1Tim 6,15).

Este foi um ano de eleições em todo o país. Fomos às urnas e escolhemos os nossos futuros governantes (prefeitos, governadores, presidente da república e seu vice), além de outros agentes da política (deputados estaduais, distritais, federais e senadores). Cabe àqueles que irão governar a sociedade brasileira nos próximos anos, serem governantes ao modelo de Cristo, e submissos a Ele. Ora, o grau de bondade ou justiça nos atos de um governante se considera em relação aos ideais de Justiça e Bondade; como a claridade do dia se avalia pela quantidade de luz, isto é, em relação ao ideal do que é um dia bem claro. Logo, nossos futuros governantes serão mais justos e bons, na medida em que se aproximarem modelo do ideal é o Cristo Rei.

Que neste Natal, a glória do Cristo Salvador do Mundo e Rei dos Reis, possa ser manifesta com toda clareza àqueles que este ano foram eleitos; para que sejam agentes do bem comum e não fonte de vergonha e males para nossa sociedade. Que Cristo possa também ser Senhor, Rei e Salvador daqueles que os elegeram, que exerçam a sua cidadania de forma adequada, principalmente vigiando e cobrando o bem comum daqueles que escolheram para dirigir a nação.

Rezemos e trabalhemos juntos nesta intenção, seguindo sempre o belo conselho de Santo Inácio de Loyola: “trabalha como se tudo dependesse de você e ora como se tudo dependesse de Deus”.

Em nome de todos os que me ajudam a manter o Apostolado Veritatis Splendor, desejo a vocês um Santo Natal e um Feliz Ano Novo. Entraremos em nosso costumeiro recesso e voltaremos no início de Março/2011.

Em Cristo,

Alessandro Lima.

Facebook Comments

Livros recomendados

A morte felizOrdemA presa de Sharpe (Vol. 5)