Respostas Católicas

Igreja católica publica inverdade sobre bispo da universal.

IGREJA CATÓLICA PUBLICA INVERDADE SOBRE BISPO DA UNIVERSAL

“Depois que vi a fita na íntegra, notei que Von Helder não fez nada de mais. (…) A imagem era dele, ele comprou, pertencia a ele. Podia fazer o que quisesse. (…) Inclusive, se o bispo Sérgio von Helder fosse preso [como eu fui, em 1992], seria um herói nacional. Seria mesmo. E a Igreja [Universal] está precisando de um herói. As coisas acabariam revertendo a nosso favor” (Edir Macedo, em entrevista a revista Veja, de 06.12.1995, p. 75).

INTRODUÇÃO

Tem circulado ultimamente o boato de que Von Helder, um quase-esquecido “bispo” da Igreja Universal do Reino de Deus, teria se convertido ao Catolicismo graças a um suposto milagre de Nossa Senhora. Muitos leitores nos questionaram sobre a veracidade de tal boato, pedindo que o confirmássemos ou que o negássemos.

Convém, antes, observar que nós mesmos, do Site do Veritatis Splendor, chegamos a receber inúmeros e-mails contendo o relato do suposto milagre, vários deles nos pedindo para que fosse acrescentado na área de Testemunhos. Contudo, diante das fontes inseguras, bem como pela narração “melodramática”, parecendo mais uma fraude típica de Internet (embora também não duvidássemos que poderia ser um relato verídico), resolvemos não publicá-lo, dando tempo ao tempo, na expectativa de obter alguma informação mais concreta, mais segura.

Pois bem. O fato que nos interessa agora é que a suposta conversão de Von Helder nunca ocorreu. Ele segue ocupando normalmente o seu cargo, agora em Nova Iorque. Aliás, pela entrevista abaixo reproduzida, pode-se perceber, claramente, que o espírito de arrogância e de desrespeito para com a Igreja Católica manteve-se inalterado nestes mais de oito anos. Ou seja, não somente ele não se converteu ao Catolicismo como, ao que tudo indica, permanece absolutamente impermeável, inclusive ao pouco de cristianismo legítimo que existe dentro do protestantismo.

Abaixo, em azul, reproduzimos a manifestação pública da Von Helder acerca deste boato, publicado com autorização no site oficial da IURD. Tomamos a liberdade de reproduzi-lo na íntegra, para que ninguém possa posteriormente dizer que distorcemos o seu desmentido, não consideramos o contexto, ou “colocamos” palavras na boca do referido “bispo”. Em seguida, em preto, acrescentaremos alguns comentários nossos a respeito dessa manifestação.

O DESMENTIDO OFICIAL DE VON HELDER

IGREJA CATÓLICA PUBLICA INVERDADE SOBRE BISPO DA UNIVERSAL

Von Helde nunca esteve na Rede Vida para falar sobre o assunto

19/04/2004 – Agência Unipress Internacional – Por Deila Malta

EUA – Polêmico por seu teor aparentemente milagroso, a notícia de que o bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, Von Helder, se converteu ao catolicismo tem surpreendido muitas pessoas já há algum tempo. Sua conversão à igreja católica, no entanto, nunca existiu. “As pessoas não devem se preocupar porque essas mentiras não são novas e não serão as últimas por parte da igreja católica”, afirma Helder.

O bispo continua exercendo normalmente suas atividades na IURD de Nova Iorque, no Queens, onde está há pelo menos sete meses, além de estar fora do Brasil há cinco anos.

Von Helder esclarece também que nunca esteve na Rede Vida para falar sobre o assunto, conforme publicou a revista católica “Pergunte e Responderemos”, edição 497/Nov 2003, de Dom Estevão Bettencourt. A revista cita, inclusive, que a publicação da matéria só aconteceu porque o próprio Von Helder teria participado de um programa na Rede Vida. Mais uma vez, o bispo nega qualquer aparição no programa. Ratifica ainda que continua praticando a fé cristã como evangélico.

Em entrevista ao Portal Arca Universal, o bispo foi taxativo: “Estou há muito tempo fora do Brasil e seria impossível ter ido à Rede Vida para participar do programa. Fiquei 10 meses na Colômbia, depois três anos no México, mais cinco meses na Venezuela e por fim cheguei em Nova Iorque, onde estou há sete meses.”.

Esta semana, um programa de televisão do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) abordou a mesma história como sendo verdade. Circula também na Internet um e-mail contendo uma mensagem relatando sua suposta conversão.

O suposto milagre

O texto conta que, acometido de uma grave doença, Von Helder teria ido aos Estados Unidos para buscar recursos médicos. Tendo sido cuidado com muito zelo por uma excelente equipe e conseguido sua total recuperação, o pastor teria feito uma confraternização com todos aqueles que o ajudaram. O texto ainda narra que Von Helder teria indagado por uma senhora negra que todas as noites lhe prestava assistência. Assustados, todos responderam que não conheciam tal mulher. O texto finaliza dizendo que o pastor teria ficado convencido de que a mulher, na verdade, era a santa Aparecida.

Em seu entendimento, Von Helder acredita que tudo isso não passa de uma manobra da igreja católica para não perder mais fiéis. “Acho que isto é uma artimanha que eles (igreja católica) sempre usaram para enganar as pessoas. Como elas não têm conhecimento de muitas coisas, não assistem à televisão e, quando assistem, só vêem novela, eles se aproveitam da ignorância das pessoas. Eles se aproveitam para tentar mostrar que a igreja católica continua forte e crescendo. Dizem que o Brasil continua sendo o maior País católico do mundo, quando todo mundo sabe que isso é uma mentira. O Brasil já foi o País que tinha o maior número de católicos do mundo. Hoje já não é. As pesquisas mostram que o número de cristãos evangélicos no Brasil é algo crescente e evidente. Muitos se dizem católicos apenas por tradição e costume.”

O pastor também esclarece que nunca esteve doente como tem sido divulgado na mídia. “Eu estou em perfeitas condições. Eu jogo bola, faço exercícios e nunca tive doença nenhuma.”

Atualmente, Von Helder pastoreia uma comunidade de cerca de 700 membros, na sua maioria hispânicos. “Visito vários Estados e viajo muito, mas continuo à frente dos cultos. Nossa comunidade é muito fervorosa”. Ele completa dizendo: “Essa idéia que a mídia está colocando é a mesma idéia que a Igreja católica coloca em relação à aparição da virgem, Aparecida, Fátima, que aparecem nas árvores, nas calçadas e vidros das casas. Tudo isso são mentiras para poder trazer pessoas de volta, principalmente aquelas que saíram, e tentar trazer de volta aquelas que estão prestes a sair da igreja católica.”

Ele ainda completa dizendo: “Ninguém se converte ao catolicismo. As pessoas nascem e são obrigadas a serem católicas. Os pais acabam impondo uma religião e impõem o catolicismo. O que eu sei é que as pessoas se convertem a Jesus e ao cristianismo. Isso é uma evidência bem clara no Brasil, principalmente na Igreja Universal do Reino de Deus. Todos os que estão na Igreja Universal saíram do catolicismo e se converterem ao cristianismo; ao Senhor Jesus”.

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Há alguns pontos que devem ser analisados e comentados acerca da entrevista acima. O primeiro deles é que todo o artigo se direciona para tentar provar que a Igreja Católica inventou a lenda da conversão de Von Helder para atrair, com isto, fiéis para si. Como se sabe, boatos surgem e se divulgam sem que, sobre eles, se tenha qualquer controle. O fato de que tal boato, em princípio, mostrar-se-ia “bom” para o Catolicismo não é prova de que a Igreja Católica o tenha inventado. Também não o prova o fato de que uma conhecida publicação católica (no caso, a “Pergunte e Responderemos”) ter acreditado no boato e, de uma certa forma, ajudado a propagá-lo.

Ao contrário, nada impede que tal boato tenha se originado nos próprios círculos da IURD. Ora, não é novidade que após o lamentável episódio do “chute da santa”, o sr. Von Helder, em pouco tempo, simplesmente “desapareceu do mapa”. Por onde andava Von Helder? Por vários lugares, como ele mesmo reconhece, mas somente a cúpula da IURD, estabelecida no Brasil, sabia ao certo, já que é ela que transfere de templo os seus pastores.

Pensemos agora: passam-se os anos e ninguém – nem a própria IURD – fala de Von Helder… Mas, eis que de repente, do nada, surge a notícia da “maravilha conversão” do “pastor que chutou a santa”!!! A notícia circula por meses a fio na Internet (mais de ano!), mas, estranhamente, nem a IURD, nem Von Helder se pronunciam… Apenas o silêncio… Seria verdade? A notícia vai se avolumando… Muitos estão curiosos, mas ninguém sabe dizer ao certo… IURD e Von Helder PERMANECEM calados… Nem a TV Record, de propriedade da IURD, faz qualquer comentário a respeito. Por onde anda, afinal, Von Helder? Alguém afirma que foi visto na Rede Vida… Mas quando e em qual programa! Nada se sabe ao certo!!! Então, quando a notícia passa a chamar a atenção dos grandes veículos de comunicação (e o SBT consegue desmentir o relato!), surge a seguir – quando não dá mais para sustentar o silêncio! – a IURD e Von Helder para desmentir!!!!

– Não!!! É mentira! Von Helder é nosso! Continua tão sadio e iconoclasta como dantes!!! Isso é coisa dos “papistas”, dos “romanistas”, dos “jesuítas”… uma conspiração! – diz a IURD…

Isso é uma invenção da Igreja Católica! Uma mentira dessa igreja cujos fiéis são ignorantes noveleiros – esbraveja teatralmente Von Helder, no melhor estilo macediano!

Mas… consideremos com atenção! QUEM, NA REALIDADE, LUCRARIA COM SEMELHANTE MENTIRA? A Igreja Católica, inventando “descaradamente” uma estória que poderia facilmente, desde o início, ser desmentida e que certamente a prejudicaria? Ou a “Igreja” Universal do Reino de Deus que, permitindo que a notícia (=mentira) virasse “destaque nacional”, pudesse, quando o julgasse oportuno (como de fato o fez, quando resolveu “quebrar o silêncio”), vir a público e dizer: “É tudo um embuste! Isso é obra da Igreja Católica! Mentirosa! Só nós dizemos a verdade!”??

A lógica mais simples demonstra que a tal estória não foi inventada pela a Igreja Católica, mas muito provavelmente por algum anti-católico iurdiano, que sabia que, mais cedo ou mais tarde, poderia fazer a estória virar história, seguindo – e comprovando – a lição do ministro da propaganda nazista Göebbels: a mentira repetida ao infinito, com o tempo se transforma em verdade!

Quantos boatos não viram fatos dessa maneira, pela repetição ao infinito e um proposital silêncio mantido pela parte interessada, que lucra com a “história”? As bolsas de valores e o mercado financeiro conhecem muito bem essa matéria… É, na realidade, a mesma tática do pescador, que lança o anzol com a isca no lago e fica aguardando – *por horas a fio e sempre em silêncio* – o peixe morder a isca… E se o peixe não morder a isca? O pescador deixou de pescar, mas também nada perdeu, eis que continua no estado anterior, ou seja, sem peixes…

Quem ganha e quem perde… Assim poderia ser avaliado a origem do boato…

Portanto, se de fato se tratasse de “mais uma conspiração papista” (!), era de se esperar um mínimo de seriedade por parte da IURD (se é que alguém minimamente informado ainda espera algo sério por parte dessa igreja), corroborando com alguma prova, ou pelo menos, com alguns indícios mais convincentes. Era de se esperar que a peremptória afirmação de que a Igreja Católica plantou este boato fosse acompanhada, no mínimo, do nome dos responsáveis por tal mentira.

No entanto, não há provas. Não há indícios. Não há nomes. Não há rigorosamente nada que faça com que alguém no uso normal de suas faculdades mentais leve a sério acusação tão estapafúrdia, infundada e megalomaníaca. Somente a imensa megalomania da IURD – maior ainda que os templos que gosta de construir apenas para impressionar os incautos – pode explicar o fato de a mesma crer que a Igreja Católica estaria tão preocupada com ela (que, convenhamos, faz muito barulho mas é bastante pequena) a ponto de tecer conspirações visando golpeá-la… Aliás, note-se que até mesmo a seita dos cientologistas possui muito mais seguidores que a IURD…

Convém observar que o “discurso vitimizador” da IURD e seus líderes é uma de suas marcas registradas. Não apenas outras igrejas e órgãos de imprensa, como também vários sociólogos que dedicaram centenas de horas ao estudo do “fenômeno IURD” sabem e demonstram que a referida igreja e seus líderes tiram proveito, como ninguém, das “polêmicas” que eles mesmos fazem questão de suscitar e, depois, saem com pose de vítima… Perseguidores representando o papel de perseguidos!

Quem não acredita que a IURD gosta de fazer pose de vítima, considere este pequeno exemplo: abra na página 03 de qualquer edição do jornal “Folha Universal” (1º caderno) e depare logo com uma foto de Edir Macedo, tirada em 1992, quando este estava preso em razão de uma série de “probleminhas judiciais” que até hoje não foram bem esclarecidos (a IURD prefere apenas noticiar quando um ou outro é arquivado, sem entrar em maiores detalhes, como já seria de se esperar…). Na mencionada foto, vemos o líder da IURD atrás das grades, em trajes simples, semblante tranqüilo, lendo a Bíblia… a figura de um homem “justo e sério”, ao que poderia parecer. Mas, como bem notou o sociológo ateu Ricardo Mariano: “Preso, ele representou bem o papel de vítima (…) Enquanto pagava caríssimos honorários a renomados advogados para defendê-lo, dizia sentir-se ‘orgulhoso de estar preso em nome de Deus’ e estar confiante na justiça divina” (Livro “Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil”, p. 75).

Avancemos…

SERIEDADE DA IURD

Não bastasse tudo isso, num conhecidíssimo expediente, a matéria, em nenhum momento, lembrou aos leitores o fato por detrás do boato da conversão de Von Helde: em nenhum momento se mencionou que o “bispo” tornou-se famoso por ter, em rede nacional, chutado uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, causando grande comoção nacional. Sim, não é conveniente lembrar tal fato aos seguidores de Edir Macedo e outros leitores que porventura acessam o artigo. Para que lembrar que o “bispo” – que nos acusa de enganadores e traiçoeiros – tornou-se famoso não por sua santidade ou por seu espírito cristão, mas por ter cometido um crime e desrespeitado o sentimento religioso dos mais de 130 milhões de católicos brasileiros (indignando, com sua atitude, até mesmo muitos protestantes)?

Quem não se lembra do Von Helde, no dia dedicado à Padroeira do Brasil, chutando a imagem de Nossa Senhora Aparecida e, irado e furibundo, asseverando que aquilo “não é Deus coisa nenhuma”, “será que Deus, o Criador do universo, pode ser comparado a um boneco desses, tão feio, tão horrível, tão desgraçado?”, “um pedaço inerte de gesso”? E, posteriormente, ainda declarou, sem arrependimentos: “[A ordem] veio de Deus. Deus me mandou falar o que eu falei. Deus me orientou…” (Veja, 01.11/1995, p. 51). Como quase todos os protestantes iconoclastas, ele desconhece por inteiro – para não dizer que está desprezando mesmo – a doutrina católica, que nunca ensinou serem os santos deuses dignos de adoração. Ou será que ninguém jamais lhe disse que, para o Catolicismo, os santos não são deuses e as suas imagens não são ídolos? E que podem, sim, receber culto de veneração (dulia), mas nunca de adoração (latria)?

Veja também  O DECÁLOGO ADULTERADO DA IGREJA CATÓLICA

A propósito, com relação à idolatria, não se deve esquecer que a IURD, entre as igrejas protestantes, é a que menos pode acusar as demais, vez que se utiliza de todo tipo de mediação material e humana entre Deus e os homens… Ou, então, como poderíamos classificar as suas aspersões com galhos de arruda nas sessões de “descarrego”? Ou a distribuição de rosas ungidas para atrair o amado?

Logo, no terreno da sinceridade e do respeito por seus fiéis, a Igreja Católica está anos-luz à frente da IURD. Por exemplo, aquela, diante de um suposto milagre ou de uma suposta aparição, cerca-se de toda cautela, desestimula seus fiéis a acreditarem em tudo o que vêem, exige comprovações científicas do ocorrido (inclusive com a participação de ateus) para somente então, quando não há mais dúvidas do caráter milagroso de um acontecimento, reconhecer a intervenção divina.

Pergunta-se: este seria o comportamento de uma Igreja interessada em enganar os seus fiéis com falsos milagres?

O Sr. Edir Macedo foi um homem amargurado até encontrar a fórmula do sucesso que vemos hoje. Fez-se membro da Igreja Pentecostal Nova Vida, até 1974. Em 1974, junto com Roberto Augusto Alves, Romildo Soares ( cunhado ) e os irmãos Samuel e Fidelis Coutinho, fundou a Igreja Cruzada do Caminho Eterno. Em 1977 se desentendeu com os irmãos Coutinho e, ao lado do cunhado e de Roberto Augusto inaugurou a IURD na Abolição.

Quatro anos após a fundação, Edir Macedo outorgou o título de “bispo” a si próprio e a Roberto Augusto. ” Esse negócio de bispo é só um título para envolver os católicos”, terá dito Edir Macedo, segundo o depoimento de Roberto Augusto ao Jornal da Tarde de 02/04/1991, pág 16

Edir Macedo tem o dinheiro em grande estima: ” O dinheiro é uma ferramenta sagrada que Deus usa na sua obra ” Jornal da Tarde, 06/04/1991, pág 14 – daí a insistência no pagamento do dízimo.

Assim sendo, Edir faz da sua Igreja um “pronto-socorro” religioso, onde as pessoas afetadas por problemas físicos, psíquicos, familiar, econômico, sentimental, etc, o procuram para saná-las. Deixam a importância de Deus em segundo plano, já que Deus esta ali para servi-los como lhe convierem ( antropocentrismo ).

 

Veja-se, por outro lado, o que acontece nas “igrejas” Universais do Reino de Deus (e, infelizmente, em várias outras igrejas protestantes, neste país e no exterior, muitas delas se “inspirando” no “modelo de $uce$$o” da IURD): todo e qualquer fato, mesmos os mais banais (como uma simples dor de barriga), são cantados e decantados como milagres, sem qualquer comprovação séria que corrobore esta afirmação, e usados como propaganda extensiva para atrair fiéis de outras igrejas. Por exemplo:

– Quem ainda não se lembra do programa Globo Repórter de 15.05.1990, em que Edir Macedo, numa grande concentração no Maracanã, pede para que os presentes com problema de visão atirem seus óculos no campo porque serão imediatamente curados? Ora, centenas de pessoas atenderam ao pedido, mas muitos (se não todos…) continuaram manifestando os mesmos problemas… Pior! Entrevistado a esse respeito, Edir afirma que quem não foi curado certamente não teve fé. Resposta pronta, rápida e fácil. Macedo, entretanto, não esperava o “estalo” da repórter: se o problema era apenas falta de fé, como ele explicaria o fato de que ele mesmo, também usuário de óculos, não fora curado naquele mesmo instante de fé? Justo ele, o líder da fé! Sem graça, acabou por reconhecer que ele próprio não teve fé para se “libertar” dos óculos…

Ou, ainda, esta demonstração de “Teologia Macediana” curativa:

“Toda sorte de miséria e desgraça, até o desemprego, é sintoma da ação do diabo. Não quero dizer que todos os pobres são endemoniados, pelo contrário. Quero dizer que quem tem o diabo no corpo acaba em miséria. (…) Não é difícil converter [um americano] quando ele está no fundo do poço. Não é só o americano, é qualquer pessoa. A pessoa, quando chega até nós, é porque chegou até o fundo do poço. E quando ela está lá, tende a subir ou morrer. Baixar mais não pode” (Veja, 06.12.1995, p. 75)

Pergunta-se: estes são ensinamentos e comportamentos de uma igreja preocupada com a seriedade de suas afirmações?

Que cada um responda como se lhe aprouver…

Não bastasse isso, pesam ainda contra esta denominação outras seríssimas acusações. Acusações de todos os naipes e para todos os gostos:

– Que dizer da “gloriosa aparição” de Edir Macedo em nossas casas, em 22 de dezembro de 1995, ajoelhado, rindo para a câmera enquanto contava dinheiro de coleta num templo de Nova Iorque, gozando: “Este dólar é do Vieira”? (E é interessante que quando indagado sobre o dinheiro e o patrimônio da IURD, Edir Macedo logo desconversa: “Não posso falar em números. A Bíblia ensina que Davi cometeu um grave erro e veio uma maldição sobre o povo judeu porque ele contou o número de pessoas que compunham Israel” [Veja, 06.12.1995, p. 75).

– Ou – um dos casos mais conhecidos – enquanto ensinava seus pastores e bispos a serem, digamos, “mais eficazes” na arrecadação de recursos dos fiéis? Como são ainda latentes as palavras de seu ensino para os bispos e pastores: “Não pode ser mole, não pode ter vergonha nem ser humilde assim (…) Você tem que chegar, se impor e dizer: ‘Ô pessoal, você (sic) vai ajudar agora na obra de Deus e se você quiser ajudar, amém’. (…) Se não quiser, que se dane! (…) Você nunca pode ter vergonha. Peça, peça, peça. Quem quiser dá, quem não quiser não dá (…) Ou dá ou desce! (…) Tem gente que diz: ‘Eu estou cansado de ler a Bíblia e não vejo nada acontecer na minha vida’. Então ele vai lá e pá, põe tudo. Quem embarcar nessa vai ser abençoado; quem não embarcar, não vai. Quem quiser dar, dá; quem não quiser, não dá. Mas tem um montão que vai dar. (…) O padre é humilde e ninguém dá nada para ele (…) e nós vamos lá e bota (sic) pra quebrar, vira cambalhota, é isso aí! Nós não podemos ter medo. Vamos perguntar nos cultos quem quer ter [mediante dinheiro] o cajado de Moisés para vencer na vida e até tirar água da rocha”.

– Ou, também, de um bispo da IURD ameaçando tirar as calças para a câmera?

– Ou, ainda, o recente episódio de um outro “bispo” da Universal envolvido com tramóias de W. Diniz nas loterias do Estado do Rio de Janeiro?

Isso basta… Não é necessário descer nos detalhes de outros escândalos protagonizados pela IURD ou seus dirigentes desde meados de 1980, boa parte mencionados por Ricardo Mariano (Neopentecostais, p. 72): vilipêndio a culto religioso, agressão contra adeptos de umbanda e candomblé, apreensão de material eleitoral de Fernando Collor em templos (1989), processos judiciais e inquéritos policiais contra Macedo e outros pastores, prisão e enriquecimento de Macedo, exploração financeira de fiéis, sonegação de impostos, remessa ilegal de recursos para o exterior, etc.

Pergunta-se mais uma vez: estes são ensinamentos ou comportamentos de uma igreja preocupada com a seriedade de suas afirmações?

Há também acusações de que os pastores da IURD valem por quanto arrecadam de seus fiéis. Acusações de que tais pastores têm uma meta mensal de contribuições a arrecadar. Acusações de charlatanismo, de estelionato, de lavagem de dinheiro, de tráfico de drogas, etc.. E não são acusações feitas por “católicos ávidos em frear o avanço da igreja de Edir Macedo”… Na verdade, tais acusações partem exatamente de ex-pastores da IURD!

Foi um ex-membro desta denominação que gravou e publicou a fita em que Edir Macedo ensinava os seus asseclas a tirarem dinheiro dos fiéis (com a emblemática frase “ou dá ou desce”, já mencionada). Um ex-pastor é que escreveu o livro “Nos Bastidores do Reino: a Vida Secreta da Igreja Universal do Reino de Deus”, oferecendo vários detalhes de seu “mundo interior”. Foi também um ex-pastor que deu a entrevista publicada no jornal “O Expresso de Portugal”, narrando o envolvimento da IURD com uma série imensa de crimes no continente europeu.

Citamos, aqui, apenas um espécimen retirado do livro “Nos Bastidores do Reino”, publicado em 1995:

“Como Hollywood, nós sabíamos explorar o medo infantil que as pessoas têm da figura do diabo. Informado do sucesso na Bahia, o bispo Macedo resolveu marcar uma concentração no maior estádio de Salvador. Ele havia acabado de lotar o Maracanã. E estava disposto a lotar todos os estádios das grandes capitais. Dois meses antes começamos a trabalhar na promoção do que seria o maior de todos os nossos desafios: lotar o Fonte Nova.

Queríamos mostrar aos padres, pastores, pais e mães-de-santo da Bahia que o reinado deles havia acabado. Éramos nós quem dávamos as cartas agora. Também queríamos mostrar aos pastores da própria Universal em outros estados que nós, da Bahia, éramos os melhores.

Todos os pastores do interior ficaram incumbidos de alugar um ônibus e levar o maior número de pessoas possível. Vinhetas nas rádios e nas televisões, outdoors espalhados pelo estado prometiam curas e soluções. Durante as reuniões na igreja, distribuíamos envelopes e fazíamos com que os fiéis colocassem ali o que chamávamos de “oferta de sacrifício” (algo como o salário do mês) e um pedido de oração, que o bispo levaria para Israel, a Terra Santa.

No dia da tão propalada concentração, uma multidão já se aglomerava ao redor do estádio muito antes de os portões serem abertos, às nove da manhã. Quando, enfim, o Woodstock religioso começou, milhares de pessoas,pisoteando velhinhas e crianças, travaram uma disputa agressiva para obter um bom lugar para ouvir o bispo e receber dele os milagres, que era o que interessava àquela gente. (…) O estádio da Fonte Nova estava completamente lotado. Repetia-se em Salvador o fenômeno do Maracanã, no Rio.

Naquela tarde, depois de recolher os envelopes com o “sacrifício” e com os pedidos de oração, que seriam levados para o monte das Oliveiras, em Jerusalém, o bispo pediu aos seus seguidores baianos uma oferta especial para comprar uma emissora de rádio em Salvador, assim como seus fiéis cariocas o haviam contemplado com a rádio Copacabana.

– Será que os cariocas têm mais fé que os baianos? – perguntou o bispo à multidão.

– NÃO! – a resposta retumbou como um trovão. As ofertas vieram em forma de dinheiro e jóias.

Passamos três dias trancados em uma sala contando os sacos de dinheiro levantados no Fonte Nova. No final, o dinheiro foi depositado na conta da Igreja, no Bradesco, em Salvador. O ouro seria levado para o Rio de janeiro e transformado em barras. Quanto aos pedidos de oração que seriam levados para Israel – bem, eles foram queimados na praia da Boca do Rio.

Quando eu era um simples fiel, não imaginava o que se passava nos bastidores, depois que a cortina cai. Os atos de alguns pastores logo me levaram a descobrir que a Igreja Universal nada mais era do que uma empresa com fins lucrativos como qualquer outra na ciranda financeira. A única diferença era o produto vendido: sal que tira vício, lencinhos molhados no “vinho curativo” – o conhecido K-Suco -, água da Embasa, que dizíamos ter vindo do Rio Jordão, azeite Galo, que dávamos ao povo como legítimo óleo ungido proveniente de Jerusalém, e uma longa lista de outros produtos tão falsos quanto as gotas de leite extraídos dos seios da Virgem Maria, que eram vendidas na Europa, nos primeiros séculos, aos otários em busca de milagres” (Mário Justino foi pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, falecido recentemente).

Pergunta-se uma outra vez: estes são ensinamentos ou comportamentos de uma igreja preocupada com a seriedade de suas afirmações?

Acrescente-se ainda que a matéria da Arca Universal desvirtua a realidade dos fatos. Diz a matéria: “Esta semana, um programa de televisão do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT) abordou a mesma história como sendo verdade”. Mentira! Na realidade, o programa do SBT (no caso, o “Programa do Ratinho”) trouxe a realidade dos fatos! Talvez a contragosto da IURD e Von Helde, o SBT correu atrás da “história” e acabou descobrindo (embora também não tenha encontrado Von Helde, nem obtido o pronunciamento oficial da IURD) que tudo não passava de um boato, como tantos outros que circulam na Internet. Com efeito, o SBT não apresentou o boato como verdade, mas buscou a verdade. Por que a TV Record, pertencente à IURD, não fez o mesmo, muito antes que o SBT??

AS “SÁBIAS” PALAVRAS DE VON HELDE

Passemos agora a analisar, com atenção, o pequeno “discurso teológico” de Von Helde em seu entrevista à “Arca Universal”. Suas palavras podem ser agrupadas em duas seções, assim constituídas:

a) Onde esteve durante todo este tempo

“Estou há muito tempo fora do Brasil e seria impossível ter ido à Rede Vida para participar do programa. Fiquei 10 meses na Colômbia, depois três anos no México, mais cinco meses na Venezuela e por fim cheguei em Nova Iorque, onde estou há sete meses. / Visito vários Estados e viajo muito, mas continuo à frente dos cultos. Nossa comunidade é muito fervorosa”.

Lamentavelmente, Von Helde deixou muito a desejar neste tópico. Menciona só o que lhe convém, fazendo parecer que sua vida permaneceu e continua normal após aquele fatídico dia 12 de outubro de 1995. Ledo engano!

Logo após os acontecimentos – no mesmo dia – Von Helde foi indiciado na 27ª Delegacia de Polícia de São Paulo, acusado de vilipêndio a objeto de culto religioso (art. 208 do Código Penal) e estímulo ao preconceito religioso. Em 31 de abril de 1997, foi condenado a dois anos e dois meses de prisão, só podendo apelar em liberdade por ser réu primário. Contudo, isto se constituiu em fato histórico – talvez propositadamente esquecido por ele agora – pois foi a primeira condenação desse tipo que ocorreu na História da Justiça Brasileira!

Veja também  Por que a Arca de Noé e o Dilúvio são tidos como figuras da Igreja Católica e do Batismo?

Sua atitude iconoclasta na TV obrigou seu “chefe”, Edir Macedo, a efetuar pronunciamento oficial sucessivas vezes nas redes de televisão e rádio. Pediu desculpas pela agressão à imagem (depois voltou atrás) e classificou a atitude de Von Helde de “impensada, insensata, inconseqüente e desastrosa” (eis as palavras literalmente usadas!), uma atitude “de menino”. Macedo chegou a oferecer 10 minutos à Igreja Católica, na programação da TV Record, que foram prontamente recusados.

Ainda em função da sua “atitude de menino”, Von Helde perdeu o cargo e, afastado do Brasil, foi enviado para os Estados Unidos (muito antes de passar por todos os locais citados acima, em sua entrevista). Na mesma oportunidade, o agora ex-pastor da IURD, Ronaldo Didini, então apresentador do programa 25ª Hora (TV Record), que havia manifestado apoio a Von Helde antes do pedido público de desculpas de Macedo, foi afastado do referido programa e enviado para a África do Sul.

Tendo deixado o país, o nome de Von Helde foi aos poucos riscado da lembrança dos brasileiros (sendo citado apenas pelos sociólogos da religião) até o surgimento do boato de sua “conversão”, talvez uma estratégia para poder regressar ao país radiante como “a pobre vítima da vilã Igreja Católica”…

b) Ataques infundados contra a Igreja Católica

Como diz certo ditado popular, “a melhor defesa é o ataque”. Um boato corria há meses a Internet, dando conta de que o “bispo”-agressor da imagem de Nossa Senhora Aparecida teria se convertido ao Catolicismo. Boato que de tanto ser passado e repassado para os e-mails de milhões de internautas – e nunca ser desmentido – acabou por se tornar “fato”. Aliás, quem já não deixou de comprar algum produto alimentício ou de higiene por ter recebido um e-mail afirmando que o mesmo era cancerígeno ou algo assim?

Sim! Von Helde precisava se pronunciar a respeito, dizer se tal “conversão” era fato ou boato. Estava dentro do seu direito. Bastava um simples “sim” ou “não”, como Cristo recomenda em seu Evangelho: “Seu sim seja sim; seu não seja não. O que ultrapassa disso, vem do Maligno” (…).

Mas não! Esquecendo por completo o conselho do Salvador – demonstrando que suas palavras realmente vêm do Maligno – resolveu fazer algo pior, infringindo outro conselho evangélico: “Não julgueis para que não sejais julgados” (…). E passou da condição de vítima a juiz:

“As pessoas não devem se preocupar porque essas mentiras não são novas e não serão as últimas por parte da igreja católica. / Eu estou em perfeitas condições. Eu jogo bola, faço exercícios e nunca tive doença nenhuma. / Acho que isto é uma artimanha que eles (igreja católica) sempre usaram para enganar as pessoas. Como elas não têm conhecimento de muitas coisas, não assistem à televisão e, quando assistem, só vêem novela, eles se aproveitam da ignorância das pessoas”.

Por primeiro, Von Helde classifica a Igreja Católica de mentirosa. Infelizmente, não indica em que se baseia a sua afirmação.

Se for em razão do boato de sua conversão, já se disse aqui que não há a mínima prova de uma eventual origem “católica”, bem como de que tal blefe constituiria maior vantagem para a IURD do que para a própria Igreja Católica (de modo que se inverte a tese inicial, possibilitando que o referido boato tivesse uma origem iurdiana ou, no mínimo, anti-católica). Ora, não havendo como provar que boato surgiu dentro da Igreja Católica, resta óbvio que o próprio Von Helde se transforma em mentiroso e leviano por querer afirmar o contrário sem qualquer justificativa sensata…

Se, por outro lado, Von Helde chama a Igreja Católica de mentirosa por qualquer outro motivo, faltou-lhe dizer qual a razão, esvaziando por completo as suas palavras. Mero blá-blá-blá sem a mínima sensatez!

No entanto, Von Helde diz uma meia verdade quando fala da “ignorância dos católicos” e seu, digamos, “aproveitamento religioso”. É um fato que muitos católicos são despreparados e não se aprofundam em sua fé, quer por simplicidade, quer por falta de vontade. São exatamente esses que as seitas religiosas – muito em especial a IURD – procuram para arrebatar-lhes da sua fé católica.

A Igreja Católica não se aproveita de seus filhos, porque recebeu a tarefa de evangelização diretamente das mãos de seu Divino Fundador, Jesus Cristo. Leiam-se o Catecismo da Igreja, os documentos pontifícios, as alocuções do papa, etc. (tudo em conformidade com a Bíblia e a Tradição) e apontem-se erros de doutrina ou moral! Não existem! A Igreja se indispõe contra a sociedade libertina, contra os grandes laboratórios, contra os governos totalitários etc., mas não muda um til de sua doutrina e moral bimilenar, doa a quem doer!

O mesmo, infelizmente, não se pode dizer da IURD! Sim, ela se aproveita dos católicos fracos na fé, da mesma forma como faz proselitismo barato entre protestantes históricos, espíritas kardecistas, umbandistas e macumbeiros! Ela, como a maioria das seitas, lucra com a ignorância religiosa! Ela chega a ponto de anatemizar os estudos, principalmente os teológicos! Edir Macedo cursou o Seminário Unido (RJ), mas escreveu: “todas as formas e todos os ramos da teologia são fúteis”, “[o] cristianismo [é] de muita teoria e pouca prática; muita teologia e pouco poder; muitos argumentos e pouca manifestação; muitas palavras, pouca fé” (Livro “A Libertação da Teologia”). O detalhe é que Edir Macedo só chegou à essa conclusão quando, tendo aberto a Faculdade Teológica Universal do Reino de Deus (Faturd), com cursos de 3 e 4 anos, verificou que gastava inutilmente o seu tempo e diminuía o fervor dos pastores, distanciando-os das necessidades imediatas dos fiéis, refletindo nos intere$$e$ da igreja…

Justamente por tudo isso se explica o $uce$$o financeiro da IURD: quem, devidamente instruído na fé cristã, gastaria seu dinheiro comprando bálsamo sagrado, azeite do amor, rosa ungida, vara de Jacó, xerox abençoada, sabonete de descarrego, vassoura consagrada, pedra de Israel, água do Jordão, cajado de Moisés etc. ou colaborando com “leilões de ofertas” (“quem tem coragem de desafiar Deus e dar R$ 100? E R$ 50? E R$ 20?…”) ou, ainda, se dispondo a oferecer super-dízimos de 20%, 30% ou todo o dinheiro da poupança, deixando toda a família passar fome em casa?

“Eles (=os católicos) se aproveitam para tentar mostrar que a igreja católica continua forte e crescendo. Dizem que o Brasil continua sendo o maior País católico do mundo, quando todo mundo sabe que isso é uma mentira. O Brasil já foi o País que tinha o maior número de católicos do mundo. Hoje já não é. As pesquisas mostram que o número de cristãos evangélicos no Brasil é algo crescente e evidente. Muitos se dizem católicos apenas por tradição e costume”

A Igreja Católica é forte não em virtude de seus dirigentes e fiéis, todos homens e pecadores, mas por causa de seu Fundador, Jesus Cristo, santo, verdadeiro Deus e homem. Foi Ele quem prometeu que estaria todos os dias conosco até a consumação dos séculos (…)! Onde estava a IURD quando Jesus fez essa promessa? Onde estava a IURD quando o Espírito Santo desceu sobre Maria e os Apóstolos, no dia de Pentecostes? Onde estava a IURD quando São Paulo se converteu? E onde estava quando S. João recebeu as visões do Apocalipse? Onde estava a IURD quando milhares de cristãos católicos eram devorados no Coliseu romano?…

Sim, os dados do Censo do IBGE mostram que o número de evangélicos cresceu… E daí? O país mudou para melhor ou para pior no século XX? Não há dúvida que evoluiu para pior! E não foi apenas os evangélicos que aumentaram, mas também os que se dizem sem religião, em proporção maior até que os evangélicos… É interessante notar, também, que o maior número de “sem religião” é justamente no “maior Estado evangélico”, ou seja, Rio de Janeiro.

Mas, pensando bem: o que é “ser evangélico”? Em um universo de 30 mil denominações “evangélicas”, cada uma crendo e defendendo doutrinas diferentes das demais, “ser evangélico” pouco ou nada significa… Ou… É ser anticatólico? Mas há “evangélicos” que não são anticatólicos… É aceitar a Bíblia como única regra de fé? Mas há “evangélicos” que agregam outros livros à Bíblia… É ter Jesus como seu único Salvador? Mas os católicos também o tem como único Salvador… É ser anti-mariano? Mas há “evangélicos” que possuem grande veneração por Maria… Afinal, o que é “ser evangélico”? Ser evangélico é não ser católico! É viajar para algum país e perder sua identidade, porque não encontra um “irmão evangélico” que pense exatamente como ele ou que pratique a religião como ele…

Verdade seja dita: os que ficam na Igreja Católica sabem muito bem o motivo pelo qual não devem deixá-la. E o motivo é este: trata-se da única Igreja com ligação com Jesus, a quem Ele entregou todos os meios de salvação. É verdade que alguns meios podem ser encontrados fora da Igreja, mas a plenitude de meios está apenas na Igreja Católica. Cristo não seria polígamo! É impensável e completamente ilógico que todos os cristãos que morreram antes de 1977 – quando Macedo decidiu abrir sua igreja nas dependências de uma antiga funerária do Rio de Janeiro – tenham ido parar no Inferno só porque a IURD não podia trazer-lhes a “verdadeira mensagem” de “libertação e salvação”…

A promessa de Cristo – de permanecer SEMPRE com a sua Igreja – esteve (e está) sempre disponível. Deus jamais precisou que um “iluminado” resolvesse fundar uma igreja, além da Igreja Católica, fundada por Cristo Jesus, para oferecer sua salvação aos homens! Tal pensamento é incongruente, antilógico e antibíblico!

Além disto, frise-se, se em alguns países a Igreja Católica passa por uma crise, a mesma, no mundo, continua crescendo a olhas vistos. Vejam-se as palavras de D. Eugênio Sales n’ O Dia – Domingo, 20 de junho de 2004 (grifou-se).

 

O Departamento de Estatística da Igreja, nestes dias, publicou o Annuarium Statisticum Ecclesiae. Apresenta um panorama dos principais fenômenos quantitativos que interessam à Igreja Católica nos diversos países e continentes. Os fiéis católicos (batizados) de 1978 a 2002, cresceram de 757 milhões para 1 bilhão e 70 milhões. No mesmo espaço de tempo, o número de bispos, Sucessores dos Apóstolos, passou de 3.714 a 4.695. A seguir, apresenta o quadro dos sacerdotes diocesanos e religiosos, diáconos permanentes, candidatos ao sacerdócio, religiosos professos não sacerdotes e religiosas professas. Muito expressivo o título que o L’Osservatore Romano dá a esse estudo e pesquisa: “O crescimento lento e constante da Igreja Católica no mundo inteiro”.
 

Acho que isto já basta para colocar a afirmação de Von Helde em seu devido lugar.
 

 

“Essa idéia que a mídia está colocando é a mesma idéia que a Igreja católica coloca em relação à aparição da virgem, Aparecida, Fátima, que aparecem nas árvores, nas calçadas e vidros das casas. Tudo isso são mentiras para poder trazer pessoas de volta, principalmente aquelas que saíram, e tentar trazer de volta aquelas que estão prestes a sair da igreja católica”.

Pode não parecer, mas encontramos aqui uma contradição na declaração de Von Helde, favorecendo a tese de que a “estória” de sua conversão possa ter se originado dentro da própria IURD.

Com efeito; sabe-se que há muito tempo (mais de 12 meses!) circulava a estória da conversão de Von Helder, especialmente na Internet. Mas inexistia qualquer desmentido, quer da IURD, quer de Von Helde. A IURD teria interesse nesse silêncio, pois quanto mais o boato se expandisse, maiores seriam seus frutos após um desmentido… Conhecendo os métodos “sinceros” da IURD (v. a frase de Edir Macedo com que iniciamos este artigo), não é pois de se estranhar o seu silêncio, a sua omissão.

Mas, e quanto a Von Helde? Alguém poderia dizer que nem imaginava que tal assunto estivesse circulando, pois estrava longe do Brasil, sem qualquer contato com os assuntos religiosos do Brasil; não tinha, então, como oferecer um esclarecimento, numa atitude correta de caridade cristã…

No entanto, verifica-se que Von Helde está sim familiarizado com o que ocorria no Brasil, eis que cita algo recentemente ocorrido numa casa do Estado de São Paulo: uma mancha que apareceu no vidro de uma janela, com a forma de imagem da Virgem Maria, ocorrida há aproximadamente… 12 meses!

Fica, pois, difícil de se conceber que Von Helde não sabia do boato de sua conversão que circulava no Brasil, ainda que sua igreja não o tivesse deixado a par. Ao que parece, o que prevaleceu mesmo foi a omissão, com vistas apenas nos “bons frutos” que poderiam ser colhidos (=lucrados) pela IURD.

A atitude agressiva de Von Helde, acusando injustificadamente a Igreja Católica – sendo que não é necessário ser PhD. em Harvard para se perceber que se a Igreja Católica tivesse inventado tal boato, estaria esquecendo que “a mentira tem perna curta” e que rapidamente seria desmentida – somente aumentam as suspeitas de que o relato foi criado por uma mente iurdiana.

“Ninguém se converte ao catolicismo. As pessoas nascem e são obrigadas a serem católicas. Os pais acabam impondo uma religião e impõem o catolicismo. O que eu sei é que as pessoas se convertem a Jesus e ao cristianismo. Isso é uma evidência bem clara no Brasil, principalmente na Igreja Universal do Reino de Deus. Todos os que estão na Igreja Universal saíram do catolicismo e se converteram ao cristianismo, ao Senhor Jesus”.

A área de testemunhos do Veritatis Splendor prova justamente o contrário. Aliás, vários membros deste Apostolado vieram do Protestantismo. Na verdade, o que se tem verificado é que a conversão para o Catolicismo costuma a ser consciente, enquanto que a saída de fiéis desta Igreja costuma se dar por razões emotivas, pouco conscientes.

Com relação à afirmativa de que todos os fiéis da Universal vieram do Catolicismo, soa como um simples sofisma, vez que a IURD busca muita gente no espiritismo, na umbanda e candomblé (o próprio Edir Macedo, “católico de verniz”, é, na verdade, oriundo da umbanda), além de promover proselitismo barato entre protestantes de outras denominação.

Veja também  NASCE A IGREJA

Para finalizar, é bom que se recorde que muitos “evangélicos” não consideram a IURD como igreja evangélica. Entre outros casos, a IURD foi expulsa da Aliança Evangélica Portuguesa e, volta e meia, tem sua identidade “evangélica” questionada por outras igrejas protestantes, sérias ou não….

UMA PALAVRA FINAL SOBRE A PUBLICAÇÃO DO BOATO NA REVISTA “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”

Por fim, resta-nos comentar algo a respeito da publicação do boato de “conversão” de Von Helde na conceituadíssima revista Pergunte e Responderemos.

Primeiramente, devemos recordar que Pergunte e Responderemos é uma publicação especializada em teologia e filosofia, dirigida e redigida pelo respeitadíssimo teólogo d. Estêvão Tavares Bettencourt (osb), que dispensa maiores apresentações. Há mais de 40 anos, Pergunte e Responderemos goza da confiança não apenas de católicos, como também de muitos protestantes. Não são poucos os protestantes que fazem uso das informações publicadas nessa revista, principalmente em suas monografias, dissertações e teses acadêmicas em cursos de Ciência da Religião.

Pois bem. Embora não sejamos porta-vozes de Pergunte e Responderemos, estamos certos de que a publicação da matéria não teve como intenção criar ou divulgar uma “barriga” (=falsa notícia, como se diz na imprensa). Isto claramente se deduz pelas circunstâncias em que o relato foi publicado em Pergunte e Responderemos:

1º) O relato é um simples anexo (e nada mais que um anexo!) de um artigo principal, chamado “Pastor protestante protesta”, em que um certo pastor envia um e-mail para a redação da revista abordando a interpretação protestante sobre as indulgências e citando certas práticas da IURD e igrejas assemelhadas que, para o referido pastor, seria um “aperfeiçoamento” neopentecostal da matéria das indulgências. Com efeito, o foco da revista era comentar o e-mail recebido desse pastor… Contudo, tendo sobrado algum espaço em branco (cerca de meia página), d. Estêvão o preenche com a pseudo-conversão de Von Helde.

2º) Logo de início, d. Estêvão declara que recebeu “mais de uma vez” a notícia da conversão de Von Helde, mas que nunca a publicara. Diz, porém, que – naquele momento – lhe chegara a informação de que Von Helde teria aparecido na Rede Vida, motivo pelo qual agora passava a acreditar no relato e o reproduzia “tal como transmitida via Internet”. Repassa, portanto, algo que recebeu de terceiro; não é d. Estêvão que afirma que viu Von Helde na TV! Logo, d. Estêvão, já na casa dos seus 90 anos, é que foi vítima de um e-mail mal-intencionado, que tentou – isto sim! – abalar a credibilidade da sua revista.

3º) Dom Estêvão, acreditando no e-mail que lhe chegou, acaba ainda fazendo os seguintes votos a Von Helde: “Guarde ela (Maria) com materno amor este seu novo filho!”. Indubitável a boa-fé de d. Estêvão!

A falha, contudo, não abala a imagem de Pergunte e Responderemos! Uma falha em mais de 40 anos de publicação não tem o condão de conseguir tal portento! Até mesmo a revista Isto É, de 21.04.2004, considera d. Estêvão insuspeito! Quisera Deus que ocorresse o mesmo na Folha Universal, publicada pela IURD! Porém, não é o que ocorre… Na Folha Universal, com muito menos da metade da idade de Pergunte e Responderemos, o que não faltam são calúnias, difamações, erros e mais erros – históricos, lógicos, doutrinários etc. – não só contra a Igreja Católica e seus membros, mas também contra outras religiões, inclusive outras igrejas protestantes!

Ademais, é bom que se esclareça aqui uma outra coisa: a revista Pergunte e Responderemos, embora de conteúdo excelente, não é órgão oficial da Igreja Católica, do mesmo modo como também não são as revistas e os jornais de orientação católica – inclusive os impressos paroquiais – que circulam por aí… A suposta conversão de Von Helde não apareceu na Acta Apostolicae Sedis, do Vaticano (este sim, órgão oficial da Igreja Católica), ou assemelhado, de responsabilidade da CNBB ou de uma diocese em específico.

Com efeito, esvazia-se também aqui a leviana acusação de Von Helde/IURD, de que a Igreja Católica (mediante a revista Pergunte e Responderemos) mentiu para a população, visando arregimentar fiéis! Graças a Deus, o proselitismo não é prática do Catolicismo! Será que a IURD poderia afirmar o mesmo? 😉

Concluindo…

Falar é extremamente fácil: basta alguém querer ou ter interesse (e neste caso, poderia sim haver o interesse da IURD ou Von Helde, como bem demonstramos… );

Desmentir é tão fácil quanto falar: basta que o principal interessado o queira (como poderiam e deveriam fazer a IURD e Von Helde desde logo, há mais de 1 ano, e não fizeram; foi necessário o SBT correr atrás da “história” – por que não a TV Record? – e descobrir a verdade, tornando insustentável o boato, para só depois a IURD e Von Helde se pronunciarem…);

Grande problema é provar o que se fala: é regra básica de direito que o ônus da prova cabe sempre a quem acusa. Se foi a Igreja Católica a “inventora da estória”, tanto IURD quanto Von Helde deveriam trazer-nos provas. Mais uma vez, nos acusam e querem aparecer como vítimas…

* * *

ANEXO – Quem ganharia e quem perderia com a falsa história de conversão de Von Helde?

Eis a imagem da Igreja Universal do Reino de Deus:

1) Pesquisa Datafolha de 05/06 de janeiro de 1996, realizada em São Paulo:

70% dos paulistanos associam a IURD a aspectos negativos, sendo os mais apontados:

– Charlatanismo (19%)

– Exploração dos fiéis (16%)

– Desonestidade (11%)

54% dos paulistanos crêem que a IURD usa dízimos e ofertas na compra de bens para os seus líderes

2) Pesquisa Novo Nascimento (ISER), realizada na Grande Rio de Janeiro, apenas com evangélicos:

– IURD possui a pior nota conferida às igrejas protestantes

– IURD possui a maior taxa de rejeição

3) Jornal do Brasil/Vox Populi (26 de maio de 1996)

– Com relação à atuação de cada uma das instituições que vamos citar, você diria o quê?

. Igreja Universal do Reino de Deus: 17% (aprovação); 69% (desaprovação); 14% (sem opinião) – último lugar

Desaprovação por Estados

. 81% – Fortaleza

. 76% – Recife

. 73% – Salvador

. 72% – Belo Horizonte

. 70% – Curitiba/Porto Alegre

. 66% – Rio de Janeiro/São Paulo

Segundo o diretor do instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, “esses números refletem claramente o repúdio ao chute na imagem da santa”.

Vamos, agora, à imagem da Igreja Católica:

1) Jornal de Opinião (06/12 de março de 1993)

– Qual a instituição de maior credibilidade? 1º lugar: Igreja Católica (82%)

2) Jornal do Brasil (11 de novembro de 1994)

– Qual a instituição mais confiável? 1º lugar: Igreja Católica (77%)

3) Jornal do Brasil/Vox Populi (26 de maio de 1996)

– Com relação à atuação de cada uma das instituições que vamos citar, você diria o quê?

Igreja Católica: 72% (aprovação); 12% (desaprovação); 16% (sem opinião)

4) Confederação Nacional dos Transportes (08/10 de março de 2003)

– Das seguintes instituições, em qual você mais confia? 1º lugar: Igreja (36,3%)

5) Jornal Correio da Paraíba (25 de maio de 2003)

1. Em que você mais confia? 1º lugar: Igreja (54,7%)

2. Onde você acha que existe mais corrupção? Último lugar: Igreja (3,4%)

6) OAB/Instituto Toledo e Associados (13 de novembro de 2003)

– Qual a instituição brasileira de maior credibilidade? 1º lugar: Igreja (74%)

Pois bem: contra fatos não há argumentos! Desde que a Igreja Católica é inserida nas pesquisas de opinião sobre confiabilidade das instituições (e a primeira vez se deu em 1984), ela ocupou *sempre* o 1º lugar! Com efeito, a credibilidade da Igreja Católica é um fato estatisticamente comprovado. Seria muito bom que a IURD pudesse apresentar alguma pesquisa de opinião em que aparecesse em 1º lugar em algum aspecto de confiabilidade!

Assim sendo, pergunta-se novamente: por que ou para que a Igreja Católica precisaria arranhar a sua ótima imagem por causa da IURD? A Igreja Católica nunca precisou – nem precisará – da IURD, pois basta-lhe Cristo ter-lhe prometido que estaria com ela até o fim dos tempos! Cristo não é mentiroso, é a 2ª Pessoa da Santíssima Trindade: cumprirá sua promessa! Pena a IURD não poder dizer o mesmo, nem ter a mesma garantia inexpirável do Senhor…

****

Quem ainda estiver interessado em outros artigos bastante interessantes acerca dos bastidores da IURD pode acessar os seguintes links dentre tantos outros existentes na WEB:

http://www.veritatis.com.br/article/2780

http://www.veritatis.com.br/article/2257

http://www.veritatis.com.br/article/462

http://www.veritatis.com.br/article/412

 

Os interessados podem, igualmente, pesquisar as seguintes reportagens acerca da IURD:

1 – Rituais de exorcismo, chamados de “sessões de descarrego”, transformam-se em espetáculos para conquistar fiéis. (Alexandre Mansur e Luciana Vicária.Publicado na Revista Época – Edição 258 – 28/04/2003)

2- Dízimo move a máquina (Publicado no Jornal Provincia da Bahia; Original em http://www.provinciadabahia.com.br/27/iurd3.html )

3 – Igreja Universal é denunciada por discriminação religiosa (Publicado no Jornal O Estado de S. Paulo em 16/04/2003 Fonte: http://www.estadao.com.br/agestado/noticias/2003/abr/16/115.htm)

4 – Membro da Igreja Universal de Cândido Mota acusa Pastor de omissão

Publicado no Jornal Voz da Terra em 27/04/2001

Fonte: <http://www2.uol.com.br/vozdaterra/policia/po2704200101.htm>

5 – Reportagem de Nelson De Sá Editor Da Ilustrada

<http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2002200422.htm>

6 – Ministério Público da Bahia pede prisão de pastor por morte de jovem
Luiz Francisco

Publicado em 09/11/2001 no Jornal Folha de S. Paulo

7 – Pai de rapaz assassinado acampa em frente ao MP

Publicado no Jornal O Estado de S. Paulo em 30/10/2001

8 – Igreja Universal no Mundo .com
Publicado no Site
www.cocadaboa.com http://www.cocadaboa.com/

9 – Afanásio Jazadji recebe indenização da Igreja Universal

Publicado no Jornal do Brasil em 08/09/2001

10 – Pastores presos em Caxias

Publicado no Jornal O Dia 30/11/2001

11 – Pastor acusado de violentar menor

Jornal A noticia em 27/01/99

12 – Pastor da Universal é preso por suspeita de estupro

Publicado no diario on line em 25/01 – 23h25

13 – Motorista é ferido e seguranças da Igreja Universal sao acusados pela agressao

Publicado no Diario On Line em 10/01/1999 – 21h41

14 – Tabloide devassa a Igreja do bispo Macedo nos EUA

Publicado no Site Tribuna da Imprensa em 29/7/2000

15 – “Hermanos” (el dinero es humano, el poder es divino)

Publicado em 17 de outubro de 2001 jornal telenoche investiga da argentina

Fonte: http://www.telenocheinvestiga.com.ar/notas2001/01-10-17/clasico/nota01_01.asp

16 – Entre o terreiro e o altar
Élcio Braga

Publicado no Jornal O Dia em 06/08/2001

17 – Macedo ensina que cheque sem fundo não é de Deus

Vera Rosa

Publicado no Jornal O Estado de S. Paulo em 19/08/2001

18 – Fisco manda Universal pagar R$ 48 milhões
Valderez Caetano

Publicado no Jornal do Brasil em 26/07/2001

19 – Ex-empresaria fica pobre doando dizimo
Cristovaldo Rodrigues

Publicado no Jornal A Tarde em 07/05/2001

20 – Inquérito em Londres pode atingir Universal
João Caminoto

Publicado no Jornal O Estado de S. Paulo em 21/01/2001

21 – Igreja Investigada em Morte de Criança
João Caminoto

Fonte: http://www.estadao.com.br/agestado/internacional/2001/jan/20/101.htm

22 – Justiça condena pastor da Universal a devolver dinheiro a fiel

Publicado no Jornal do Brasil em 25/08/00

23 – Bispo Macedo será ouvido hoje pela Justiça

Publicado no Jornal do Brasil em 21/08/2000

24 – Edir Macedo Some e Audiências Sã o Adiadas

Publicado no Jornal O Estado De S. Paulo em 22/08/2000

25 – Edir Macedo responderá a processo por contrabando

Publicado no Jornal O Estado de São Paulo de Sexta, 14 de julho de 2000

26 – Universal aufere lucros até de madrugada
Ricardo Valladares

fonte:IstoÉ, 28/05/2000

27 – Governo vai investigar venda da Record à Igreja Universal

Publicado no Jornal Folha de São Paulo de 02/04/00

28 – Em nome da multiplicação

Publicado no Jornal O Dia na Sexta, 31 /03/2000.

Ex-pastores da Igreja Universal do Reino de Deus fazem protesto contra a vasectomia

29 – Imagem é alvo preferencial de ataques da igreja de Macedo

Publicado no Jornal O Dia no Domingo, 4/07/1999

30 – Governo investiga a Igreja Universal

Publicado no Jornal O Dia na Terça, 10/08/1999.

31 – Os trunfos da igreja do bispo Macedo

Publicado no Jornal O DIA de Domingo, 18/07/1999.

32 – Record tem firmas em paraísos fiscais

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 18/07/1999

33 – Universal sofre mais ações

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 31/05/1999

34 – Garoto morre afogado em tanque de igreja

Publicado em 17/01/1999 no Jornal Folha de São Paulo

35 – Polícia indicia mais 1 no caso da Universal
Crispim Alves

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 23/12/98

36 – Se você crê em Jesus venha pegar seu envelope do dízimo’
Rosa Bastos

Publicado no Jornal O Estado de São Paulo em 12/09/1998

37 – PF vai apurar suspeita de ligação com tráfico

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 24/01/96

38 – Receita cobra 5 anos de IR da Universal
Liliana Lavoratti

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 30/12/95

39 – Dissidente relata esquema de envio de divisas

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 30/12/95

Autor: FÁBIO GUIBU Da Agência Folha, em Recife

40 – Edir Macedo exibiu filme pornô, diz pastor
Fábio Guibu

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 28/12/95

41 – Vídeo ensina pastor a arrecadar dinheiro
Daniela Falcão

Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 23/12/95

42 – Morte Praticado por pastor da Universal

<http://www.seol.com.br/cidadealerta/hoje/articles.php?task=view&articleID=198>

 

Haveria muitos outros artigos a serem mencionados. Os acima, contudo, já bastam para colocar a IURD e suas estapafúrdias acusações no seu devido lugar.

É possível, também, encontrar, como livro convencional ou na Internet, na íntegra, a obra do ex-pastor iurdiano Mário Justino, “Nos Bastidores do Reino: a vida secreta na Igreja Universal do Reino de Deus” (basta procurar no Google).


Livros recomendados

A Fé da Igreja – Em que Deve Crer o Cristão de HojeSócrates Encontra MarxA Cinza do Purgatório





About the author

Veritatis Splendor