– “Como se pode dizer que os irmãos de Jesus eram primos do Senhor, alegando que em hebraico não havia vocábulo próprio para designar primos? Em Lucas 1,36 lê-se que Isabel, ‘prima’ de Maria, concebeu um filho” (Macário – São Paulo-SP).

No artigo “Quem eram os ‘irmãos de Jesus’?” dissemos que os hebreus, em seu vocabulário deficiente, davam o nome de irmãos não somente a filhos do mesmo leito conjugal, mas também a familiares e próximos consanguíneos. E mostrávamos como os irmãos de Jesus de que fala o Evangelho, não podem ser senão primos do Senhor.

Está claro que a interpretação da Sagrada Escritura, como aliás a de qualquer documento, há de ser feita na base do texto original; uma afirmação científica que reivindique autoridade para si, não pode ser fundada em traduções. Ora, a dificuldade apresentada na pergunta acima está baseada, exclusivamente, numa tradução vernácula do texto sagrado. O original do Evangelho de São Lucas, redigido em grego, dá a ler em 1,36: “Elisabet he suggenís sou”, o que significa propriamente: “Isabel, a tua parenta/consanguínea/familiar”. Retrocedendo, pois, ao original do texto analisado, não encontramos o vocábulo que causa o problema: “prima”. Assim, se mostra inconsistente a objeção proposta.

A título de ilustração, seja acrescentado o seguinte: pesquisando a literatura antiga, verifica-se que Taciano, autor que no séc. II traduziu os Santos Evangelhos do grego para o sírio (língua muito próxima ao hebraico e ao aramaico bíblicos), empregou em Lucas 1,36 o termo “atach”, “tua irmã”. Não há, porém, quem insista em afirmar que Maria e Isabel eram irmãs no sentido estrito; ao contrário, os exegetas de autoridade ou se negam a precisar o grau de parentesco que unia Maria a Isabel, ou julgam que esta era tia daquela (pois Isabel, por sua adiantada idade, já era estéril, quando Maria em idade juvenil recebia o anúncio do anjo; cf. Lucas 1,36).

No caso, portanto, os vocábulos “suggenís”, em grego, “atach” em linguagem semita, dizem apenas afinidade entre Maria e Isabel; nem se poderia afirmar com segurança que ambas pertenciam à mesma tribo, pois Isabel era certamente da tribo de Levi (cf. Lucas 1,5), ao passo que Maria descendia provavelmente da linhagem de Judá e Davi, como São José (neste caso, Isabel e Maria seriam parentas em virtude de um matrimônio realizado outrora entre um varão da tribo de Levi e uma mulher da tribo de Judá; era licito, sim, aos sacerdotes ou levitas, tomar esposa em outra tribo que não a de Levi).

Em consequência do acima dito, vê-se que inadequada é a tradução portuguesa que dá ao termo “suggenís” de Lucas 1,36 o sentido [estrito] de “prima”; melhor é dizer: “Isabel, tua parenta”.

  • Fonte: Revista Pergunte e Responderemos nº 4 – abr/1958
Facebook Comments

Livros recomendados

Bernardo de Claraval – Testemunha do seu tempo perante DeusO capital: Livro 1 – O processo de produção do capital (Vol. 2)A Lenda de João, o Assinalado