Porque é sagrada. Desde o seu início ela supõe a ação criadora de Deus e mantém-se para sempre numa relação especial com o Criador, seu único fim. A ninguém é lícito destruir diretamente um ser humano inocente, pois é um ato gravemente contrário à dignidade da pessoa e à santidade do Criador. «Não causarás a morte do inocente e do justo» (Êxodo 23,7).

Facebook Comments

Livros recomendados

NamoroA senhoriaA monarquia constitucional e a contribuição de José Bonifácio de Andrada e Silva