Devem realizar o seu trabalho, com consciência, competência e dedicação, procurando resolver, com o diálogo, eventuais controvérsias. O recurso à greve não violenta é moralmente legítimo quando se apresenta como instrumento necessário, em vista de um benefício proporcionado e tendo em conta o bem comum.

Facebook Comments

Livros recomendados

Há um Outro MundoO Fundador do Opus Dei – 3 Vols.A queda