Por Jaime Francisco de Moura

Os protestantes, com 15 séculos de existência, parecem não saber interpretar as Escrituras, sendo que, este assunto é bem claro e bem explicado em muitas páginas da Bíblia.

Para se aprofundar neste tema é bom lembrar que o próprio Jesus rezou por um morto. É o caso de Lázaro, pouco antes que ele fosse ressuscitado. Isto está em ( João 11, 41- 44).

 “Levantando Jesus os olhos ao alto, disse: “Pai, rendo-te graças, porque me ouviste. Eu bem sei que sempre me ouves, mas falo assim por causa do povo que está em volta, para que creiam que tu me envias­te”. Depois dessas palavras, exclamou em alta voz: “Lázaro, vem para fora!”. E o morto saiu, tendo os pés e as mãos ligados com faixas, e o rosto coberto por um sudário. Ordenou então Jesus: “Desatai-o e deixai-o ir”.”

Os discípulos de Jesus receberam também estes mesmos poderes para ressuscitarem os mortos. E quando isso ocorria, sempre era iniciado com uma oração. É o caso de Pedro que orou de joelhos para ressuscitar Tabita. Vamos então para ( Atos 9,36-40)

Havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido se diz Dorcas. Esta estava cheia de boas obras e esmolas que fazia. E aconteceu naqueles dias que, enfermando ela, morreu; e, tendo-a lavado, a depositaram num quarto alto.
E, como Lida era perto de Jope, ouvindo os discípulos que Pedro estava ali, lhe mandaram dois homens, rogando-lhe que não se demorasse em vir ter com eles. E, levantando-se Pedro, foi com eles; e quando chegou o levaram ao quarto alto, e todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando as túnicas e roupas que Dorcas fizera quando estava com elas. Mas Pedro, fazendo sair a todos, pôs-se de joelhos e orou: e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te. E ela abriu os olhos, e, vendo a Pedro, assentou-se. E ele, dando-lhe a mão, a levantou e, chamando os santos e as viúvas, apresentou-lha viva. E foi isto notório por toda a Jope, e muitos creram no Senhor.”

De imediato, estes dois versículos detonam a versão protestante.

Primeiro – Jesus rezou por Lázaro e Pedro rezou por Tabita, para erguê-los dos mortos.

Segundo – Para que tal milagre ocorresse, a pessoa pela qual se rezou deveria estar morto por definição.

Terceiro – Portanto, Jesus e Pedro, ambos rezaram pelos mortos, o que implica que tal prática está registrada na Palavra Escrita de Deus. Portanto, representa a vontade de Deus, inteiramente registrada nas Escrituras, a oração pelos mortos. É adequado que o homem reze para tudo o que Deus faça ou possa fazer

Além do mais, esses atos não teriam ocorrido na ausência de orações. Deus tem o poder de vida e morte e é inteiramente soberano, mas ele envolve os seres humanos e incorpora suas orações a sua Providência. Nenhuma dessas pessoas havia retornado à vida até que recebessem a oração.

Se não fosse a vontade de Deus que o homem não rezasse pelos mortos, Ele não teria honrado a oração e a pessoa morta não teria sido erguida. Assim banir esta prática, como quer o protestantismo, é impossível também, de ser fiel à Bíblia.

Eis aí!

A lógica é inescapável!

Outra oração pelos mortos no Novo testamento

São Paulo, na 2ª Epístola a Timóteo, cap.1, vers.18, assim ora a Deus por Onesíforo: “Que o Senhor lhe conceda a graça de obter misericórdia do Senhor naquele dia”. (2 Tm 1,18)

Nota: Comparando os vers. 15 a 18 do cap. 1º, com o vers.19 do cap.4º desta mesma Epístola, vê-se que Onesífero já era morto, porque nestes textos, São Paulo se refere nominalmente a outras pessoas, e quando seria o caso de nomear Onesíforo, seu grande amigo e benfeitor, ele não o faz, mas só se refere “à casa” e “à família de Onesíforo”. Daí se conclui que ele não era mais do número dos vivos. E São Paulo reza por ele, pedindo que o Senhor tenha dele misericórdia.

Oração pelos mortos no Antigo testamento

No 2º livro dos Macabeus, capítulo 12, versículos 43 a 46: “(Judas Macabeu) Tendo feito uma coleta mandou duas mil dracmas de prata a Jerusalém para se oferecer um sacrifício pelo pecado. Obra bela e santa, inspirada pela crença na ressurreição, porque se ele não esperasse que os mortos haviam de ressuscitar, seria coisa supérflua e vã orar pelos defuntos. Ele considerava que aos falecidos na piedade está reservada uma grandíssima recompensa. SANTO E SALUTAR ESSE PENSAMENTO DE ORAR PELOS MORTOS, para que sejam livres dos seus pecados”.

Mais uma oração pelos mortos: “Quando tu oravas com lágrimas e enterravas os mortos, quando deixavas a tua refeição e ias ocultar os mortos em tua casa durante o dia, para sepultá-los quando viesse a noite, eu apresentava as tuas orações ao Senhor”. (Tobias 12,12)

Conclusão

Se Cristo e os Apóstolos rezaram e ergueram um corpo morto de volta à vida, cruzando a linha entre o pós-vida e a vida terrena, nós também podemos, no mínimo, rezar pelas almas das pessoas no pós-vida. Uma coisa não é mais nem menos plausível do que a outra.

Nós Católicos acreditamos nas orações pelos mortos como uma forma de ajuda-los em sua jornada através do purgatório até o Paraíso. De fato, o ato de rezar pelos mortos faz sentido somente se algum tipo de purgatório ou estado intermediário estiver pressuposto, porque seria fútil rezar para os que estão no inferno ( a quem as preces não podem ajudar: é tarde demais) e desnecessário rezar por aqueles que estão no Paraíso ( eles já tem tudo o de que precisam).

Podemos rezar pelas almas, uma vez que esta oração pressupõe um estado intermediário ( Purgatório) em que aquela alma não está nem no Céu nem no inferno

Se os protestantes exigem exemplos Bíblicos de orações pelos mortos, eis aí alguns. Qualquer Cristão, seja Católico ou protestante, pode confirmar em suas Bíblias.

Facebook Comments

Livros recomendados

Cientistas de BatinaOrar com os SalmosA importância de ser prudente