Protestantismo

Ez. 37.15-20: livros ou rolos?

Quando tentam provar a autenticidade do Livro de Mórmon, muitos SUD zelosos gostam de citar de Ez. 37.15-20. Estas passagens rezam: 

"Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Tu, pois, ó filho do homem, toma uma vara e escreve nela: Para Judá e para os filhos de Israel, seus companheiros; depois, toma outra vara e escreve nela: Para José, vara de Efraim, e para toda a casa de Israel, seus companheiros. Ajunta-os uma a outra, faze delas uma só vara, para que se tornem apenas uma na tua mão. Quando te falarem os filhos do teu povo, dizendo: Não nos revelarás o que significam estas coisas? Tu lhes dirás: Assim diz o SENHOR Deus: Eis que tomarei a vara de José, que esteve na mão de Efraim, e das tribos de Israel, suas companheiras, e a ajuntarei a vara de Judá, e farei delas uma só vara, e se tornarão apenas uma na minha mão. As varas em que houveres escrito estarão na tua mão, perante eles". 

Muitos mórmons insistem que as varas destes versículos falam de livros. Um dos livros, eles insistem, é a Bíblia, enquanto o outro é o Livro de Mórmon. Um líder mórmon que divulgou esta idéia foi o apóstolo SUD LeGrand Richards. Na página 67 de seu livro Uma Obra Maravilhosa e Uma Maravilha, ele cita Ez. 37.15-20 e conclui: "antigamente era costume escrever em pergaminho e enrolá-lo em uma vara. Portanto, quando esta ordem foi dada, era o equivalente de dizer que dois livros ou registros deveriam ser guardados". Será que esta conclusão é plausível? Ezequiel estava falando de dois registros que seriam guardados? 

Em primeiro lugar temos que examinar a palavra hebraica usada nas passagens acima. Vemos que a palavra para "pedaços de madeira" ou "varas" é 'ets, que significa um pedaço de madeira literal, não livros ou rolos de pergaminho como mórmons insistem. [N. do T.: O Expositor, de John Gill, nota: 

"{Tu, pois, ó filho do homem, toma uma vara e escreve nela} ou "madeira" {a}; um pedaço de madeira; ou tábua, como diz o Targum,; uma prancha. A Septuaginta diz "vara", assim como a versão árabe; um emblema de um reino ou governo"

'Ets ocorre 325 vezes no AT e em nenhuma vez com significado de livro ou rolo. Sempre significa "árvore, madeira, vara ou cana"]

Veja a passagem de IRe. 17.10. Esta passagem reza: 

"Então, ele (Elias) se levantou e se foi a Sarepta; chegando à porta da cidade, estava ali uma mulher viúva apanhando lenha ('ets)" 

Elias lhe pede um pouco de água e um pedaço de pão para o qual a mulher responde: 

"Tão certo como vive o SENHOR, teu Deus, nada tenho cozido; há somente um punhado de farinha numa panela e um pouco de azeite numa botija; e, vês aqui, apanhei duas varas ('ets) e vou preparar esse resto de comida para mim e para o meu filho; comê-lo-emos e morreremos". 

A viúva de Sarepta estava juntando livros? Se sua resposta é não, então não há sentido em dizer que as varas de Ez.37 são livros, pois as duas passagens usam a mesma palavra. 

Outra passagem para se analisar é IIRe. 6.1-7. A Bíblia conta como, durante o ato de cortar uma árvore, o machado caiu na água. Afligido porque o machado era emprestado, o homem que estava usando o machado buscou a ajuda do profeta Eliseu. Mostrando onde estava a cabeça do machado, Eliseu "cortou um pedaço de madeira" e o lançou na água. Incrivelmente o machado flutuou. Agora, eu não acredito que algum mórmon vai dizer que Eliseu cortou um livro e o lançou na água. Por isso, se os mórmons insistem que Ez. 37 fala de livros, e querem ser consistentes, têm que concluir que Eliseu cortou um livro da árvore, já que a palavra vara no versículo 6 é a mesma palavra hebraica de Ez. 37.16ss. 

Claro, a viúva de Sarepta não estava juntando livros, não mais que Eliseu cortou um livro de uma árvore. Nem Ezequiel estava segurando livros (ou rolos de pergaminho) na mão como os mórmons alegam. Ez. 37 não tem nada a ver com o Livro de Mórmon. Usando duas varas literais, Ezequiel estava ilustrando uma profecia sobre a união de du as nações, Judá e Israel, que tinham estado separadas desde o tempo do rei Reboão. Se os mórmons continuassem lendo o versículo 22, eles veriam que isto é claramente explicado. 





About the author

Veritatis Splendor