A paz de Cristo, salve Maria!
Me ajudem a entender, por favor. Por que um “pastor” tem a cara de pau de fundar uma igreja (ICAC) – Igreja Católica Apostólica Cristã – o mesmo nome da nossa santa Igreja (Católica Apostólica)? Pior é o que o site dele informa, que ele esteve em Roma e sentiu uma forte presença do Espírito Santo; até ai eu acredito, mas isso o fez fundar essa “igreja” sem sua doutrina, com 66 livros, não venera Nossa Senhora e dizendo ser usado por Deus? Acredito que deve ser para enganar alguns católicos.
Me ajudem, pois não agüento mais tanto comércio.
Parabéns pelo site é muito bom, não fico um dia sem o visitar, está me ajudando muito. (Fábio)

Caríssimo Fábio,

Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja conosco!

Ficamos felizes por saber de sua assiduidade ao nosso apostolado, que tem te ajudado muito. Pedimos que reze por nós, para que com a graça de Deus possamos continuar nossa missão de propagar a verdade da fé católica.

Este triste episódio que nos relata, é fruto do pecado humano, movido pela ganância, com o fim de enganar dos incautos (cf. Mt 24,24[1]). Segundo declaração do Parlamento Europeu em 1998, “nos últimos anos nasceram mais de 20.000 (vinte mil) seitas em todo o mundo” (cf. L’Osservatore Romano, nº. 35; 29/08/1998 – 12 (476) ed. Portuguesa).

Os próprios protestantes (alguns) reconhecem este mal que se espalha pelo mundo, demonstrando o caráter utilitarista e proselitista de tais instituições:

“O pastor Osmar Ludovico da Silva, conferencista residente na Paraíba “lamenta que muitas igrejas evangélicas estejam perdendo o foco em Jesus e o comprometimento com seus ensinamentos. Em função desse distanciamento do Evangelho, mensagens equivocadas estão sendo divulgadas nos púlpitos. Apresentam um Jesus Cristo atraente, prometem a salvação dos céus e a prosperidade na terra, sem precisar renunciar a nada. Palavras como sacrifício, pecado, arrependimento, negar-se a si mesmo, foram substituídas por decretar, conquistar, saquear. Com isso, tornamos nossas igrejas prestadoras de serviços religiosos. Pregadores ungidos e comunicativos, apoio da mídia, cultos bem produzidos, testemunho de convertidos famosos, tudo isto para segurar os fiéis ariscos, prontos para criticar e mudar de igreja quando contrariados, dispara Ludovico” [Jornal a Palavra, dez/2005] (cf. Revista Pergunte e Responderemos n.º 526, abril/2006,p.169-170).

Com certeza, o fato deste “pastor iluminado pelo Espírito Santo” ao fundar a sua seita dar-lhe o sugestivo nome de “igreja católica apostólica cristã”, foi para assim tentar enganar seus seguidores (cf. Mt 15,14), afirmando que sua “igreja” é universal, vem dos apóstolos e não é “romana”, é “crista”!

Já dizia São Paulo: “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Tendo nos ouvidos o desejo de ouvir novidades, escolherão para si, ao capricho de suas paixões, uma multidão de mestres. Afastarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas”(II Tim 4,2-4).

Ora, quem busca conhecer a verdade, sabe que a expressão “Igreja Católica” remonta ao século II, da carta de Santo Inácio de Antioquia aos Esmirnenses: “Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a Igreja Católica” (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2) [destaque nosso]

Esta una e única Igreja Católica, não foi fundada por nenhum pastor humano, mas por Jesus Cristo, sobre a rocha de Pedro: “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus.” (cf. Mt 16,18-19)

“A Igreja é una: tem um só Senhor, confessa uma só fé, nasce de um só Batismo, forma um só Corpo, vivificado por um só Espírito, em vista de uma única esperança, no fim da qual serão superadas todas as divisões. A Igreja é santa: o Deus Santíssimo é seu autor; Cristo, seu esposo, se entregou por ela para santificá-la; o Espírito de santidade a vivifica. Embora congregue pecadores, ela é “imaculada (feita) de maculados” (“ex maculatis immaculata”). Nos santos brilha a santidade da Igreja; em Maria esta já é a toda santa. A Igreja é católica: anuncia a totalidade da fé; traz em si e administra a plenitude dos meios de salvação; é enviada a todos os povos; dirige-se a todos os homens; abarca todos os tempos; “ela é, por sua própria natureza, missionária. A Igreja é apostólica: está construída sobre fundamentos duradouros: “Os doze Apóstolos do Cordeiro”; ela é indestrutível; é infalivelmente mantida na verdade: Cristo a governa por meio de Pedro e dos demais apóstolos, presentes em seus sucessores, o Papa e o colégio dos Bispos. “A única Igreja de Cristo, que no Símbolo confessamos una, santa, católica e apostólica… subsiste na Igreja católica, governada pelo sucessor de Pedro e pelos bispos em comunhão com ele, embora fora de sua estrutura visível se encontrem numerosos elementos de santificação e de verdade.” (Catecismo da Igreja Católica § 866-870)

Para aprofundamento, recomendo a leitura dos seguintes artigos [no site do Apostolado Veritatis Splendor]:

– A FUNDAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA POR NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

– A AUTORIDADE DE SÃO PEDRO E A SUCESSÃO APOSTÓLICA

– ACASO A DOUTRINA É IMPORTANTE PARA AS IGREJAS? NÃO BASTA CONCORDAR QUE JESUS CRISTO É O SENHOR?

– A LAMENTÁVEL REFORMA PROTESTANTE

– AUTOFAGIA PROTESTANTE

– A IGREJA CATÓLICA E AS IGREJAS EVANGÉLICAS

In caritate Christi,
Leandro.

_________
NOTA:

[1] “Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isto fosse possível, até mesmo os escolhidos” (Mt 24,24)

Facebook Comments

Livros recomendados

Bernardo de Claraval – Testemunha do seu tempo perante DeusEsta Poesia e Mais OutraEstudos sobre o amor