Significa a grande pureza de consciência que todos os Ministros da Igreja devem possuir para exercer as suas funções sagradas. A propósito, a água benta disposta na entrada dos templos de certa maneira é uma “imitação” em pequena escala do Mar de Bronze hebraico.

Facebook Comments

Livros recomendados

Joana d’Arc – A Donzela de OrléansRetratos do ImpérioReligião: Ópio do Povo?