Espaço do Leitor

Respondendo aos ataques de um ateu ao nosso apostolado

Prezados Senhores;

Lí praticamente todo este site e cheguei a seguinte conclusão: a praga fundamentalista se alastrou por todos os cantos, o que para mim ateu convicto -(QUE DIFERENTE DE MUITOS SUPOSTOS CRISTÃOS) tenho respeito por todas as religiões, embora não concorde com sua ideologia e espiritualidade- é um  verdadeiro retrocesso e extremamente perigoso. Me espanta suas críticas (infundadas) contra os tão fundamentalistas como vocês, os protestantes. Diante do que achei um disparate das vossas acusações, apresento:

– Vocês afirmam que os protestantes são divididos e não têm unidade, estão corretos, mas no catolicismo existem vários movimentos, grupos, ordens que chegam até certo ponto doutrinário ser contraditórios fora as richas e inimizades (acuso, porque frequentei grupos católicos para minha pesquisa sobre espiritualidade na década de 90) como prova cito a proibição da presença e das músicas do pe. Marcelo Rossi (pertencente a RCC) na visita do Papa. Pura richa! (TradicionaisX Catolicos Pentencostais);

– Acusam os protestantes de do site CACP(fundamentalista igual ao Veritatis) de fazerem recortes para confundir os católicos e protestantes, coisa que vocês fazem igual para confundir protestantes e católicos. Sem contar com a fonte que vocês usam, que para uma discussão religiosa são totalmente nulas, porque são fontes escritas e traduzidas por autores católicos e algumas nem tem referência!;

– Citam muitos fatos históricos para comprovar a infabilidade da igreja católica, mas omitem todas as descobertas arqueológicas, principalmente as recentes(como a da caixa que que trás os dizeres:TIAGO, IRMÃO DE JESUS, FILHO DE JOSÉ). Fora que discutem feito doutores com ignorantes fanáticos pentencostais que entram em seu site, e vocês publicam como quer, talvez até omitindo certas partes que esses ignorantes dizem, porque vocês não têm resposta. Picotam os textos par dar mais ênfase as suas respostas, mas esquecem que um debate é feito por vias democráticas, e creio que vocês não publicam qualquer chance de deles revidarem. Um dia ainda entro como um pentencostal só para testar vocês;

– Distorcem muitos fatos que não lhe convém, como: Inquisição(falam somente de uma Inquisição protestante), enquanto em que a História fala do genocídio chamado  Santa Inquisição, e olha que eu fiz História na PUC), não citam as Cruzadas…Só uma pergunta: se o papa pediu desculpas pelos erros que a igreja católica cometeu, então aquele que comanda a igreja errou!Mas ele não é infalível?Que contradição!;

– Chamam os protestantes de hereges…mas depois os chamam de irmãos!Entendí…Vocês são hereges também!;

P.S.: Não autorizo a divulgar o meu nome porque pelo o que eu ví neste site, vocês se acham no direito de recortar a mensagem para distorcer sua cognição. Utilizam o recurso protestante, para proclamar a suposta superioridade católica, ou seja, vocês mesmos são protestantes e não sabem!


Sr. A.,

Veja também  A Inquisição

Porque você resolveu se esconder meu caro? Sua desculpa para se manter no anonimato se baseia em uma falsa acusação: de que recortamos as mensagens que recebemos. Ora, nós somos católicos praticantes, e a Igreja Católica nos ensina a não mentir e agir com verdade. E lhe digo mais, se tentar fazer por outra pessoa é falsidade ideológica, é uma mentira das grandes. E você admite que um dia poderá fazer isso (“Um dia ainda entro como um pentencostal só para testar vocês“). Quem está pretendendo agir contra a Verdade? Somos nós ou você?

É esta forma de agir que você chama de progresso? É por isso que você disse que a ideologia e a espiritualidade das religiões são um retrocesso? Pois um mundo que promulga a eutanásia, o aborto, o divórcio, as uniões livres, a pedofilia, o homossexualismo, avança é para a ruína.Todas estas desgraças são frutos do Naturalismo e não da Religião.

Veja como você é contraditório meu caro. Você nos acusa de fundamentalismo e diz que isto é uma praga. No entanto se declara ateu convicto. Ora, fundamentalismo significa ser fiel aos princípios fundamentais. Neste sentido, somos fundamentalistas e com muito orgulho, pois somos católicos convictos de nossa Fé. Logo, fundamentalismo remete à convicção. Você não pode se declarar um ateu convicto e condenar o fundamentalismo. É um contra-senso.

Vamos agora às suas acusações:

1 – Você faz a confusão muito comum entre Unidade Doutrinária e Unidade de Fé. Quando dizemos que no Catolicismo há unidade doutrinária, significa a que a Igreja Católica possui uma única doutrina. Por exemplo, o Magistério da Igreja sempre condenou a heresia moderna da Teologia da Libertação. Mas, infelizmente, muitos Bispos “católicos” da América Latina são adeptos desta heresia. Isso não significa que a Igreja Católica uma hora aceita e na outra condena a Teologia da Libertação. Significa quem nem todos os membros da Igreja professam a mesma Fé Católica, por isso não podem ser considerados católicos. Desde os primeiros anos da Igreja, sempre houve divergência de fé entre os cristãos (caso contrário nao haveriam as heresias), mas não divergência doutrinária na Igrea, já que a Igreja sempre ensinou a mesma coisa em todo lugar.

Veja também  Deus, o Legislador de todas as leis

A Unidade da Doutrina Católica é tão clara que se encontra em uma única fonte: o Sagrado Magistério Católico.

Infelizmente, por causa da infidelidade dos homens, não há Unidade de Fé no Catolicismo, pois muitos daqueles que se dizem “católicos” professam sua própria doutrina e não a perene Doutrina Católica. Entretanto, por causa da unidade doutrinária que há na Igreja Católica, é possível exortar os “católicos” à Unidade de Fé, que nada mais é do que crer e viver a Única Doutrina da Igreja Católica.

2 – Você diz que fazemos recortes das fontes em nossos artigos, mas infelizmente não apresentou provas do que diz.

3 – Realmente citamos fontes históricas para mostrar a veracidade de nossa Fé, pois a Fé Verdadeira deixa provas na história, demonstrando sua perenidade, muito ao contrário das seitas. Curiosamente na semana em que você nos acusa de não mostrar as provas arqueológicas atuais, nós publicamos exatamente estas últimas descobertas, veja em http://www.veritatis.com.br/article/4253. Sobre o ossuário com a inscrição “Tiago, filho de José, irmão de Jesus”, saiba você que não passou de uma grande fraude. Ainda que fosse verdadeira, não provaria que fosse de Jesus Cristo. Seria como achar um caixão no Ceará onde estaria escrito “Raimundo, filho de Antônio, irmão de Pedro”. E ainda que fosse realmente de Tiago, o fato da inscrição dizer que é irmão de Jesus não nos causa qualquer transtorno, já que o próprio Evangelho o diz e o próprio Evangelho mostra que ele era primo de Cristo (o aramaico “aha” pode significar irmão ou parente) (2). Logo, todas as evidências históricas e achamos arqueológicos corroboram plenamente com a Fé Católica.

4 – Sobre a Inquisição, já que você diz que leu “praticamente todo este site” então você sabe muito bem que esta instituição não foi meramente eclesiástica e que os abusos vieram da Espanha, onde na época os seus reis usaram o tribunal do Santo Ofício para expulsar judeus de suas terras. E é claro que o Santo Ofício por ser um tribunal como qualquer outro, está sujeito ao arbítreo dos homens, logo sujeito a erros e acertos. Além do mais não se julgam os atos do passado com a mentalidade do homem moderno, mas do homem da época. O próprio Cristo morreu por um processo inquisitório, cuja prática estava endossada na própria Lei de Moisés. No mundo Teocêntrico, que durou até a chegada do Iluminismo, uma ofensa a Deus ou ações que endereçavam perigos à Fé, eram os piores dos crimes, dignos de levar à morte quem os praticasse.

Veja também  Leitor pergunta sobre Concílio que deu origem à bíblia

Quanto às Cruzadas, também não há qualquer problema. Se é legítimo o uso da força para se garantir a soberania de uma nação, os Estados católicos agiram de forma legítima em frear a invasão do Islã através da guerra. Se a Igreja não tivesse usado deste último recurso contra a marcha do Islã, talvez hoje o Catolicismo nem constaria nos livros de história.

5 – Os protestantes são nossos irmãos porque se fizeram cristãos mediante o batismo. Todo protestante ingressa na Única Igreja de Cristo quando se batiza, a Igreja Católica. Mas exatamente por serem batizados e negarem as Verdades ensinadas pela Igreja, tornam-se hereges. Um budista, um hindu, um ateu, que não é batizado, embora negue as Verdades da Fé, não são hereges, pois lhes falta o batismo. Portanto, não há qualquer incoerência nossa uma hora chamarmos os protestantes de irmãos separados e em outra os chamarmos de hereges.

E o fato deles serem nossos irmãos separados (pois não estão em comunhão com a Igreja Católica) e serem hereges, não nos torna hereges. Ninguém é abortista porque tem um irmão abortista, e nem homossexual por ser irmão de um. Para sermos hereges, na condição de batizados, teríamos que negar a Verdadeira Fé. E deste mal rezados ao Senhor que nos afaste sempre!

Para vermos a Verdade é preciso sinceridade e boa vontade. Estamos dispostos a lhe ajudar com todo amor em Cristo Jesus, eliminando todo e qualquer equívoco que permeie em sua cabeça.

Da próxima vez que nos escrever saia no anonimato e nos envie seu email correto. O reto agir é o primeiro passo para dissipar da inteligência as brumas do erro.

Em Cristo Jesus,

Notas

(1) LOPES, Reinadlo Lopes. Folha Online: Inscrição sobre Cristo em ossuário pode ser falsificada. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u7721.shtml. Último acesso em 24/05/2007.

FARIA, Luís. Alfredo Braga Website: O homem que roubou Deus. Disponível em http://www.alfredo-braga.pro.br/discussoes/rouboudeus.html. Último acesso em 24/05/2007.

(2) Prof. Alessandro Lima.. Apostolado Veritatis Splendor: Quem são os “irmãos” de Jesus?. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/3974. Desde 3/10/2006.