Respostas Católicas

Jesus morreu por todos ou apenas pelos eleitos?

– Existe uma questão que me deixa bem confuso. Alguns grupos crêem que Jesus morreu somente pelos eleitos. Outros dizem que Ele morreu por todas as pessoas. E então? Um amigo meu, batista, cita João 10,15 como prova da expiação limitada (Anônimo).

Cristo morreu por todos. A idéia de que ele morreu apenas pelos eleitos, por alguns, provém do Calvinismo. A Bíblia ensina que Deus deseja a salvação de todos os homens (1Timóteo 2,4-6). A noção de uma expiação apenas pelos eleitos sugere o inverso. A Escritura também ensina que a morte de Cristo é uma propiciação “pelos nossos pecados, mas não apenas pelos nossos, mas de todo o mundo” (1João 2,2).

Obviamente, isso não significa que, apenas porque Deus possui um desejo salvífico universal, todos serão salvos necessariamente. Deus permite que as pessoas, usando de seu livre arbítrio, rejeitem a Sua graça. Ainda que Cristo tenha redimido toda a raça humana (=redenção objetiva), sua obra precisa ser aplicada aos indivíduos (=redenção subjetiva). É esta redenção individual que pode ser contrariada pelo homem.

A passagem da Bíblia que seu amigo citou – João 10,15 – não oferece apoio à doutrina calvinista da expiação limitada. É verdade que Jesus morreu pelo seu rebanho, mas este versículo não diz que Ele morreu apenas pelo seu rebanho ou que Ele morreu para tornar os benefícios da salvação disponíveis somente para o seu rebanho.

A respeito disto, cuidado especial deve ser tomado para determinar o que a Bíblia está realmente afirmando, ao contrário do que os defensores da expiação limitada pretendem afirmar. Verifique o versículo bíblico de João 3,16; ele diz: “De fato, Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho único, para que todo o que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. Observe que este versículo diz que Deus “amou o mundo”, não apenas o eleito. Você pensaria que isto abre um enorme abismo no argumento da expiação limitada, não?

Veja também  O Purgatório

Mas os proponentes da expiação limitada apontam para a parte do versículo que diz: “todo o que nele crer”. Eles argumentam que isto se refere ao eleito. A partir disto, concluem que Deus enviou o seu Filho ao mundo para salvar apenas o eleito.

Porém, a disposição contrária a esse argumento se encontra no próximo versículo: “Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele” (João 3,17). Assim, de acordo com a Bíblia, Deus enviou o seu Filho para tornar possível a salvação do mundo inteiro, não apenas de um pequeno subconjunto de pessoas, ainda que nem todos desejem se disponibilizar para essa redenção.


Livros recomendados

500 anos: Reflexões sobre a EvangelizaçãoDa MentiraO que são os evangelhos?





About the author

Veritatis Splendor