Uma em Governo

É própria da obra de Deus a ordem, e é premissa da ordem a hierarquia. Desde os coros angélicos, passando pela forças que equilibram o universo, até o funcionamento do organismo dos animais mais ínfimos, tudo funciona de forma hierárquica. Se os planetas do sistema solar não prestassem mais sua “obediência” ao sol, a Via Láctea entraria em colapso, pois não existe ordem sem hierarquia.

Este mesmo, e único Deus, que se empenhou em ordenar cada grão de areia de um deserto, como não haveria de estabelecer infinitamente mais sublime a ordem em sua Igreja? Por isso, empossa um fundamento visível para sua unidade, o Papa.

Qual rei justo não podendo permanecer para sempre junto de seu povo, deixa de preparar um digno sucessor para seu trono? Assim, muito mais foi Cristo, o mais justo entre os justos, pois é fonte de toda a justiça, que preparou e investiu de sua própria autoridade a Pedro e seus sucessores. O Papa é mais do que apenas o ministro maior de Cristo, mas como dizia Santa Catarina de Siena, “é o doce Cristo na Terra”.

“Pedro, se tu Me amas, apascenta as minhas ovelhas”. Aqui fica muito evidente que as ovelhas de Cristo, que foram compradas ao preço do Sangue de seu Benfeitor, estão todas reunidas em um único rebanho. “Pedro, se tu Me amas, apascenta as minhas ovelhas”. É muito manifesto nestas insistentes interrogações de Jesus, a sua intenção de que entendamos claramente que suas ovelhas estão todas no aprisco de Pedro.

São Cipriano, Bispo de Cartago, pergunta-se ainda no século terceiro da era cristã: “Julga conservar a fé, quem não conserva esta unidade recomendada por Paulo? (Ef 4,4/6). Confia estar na Igreja, quem abandona a Cátedra de Pedro sobre a qual está fundada a Igreja?” Imaginemos com que palavras ainda mais austeras ele indagar-se-ia hoje, vendo como é grande o número dos que desligaram-se da Igreja, principalmente pelo protestantismo, que constitui uma grande chaga da cristandade, pela qual muitos se perdem eternamente.

Uma em Doutrina

um só Deus. É sabido que qualquer indivíduo dotado de inteligência pode pelo uso da razão chegar ao conhecimento de um Criador único para todo o universo. Como também existe apenas uma revelação de Deus: “Todas as coisas me foram dadas por meu Pai; ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho quiser revelá-lo.” (São Mateus 11,27)

A razão nos elucida a existência de um só Deus, e a fé nas palavras de Cristo nos fazem saber subsistir n’Ele a revelação de Deus, logo pode-se concluir a vivência de uma só verdade. Quem possui esta verdade? Mais uma vez usando as premissas da lógica: – é evidente que apenas a Igreja fundada por Cristo, tem ligação ininterrupta: de Bento à Pedro, e de Pedro à Cristo. A verdade não poderia começar com Lutero mil e quinhentos anos depois de Cristo. Quem a teria transmitido, posto que ele rebelara-se contra aquele que a detinha, tendo aquele a recebido de outro, e este ainda de um anterior, até chegarmos a Jesus Cristo, que é a encarnação da verdade, pois é o Verbo que Deus manifesta aos homens. Também, recorrendo a Sagrada Escritura vemos, “Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo…” (São Mateus 28, 18/20). Nosso Senhor manda que eles ensinem aos povos o que Ele os ensinou e ainda os garante assistência até a consumação dos séculos. Por isso não há dúvida de que a Igreja é a única depositária de toda verdade revelada por Nosso Senhor Jesus Cristo. A maior prova de que a Igreja a detém, é que Ela tem unidade na doutrina, posto que a verdade não se pode contradizer.

Como poderia Lutero acreditar que a Igreja durante anos perdera-se da verdade, e só por ele redescobriu Ela o esplendor do seu princípio, se a promessa de Cristo, diz “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”? Em nem um só dia Cristo deixou sua Igreja; em nenhum momento Ela esteve perdida para que pudesse ser encontrada. O que a Igreja ensinou ontem, ensina hoje, e ensinará amanhã, porque o que ensina é a verdade, e porque Cristo não a abandonará jamais.

Uma só Cabeça, Um só Corpo

“Ele é a Cabeça do corpo da Igreja…” (Col. 1,18). Quando nos chocamos contra algum obstáculo, a primeira reação que temos é a de levar as mãos à cabeça, pois é instintivo ao corpo protegê-la, sabendo sê-la sua região mais nobre.

Nestes dois mil anos de história, a Igreja foi regada pelo sangue de uma verdadeira multidão de mártires. Aos olhos do mundo o martírio é uma loucura. Mas para os que são filhos da Igreja, e portanto estão aderidos a Ela, logo, por isto também ostentam a dignidade de Corpo de Cristo, concluímos que foi isto que fez até os frágeis e pequeninos transformarem-se em gigantes corajosos, que não temeram dar a vida pela causa de Cristo, que não encontraram receio ao colocar-se à frente derramando todo sangue, para que fosse preservada e honrada a Cabeça da Santa Igreja.

São Paulo afirma: “Ora, vós sois o corpo de Cristo e cada um, de sua parte, é um dos seus membros”. (I Coríntios 12,27), e continua, para que não reste duvida que é pela Igreja que nos tornamos partes de Cristo: “Na Igreja, Deus constituiu primeiramente os apóstolos…” (I Coríntios 12,28)

Não é difícil concluir que se há uma só cabeça, logo haverá um só corpo. Assim também, havendo um só Cristo, só pode haver uma única Igreja.

Santa Madre Igreja!

“Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível.” ( Efésios 5,25/27)

A Igreja é esposa de Cristo, que foi preparada por Ele, para ser a mãe dos filhos da graça, aqueles que são chamados os filhos de Deus. A Igreja é tão importante para povoar o paraíso celeste, como Eva foi para povoar o paraíso terrestre. Eva gerou-nos segundo a carne, portanto para o mundo. A Igreja gera-nos segundo a graça, logo, para o céu. Como todo o gênero humano é filho de Eva, assim todo o povo de Deus, é filho da Igreja; diz São Cipriano de Cartago: “Única Esposa de Cristo: Não pode ter Deus por pai quem não tem a Igreja por Mãe”.

Sucessão Apostólica: Prova inegável da unidade

Dizem os astrônomos que o céu é uma fotografia antiga, pois o que vemos estampado em brilho são as fulgurantes imagens de estrelas extintas. De forma parecida acontece na Igreja: cada bispo descende espiritualmente de outro, e este ainda de outro anterior a ele, até um último que descenda de um dos apóstolos, e assim também cada sacerdote, porque cada um é filho espiritual de um bispo. A Luz é Cristo, que deu Seu brilho aos primeiros, dando-lhes também a autoridade para legarem à outros esta mesma Luz.

A Igreja é a sucessora de Israel, e quis a divina providência que da mesma forma que Israel está constituída sob as doze tribos de Jacó, da mesma forma a Igreja é a posteridade dos doze apóstolos, sendo que o próprio Jesus faz esta comparação, “Em verdade vos declaro: no dia da renovação do mundo, quando o Filho do Homem estiver sentado no trono da glória, vós, que me haveis seguido, estareis sentados em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel”. (São Mateus 19,28)

A cada Bispo é delegada a jurisdição de uma Igreja particular, as dioceses, que são subordinadas a diocese Roma, onde o Bispo é o Papa. Logo, assim como foi instituído por Cristo, o Romano Pontífice, legítimo sucessor de Pedro, tem o primado sobre os demais apóstolos, que com Ele, governam a Santa Madre Igreja, e conduzem seus filhos, à pátria definitiva dos filhos de Deus, à Jerusalém celeste, à Igreja Triunfante, ao Céu.

“[…]A Igreja é uma só, embora abranja uma multidão pelo contínuo aumento de sua fecundidade. Assim como há uma luz nos muitos raios do sol, uma árvore em muitos ramos…[…]”. São Cipriano, Bispo de Cartago

 

Facebook Comments

Livros recomendados

EuA viagem de BediaiAngústia